As 10 Maiores Bilheterias MUNDIAIS da primeira metade de 2018

As 10 Maiores Bilheterias MUNDIAIS da primeira metade de 2018

COMPARTILHE!

Lembra que 2015 ficou conhecido como o ano dos blockbusters? Bem, três anos depois e a coisa parece apenas ter aumentado. A primeira metade de 2018 trouxe sucessos colossais com filmes como Pantera Negra, Deadpool 2, Jogador Nº1 e os recém-lançados Jurassic World: Reino Ameaçado e Os Incríveis 2. Ah sim, como poderíamos esquecer de uma pequena obra chamada Vingadores: Guerra Infinita. Bem, isso tudo apenas na primeira metade de um ano que ainda promete muito mais, com as estreias de Missão: Impossível – Efeito Fallout, Aquaman, Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, O Retorno de Mary Poppins e Bumblebee.

Os 15 Blockbusters Mais Esperados para a Segunda Metade de 2018

As bilheterias mundiais realmente estão a ponto de explodir e em nossa nova lista trazemos para você o relatório dos 10 filmes mais rentáveis da primeira metade de 2018. Um detalhe muito importante para se prestar atenção diz respeito a um item mencionado no parágrafo acima. Até o fechamento deste lista, Jurassic World: Reino Ameaçado estava há apenas duas semanas em cartaz e Os Incríveis 2 há menos de uma semana. Portanto, seus valores devem aumentar consideravelmente nos próximos dias.

Ps. De fato, Jurassic World 2, apesar de seguir em terceira posição, já aumentou em quase US$100 milhões sua bilheteria, se aproximando de US$1 bilhão – o filme deverá fechar sua carreira acima de tal valor. Já Os Incríveis 2, até o fechamento desta matéria no final de junho – que ainda será considerado no texto – havia estreado em sétimo com um pouco mais de US$500 milhões. Agora, o filme escalou para a quinta posição, somando um pouco mais de US$650 milhões. OBS. A lista levará em conta o valor do longa até o fechamento da matéria no fim de junho.




Vamos conhecê-los.

10 – Cinquenta Tons de Liberdade

Foi por pouco, por muito pouco, que Han Solo: Uma História Star Wars não desbancou a conclusão da saga sexual criada por E. L. James. Seja como for, isso apenas enfatiza certa preocupação, afinal quando temos um projeto com a marca Star Wars que soma em bilheteria mundial basicamente seu custo de produção, podemos considerá-lo um fracasso de público. Nesse caso, o primeiro grande fiasco da empresa desde a compra da Disney – o que pode custar o emprego a produtora Kathleen Kennedy, dizem as más línguas.

Por outro lado, que as desventuras libidinosas de Christian Grey e Anastasia Steel são extremamente lucrativas ninguém duvida. Assim como seu primo rico Crepúsculo, de onde a autora “copiou” a ideia, esta franquia tem seu público-alvo cativo que não deixa de comparecer aos cinemas. Justamente por isso, apesar de “enaltecido” como um dos pontos baixos da primeira metade do ano, Cinquenta Tons de Liberdade assume aqui o décimo lugar entre os filmes mais rentáveis destes primeiros seis meses de 2018, com US$ 370 milhões ao redor do planeta.

Crítica | Cinquenta Tons de Liberdade – Conclusão da trilogia pseudo erótica é vazia e sem vida

9 – Rampage: Destruição Total

Nove entre dez superproduções estreladas pelo astro Dwayne Johnson dão lucro. Eu disse nove porque vira e mexe temos um Baywatch (2017) para mostrar ao grandalhão que ele ainda é apenas humano. Bem, esquecendo os pontos negativos, este ano The Rock já havia garantido seu lugar no Olimpo de Hollywood com Jumanji: Bem-vindo à Selva e, mais importante, subvertido a baixíssima expectativa do filme após a fria recepção do trailer. Jumanji se consagrou entre as maiores bilheterias de 2017 – grande parte adquirida em 2018 – e já garantiu uma segunda e terceira partes.

Crítica | Rampage: Destruição Total – Mais Monstros Gigantes

Mas Johnson quer sempre mais e seu ano seguiu com Rampage, adaptação de um obscuro vídeo game que, embora tenha dividido a opinião de crítica e público, viveu para se tornar um dos filmes mais lucrativos destes primeiros seis meses de 2018. Podemos dizer que a garotada queria ver monstros gigantes, mas se fosse assim Círculo de Fogo 2 também estaria neste ranking. Então, é seguro afirmar que a presença de The Rock foi o fator determinante nesta mistura, fazendo do astro de ação um dos mais rentáveis da atualidade. Rampage soma US$423 milhões em bilheterias mundiais. E que venha Arranha-Céu este mês.

Crítica em Vídeo | Rampage: Destruição Total - Mais monstros para quem curte

8 – Detective Chinatown 2

Chegamos a um item curioso em nossa lista, e para adereçá-lo precisamos entrar em todo um contexto. O mercado asiático de cinema se tornou um dos mais importantes e lucrativos do mundo na atualidade. Diversas produções Hollywoodianas se pagam e obtêm lucro com este mercado, sem precisar depender exclusivamente da bilheteria norte-americana, como era até então. Casos recentes de produções apontam para isso, como o primeiro Círculo de Fogo (2013), cuja sobrevida foi possível graças a esta fatia grandiosa de público. Blockbusters de Hollywood atualmente, inclusive, são pensados para este mercado, adicionando astros locais ou parte de sua trama em algum país da Ásia.

E essa é uma via de mão dupla. Ao mesmo tempo em que cresce e se vê dominante em questão de público, as produções destes países igualmente geram lucro tão intenso que têm conquistado posições astronômicas em renda. Não é de hoje que dentre as maiores bilheterias de anos recentes estão filmes asiáticos, muitas vezes sem penetrar em outros mercados pelo mundo, como os EUA. Agora imagine o tamanho do lucro gerado por seu filme se ele enfrenta e derruba superproduções de Hollywood – exportadas para o mundo todo – só com a renda levantada em seu continente de origem. É exatamente o caso com esta produção chinesa de comédia e ação, sequência de um filme de 2015, que desta vez conta com nomes americanos em seu elenco, vide Michael Pitt, e se passa em Nova York. Detective Chinatown 2 já soma US$544 milhões ao redor do mundo.

7 – Os Incríveis 2

Mal estreou nos cinemas e Os Incríveis 2 já emplaca no ranking das maiores bilheterias dos primeiros seis meses. Isso sim é ter moral. Também não é para menos, já que se trata de uma das continuações mais aguardadas da história recente do cinema. Desde que se tornou fenômeno em 2004, a primeira família de super-heróis da Disney / Pixar gritava por uma sequência. Tudo bem que ela demorou um pouquinho a chegar, mas 14 anos depois e aqui está ela.

Crítica | Os Incríveis 2 - Recicla o roteiro do 1º filme, mas ainda diverte...

Dividindo um pouco a opinião de críticos e público, Os Incríveis 2 não é um sucesso unânime como o primeiro filme foi, e muitos acusam certa repetição no roteiro. Nada disso, no entanto, diminui a devastação que a obra deverá causar nas bilheterias neste 2018. A animação tem, até o fechamento desta matéria, US$564 milhões em um pouco menos de uma semana em cartaz ao redor do mundo.

Crítica em Vídeo | Os Incríveis 2 - Vale pela nostalgia e diversão...

6 – Operation Red Sea

Voltando ao item 8 da lista, Operation Red Sea é um filme do qual você provavelmente nunca ouviu falar. Mas existe uma explicação para isso. Trata-se uma (super)produção asiática de guerra, mirada e vendida para seu próprio mercado. Tais filmes podem até vir a penetrar em outros mercados pelo mundo, mas a força de bilheteria ficará sempre concentrada em seu continente, já que são longas que falam diretamente com eles, por seu aspecto cultural.

Operation Red Sea é uma produção extremamente ambiciosa – basta dar uma conferida no trailer – e impecável tecnicamente. Na trama, forças especiais da marinha chinesa lançam uma missão de resgate a reféns sequestrados por terroristas no Oriente Médio. Para se ter uma ideia da dimensão da coisa através de números, o orçamento do longa foi de US$70 milhões, quantia essa recuperada já no primeiro fim de semana do lançamento na China. Atualmente, Operation Red Sea se encontra com US$580 milhões em caixa.

5 – Jogador Nº 1

O grande mestre recupera seu prestígio com um novo público. Para quem não sabe, o diretor Steven Spielberg é o pai dos blockbusters. Prazer. Tudo, é claro, porque Tubarão (1975) foi o primeiro filme da história a ultrapassar a astronômica barreira (na época) dos US$ 100 milhões em caixa. As pessoas literalmente formavam filas em volta do quarteirão para assistir ao thriller e quando saíam, voltam novamente para a fila – daí o termo “arrasa-quarteirão”. Daí em diante foi um abraço, e Spielberg encabeçou sucessos ao longo das décadas de 1980, 1990 e 2000.

Crítica | Jogador Nº 1 – O retorno do melhor de Spielberg

Nos últimos anos, no entanto, em nova fase de sua carreira, Spielberg estava afastado dos holofotes e do sabor de uma superprodução bem sucedida. Com Jogador Nº 1 o diretor faz as pazes com crítica e público, entregando seu filme mais celebrado dos últimos tempos. O mais legal é perceber como a obra, baseada no livro de Ernest Cline, se conectou com o espectador jovem, mostrando acima de tudo que o velho cineasta continua tendo o que dizer sobre a geração atual. Com quase US$600 milhões, o filme é o mais rentável do diretor em dez anos.

Crítica em Vídeo | Jogador Nº 1 - O novo sucesso de Spielberg

4 – Deadpool 2

Deadpool (2016) foi um marco para o subgênero dos filmes de super-heróis e mostrou que a censura alta numa produção dessas pode, sim, fazer bem a sua bilheteira. A prova disso foram os quase US$800 milhões em caixa ao redor do mundo, e a nona posição das maiores bilheterias de seu respectivo ano. Sendo maior, mais engraçado e melhor, não tinha muita chance desta sequência não dar certo.

Crítica | Deadpool 2 - Maior, Melhor e Muito Mais F*dão que o original

Com o carisma renovado do protagonista Ryan Reynolds, sua metralhadora de piadas – que funciona muito melhor que no primeiro longa solo do mercenário – e os talentos combinados das adições de Josh Brolin como o vilão Thanos Cable, e Zazie Beetz na pele da sortuda Domino (a melhor personagem do filme), Deadpool 2 tem tudo para superar seu original junto ao público e levou para a FOX uma bilheteria de US$720 milhões até o momento – lembrando que o filme ainda se encontra em cartaz em muitas partes do mundo.

Crítica em Vídeo | Deadpool 2

3 – Jurassic World: Reino Ameaçado

Só mesmo um verdadeiro arrasa-quarteirão parar correr na frente dos demais lançamentos ao longo de seis meses do ano. Jurassic World 2 acaba de ser lançado e já corta caminho, chegando em terceiro lugar. Este é o mesmo caso de Os Incríveis 2, mas com quase duas semanas de vantagem em cima da animação da Disney, os dinossauros chegam na frente. A briga vai ser boa.

Crítica | Jurassic World: Reino Ameaçado - O filme mais assustador da franquia

Precisamos levar em conta que o primeiro Jurassic World foi a segunda maior bilheteira de 2015 com US$1.671.7 bilhão, ficando atrás somente de Star Wars: O Despertar da Força. Agora, com duas semanas de lançamento, o segundo filme trilha caminho semelhante, chegando aos US$900 milhões e em breve, ao que tudo indica, irá ultrapassar seu predecessor no quesito de espectadores.

Crítica em Vídeo | 'Jurassic World: Reino Ameaçado' muda o rumo da franquia

2 – Pantera Negra

Estamos falando aqui em bilheterias mundiais, porque caso fosse somente as norte-americanas, Pantera Negra estaria em primeira posição. Por lá, o primeiro filme solo de um herói negro da Marvel, que exala representatividade em cada frame, é a produção mais vista do ano. O fato é: seja em primeiro ou em segundo, Pantera Negra é um sucesso unânime.

A Disney/Marvel deve estar com um sorriso de orelha a orelha. Nunca um personagem desconhecido, do time B, havia sido tão bem sucedido quanto os personagens de Wakanda. O fato de Pantera Negra ter sido tão abraçado pelos fãs demonstra uma vitória que não se resume de forma alguma à parte financeira. O filme do herói fez até o momento US$1.346.4 bilhão junto a bilheteria – ainda em cartaz em partes do mundo.

Crítica em Vídeo | Pantera Negra

1 – Vingadores: Guerra Infinita

Podemos dizer que o herói Pantera Negra faz parte dessa vitória também, já que além de seu filme solo, o personagem é um dos membros deste elenco magnânimo, nunca anteriormente tentado em qualquer produção do gênero. Não tem para ninguém e já sabíamos disso. Vingadores 3 ou Guerra Infinita é um dos arcos mais importantes dos quadrinhos Marvel e no cinema, a empresa vinha preparando o terreno para o evento desde o final da década passada.

Crítica | Vingadores: Guerra Infinita – O Auge do Cinema Entretenimento

A Marvel tem no cinturão alguns filmes que ultrapassaram a ridícula quantia do bilhão de dólares, mas com Guerra Infinita foi a primeira vez que a empresa começa a brincar na casa dos 2 bilhões. Pensa só se a moda pega. De qualquer forma, Homem-Formiga e a Vespa não foi feito para isso e não deverá chegar perto de tal quantia. A coisa muda de figura, no entanto, quando adentrarmos 2019 e chegar a hora de recepcionar de braços abertos a Capitã Marvel e logo em seguida Vingadores 4. Será que o mundo tem dinheiro para tanto? Vingadores: Guerra Infinita tem atualmente US$2.033.2 bilhões.

Crítica em Vídeo | Vingadores: Guerra Infinita





Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » https://goo.gl/mPcJ5c