5 Boas Atuações em Filmes Ruins

5 Boas Atuações em Filmes Ruins

COMPARTILHE!

Um filme só será considerado bom ou transcender esse nível e virar um clássico se tiver boas atuações dos atores envolvidos no projeto. Mas, infelizmente, nem sempre boas atuações necessariamente irão resultar em um bom filme, pois outros fatores como roteiro, produção e direção também precisam atingir um padrão de qualidade suficiente para elevar o nível do resultado final. É como se fosse uma orquestra, não adianta o maestro e alguns dos músicos solistas entregarem boas performances se o resto dos membros não seguir esta qualidade. No final, a música irá soar destoante.

Ainda assim, é preciso reconhecer o esforço dos atores que conseguem, apesar das adversidades de produção ou de estarem presos a um roteiro ruim, entender seus personagens e entregar boas atuações em filmes que são claramente ruins. Isso não quer dizer que teremos atuações dignas de Oscar, mas pelo menos podermos presenciar um ator que se entrega ao papel da forma que ele exige e, como diz o ditado, “dança de acordo com a música”. Em muitos casos, o ator inteligentemente percebe o quão clichê e caricato seu personagem é e entrega uma performance digna de ala psiquiátrica. Em outros casos, o ator consegue manter sua atuação consistente e levar a sério seu papel, ainda que o filme claramente esteja abaixo de sua qualidade.

Seja como for, decidi fazer uma lista com 5 representantes desta categoria de esforçados atores que conseguiram “transformar os limões em limonada” e nos entreter apesar dos filmes ruins a que estavam presos. Vale lembrar que não é um “Top 5” e peço que todos listem outros casos de atores ou atrizes que estão nesta categoria de “heróis”!




 

James Woods em ‘O Especialista’ (1994)

Desde o começo eu já imaginava que este filme era apenas uma desculpa para juntar Stallone e Sharon Stone em um filme, porque na época me lembro que eles foram eleitos como as “pessoas mais sexys do universo” ou algo assim. E o resultado final só comprovou isso, com os dois protagonistas sem muito interesse e inclusive sem química. No entanto, o vilão interpretado por James Woods (o mestre em vilões piegas) é tão clichê e engraçado que rouba todas as cenas em que participa e se mostra como uma das melhores aparições de Woods em “blockbusters” de Hollywood. Só a cena do elevador em que ele fala para o cara “sumir e arranjar outra camisa” já vale sua participação.




 

Tim Roth em ‘O Planeta dos Macacos’ (2001)

O reboot da consagrada franquia do passado comandado por Tim Burton foi um espetáculo de esquisitices que renderam várias sátiras e, se fosse hoje em dia, dispararia uma “metralhadora de memes” pela internet. Apesar disto, o vilão “Thade” interpretado por Tim Roth conseguiu se destacar e passar a ameaça que se esperava. Mesmo estando escondido debaixo de muitas próteses e maquiagem, o excelente ator provou seu talento entregou uma performance séria e convincente que, infelizmente, não foi acompanhada de um roteiro melhor ou de outros protagonistas igualmente capazes.

 

Ryan Reynolds em ‘Blade: Trinity’ (2004)

A trilogia de filmes do Blade tem seus altos e baixos e, definitivamente, o último filme é o ponto fraco desse elo. Em meio a uma produção extremamente conturbada em que Wesley Snipes estava se drogando e bancando a estrelinha “na velocidade 5”, este filme estava fadado ao fracasso. Ainda assim, Ryan Reynolds é um dos poucos que demonstra algum interesse e nos deu uma boa amostra do que estava por vir em “Deadpool” ao distribuir tiros e sopapos com competência e disparando suas tiradas com bom humor.

 

Christopher Reeve em ‘Superman III’ (1983)

Para mim é inquestionável o fato de Christopher Reeve ter sido o melhor ator a vestir a capa do herói mais famoso do cinema. Após dois bons filmes (se considerarmos a versão de Richard Donner para o segundo), tivemos duas péssimas continuações. No terceiro, que teve um tom bem mais cartunesco que tentou se aproximar dos quadrinhos, o resultado foi bem decepcionante e tão ingênuo que chega a ser bobo. Mas isso não parece ter afetado o entusiasmo e a seriedade com que Reeve interpretou o Superman e ele continuou entregando excelentes performances no papel, com destaque para a parte onde precisa lutar contra o seu “lado mal”.

 

Raul Julia em ‘Street Fighter’ (1994)

Este sem dúvidas é o pior filme desta lista e inclusive já o incluí em uma lista dos “10 piores filmes baseados em games”. Não quero agora me contradizer, mas o fato é que a performance de Raul Julia é a única coisa que pode ser salva dessa fétida bomba cinematográfica. O ator, em um golpe de inteligência, percebeu o quão bobo e caricato era seu personagem e entregou uma atuação que casou perfeitamente com esse clichê, descascando de forma magistral o abacaxi que recebeu. Principalmente se considerarmos que ele estava com sua saúde extremamente debilitada por ter acabado de passar por uma cirurgia e ter tido uma intoxicação alimentar grave e perdido muito peso. Tanto que, logo depois das filmagens, ele faleceu. Uma pena que seu último papel não tenha sido algo digno do seu enorme talento.

 

Curta nossa ENTREVISTA com a Nina Dobrev:


» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «