Crítica | Game Of Thrones 07×05 e 06 – Eastwatch e Beyond The Wall

Crítica | Game Of Thrones 07×05 e 06 – Eastwatch e Beyond The Wall

COMPARTILHE!

PIOR DO QUE A QUINTA TEMPORADA

 

Já comentei que uma das dificuldades de se resenhar uma série episódio por episódio é não ter noção do todo. Após a live do 5º episódio, decidi segurar a resenha dele para ver o que aconteceria no 6º episódio. Na ocasião, manifestei o meu prazer com a costura de trama feita e a felicidade pelo que parecia o acerto no andamento das tramas. Mas, não foi nem de longe um episódio perfeito, a começar pelo plano maluco do Jon Snow (Kit Harington) e pela relação dele com Daenerys (Emilai Clarke). Aí… vem o 6º e pior episódio da temporada. Segurar a resenha foi uma boa escolha.

É incrível pensar que esta 7º temporada tem o melhor e o pior de Game Of Thrones – GoT. O 4º episódio pode entrar num top 20 de melhores da série. Já Beyond The Wall é o meu pior – vale caixa alta – PIOR episódio de toda a série! Vi algumas pessoas reclamarem das falhas do 5º episódio, mas ele ainda tinha qualidades. Achar virtudes no 6º é uma missão mais suicida do que buscar zumbis na neve.

ACERTOS E ERROS

     

O 5º episódio nem de longe foi perfeito. A cinematografia, por exemplo, foi pouco inspirada, com apenas alguns momentos em que a mise-en-scène empolgava. Contudo, foi um episódio funcional, trabalhando com competência a relação entre os personagens. Eastwatch também manteve o ótimo nível dos diálogos da série.

Dentre os grandes momentos do episódio temos a sequência na qual Daerenys ordenou a morte de Randyll e Dickon Tarly (James Faulkner e Tom Hopper). Foi um momento no qual ficaram claras as ambiguidades de Dany. Estaria ela cedendo à loucura Targaryen, ou apenas se embriagando com o poder? Os diálogos de Tyrion (Peter Dinklage) e Jaime (Nikolaj Coster-Waldau), e de Jaime e Cersei (Lena Headey) foram outros diálogos de destaque. Outros pontos fortes foram a conversa entre Sam (John Bradley) e os Maesters e a dinâmica entre Sansa (Sophie Turner) e Arya (Maisie Williams), que então prometia ser dos pontos altos desta temporada.

Sua maior virtude foi indicar uma amarração entre a guerra pelo trone de ferro e a batalha contra os White Walkers. Parece que as duas linhas de eventos tendem a se fundir na próxima temporada. Assim torcemos!

Eastwatch também foi atingido pelo maior problema desta temporada: a organização temporal. Os eventos transcorreram de forma muito rápida. Em princípio, não haveria problema nenhum de um episódio ter vários eventos. A falha foi construir uma narrativa mais preocupada em fazer um checklist daquilo que ainda não tinham sido colocadas na tela, do que construir uma narrativa com andamento rápido, mas orgânico.

O 5º episódio ainda teve outra fraqueza: fan service mal colocado. Sim, estou falando da cena na qual Jon Snow toca em Drogon. A cena poderia existir em outro contexto. Foi uma cena incluída de qualquer jeito e que não gerou nenhuma repercussão, servindo apenas para aquecer os corações dos fãs.

Mesmo sendo dos mais fracos da temporada, Eastwatch teve virtudes, sendo a maior dar indicações de que o episódio seguinte seria desastroso!

O 6º episódio foi o pior desta temporada e, para mim, o pior de toda GoT. Se Eastwatch equilibrava vícios e virtudes, Beyond The Wall é um vale de defeito! Beirando o desastre, poucas coisas se salvam: alguns diálogos legais, uma fotografia bem feita e algumas composições de cena interessantes. Qualidades que não compensam a comédia de más escolhas que foi este episódio.

O plano já era estúpido, mas poderíamos aceitá-lo, se o desenvolvimento tivesse sido bom. Que nada! O problema central do episódio pode ser resumido em verossimilhança na questão temporal. Não foi propriamente um episódio com muitos eventos, como foi o 5º; foi um episódio que se concentrou em dois núcleos, mas os acontecimentos eram tão rápidos que não transmitiam uma clara noção de passagem do tempo.

Peguem o caso dos 7 tapados que foram para além da muralha prender zumbis: o começo não deixa claro se eles caminharam 1 ou vários dias. Quando cercados pelos White Walkers, a fotografia das cenas e a noção de que o frio no norte é rigoroso passam para o público a ideia de que eles ficaram lá por algumas horas. Isto é reforçado pela rapidez com que Gendry volta para pedir ajuda.

Essa linha temporal é esculhambada de vez com a rapidez com que Dany vai resgatá-los. R. R. Martin diz que se arrependeu de ter divulgado as distâncias oficiais Westeros; isto dificultaria o andamento da história. Desculpa, titio Martin, mas na série, as distâncias não são medidas em quilômetros, mas em episódios: o tempo que os eventos levavam para ocorrer na série (especialmente o deslocamento de personagens) era da ordem de 1 a 2 episódios. Muito comum que alguém de um núcleo viajasse num episódio, no seguinte o seu núcleo não aparecei e no terceiro, esse personagem chegava ao destino. Ou seja, a noção de espaço-tempo na série foi construída a partir da distribuição dos eventos ao longo dos episódios. A ideia de que Westeros é imenso é mais por causa disso do que por causa de uma ou outra menção de distância.

Isto foi totalmente esquecido neste 6º episódio, especialmente com a rapidez com que Daenerys levou para receber a notícia e resgatar os 7 patetas. A comparação com o 5º episódio deixa o problema mais evidente: como vários núcleos se intercalam, Eastwatch consegue mascarar a rapidez dos eventos; já Beyond The Wall tem apenas dois núcleos…

Muitos outros defeitos estão presentes nesse 6º episódio: além dos 7 personagens principais da expedição, há um bando de figurantes que serve apenas para morrer e confundir o público; a passividade dos White Walkers é pateticamente forçada, claramente um Deus ex machina para possibilitar a cena de resgate; a postura de Jon Snow também foi forçada, criando falso suspense, afinal, sabemos que Jon não irá morre antes do final da série. E nem vou falar da briga patética de Arya e Sansa – as personagens regrediram psicologicamente para nada.

Aliás, Beyond The Wall sacrificou o maior mérito da série: a morte de personagens importantes. Quando vimos vários personagens sendo salvos das situações mais absurdas, o roteiro dava o recado: alguns personagens são imunes! Em outros tempos, numa expedição como essa, de 3 a 4 iriam pro saco – Jorah (Iain Glen) incluído.

O QUE PODERIA TER SIDO? OU RELENDO A TEMPORADA

Como já falei antes: resenhar uma série episódio por episódio é difícil, pois não temos a visão do todo. Até o 5º episódio, esta temporada estava indo muito bem. Beyond The Wall puxou a temporada para baixo: os seus eventos teriam sido mais bem trabalhados se tivessem sido distribuídos por três episódios. Poderíamos ter visto a união do grupo e início das buscas em um episódio, o encontro com os White Walkers e busca da ajuda em outro, e o resgate no terceiro. Claro, muitas outras coisas teriam que ser diferentes, como o cerco ocorrer em uma caverna e não num lago congelado, por exemplo. Também aprimoraria o plano: prender um White Walker ou tramar o sacrifício de alguém. Mas, divago. Meu ponto é outro:

Quando eventos importantes ficam concentrados em um único episódio, notamos que os anteriores foram mal aproveitados. Jon Snow poderia ter saído de Pedra do Dragão antes. A inutilidade de sua presença lá ficou mais evidenciada depois deste 6º episódio. Nem a suposta química entre Jon e Dany justifica – preferia muito mais que ambos se cassassem por conveniência política do que por qualquer outra coisa, seria muito mais coerente com a natureza deles e da série.

Enfim, a sensação de que muita coisa foi subaproveitada nos episódios anteriores e de que tudo foi feito para criar um dragão zumbi depõem ainda mais contra Beyond The Wall, um episódio que sozinho foi pior do que a sonolenta 5º temporada.

E, aí, o que achou dos episódios? Ficou decepcionado com eles? Curtiu mais Eastwatch ou Beyond The Wall? Vamos, comente, compartilhe e curta nossas redes sociais:

Nossa página oficial no Facebook

Página oficial do CinePOP no Facebook

Canal do CinePOP no YouTube


Explicando o final do filme 'Mãe!' [TEORIAS] [SPOILERS]


» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

[AVISO] Os comentários passam por uma aprovação e podem demorar até 24 horas para serem disponibilizados no site. Comentários com conteúdo ofensivo serão deletados, e o usuário pode ser banido. Respeita a opinião alheia e comporte-se.