Crítica | Porta dos Fundos – Contrato Vitalício

Crítica | Porta dos Fundos – Contrato Vitalício

COMPARTILHE!

Quando o Porta dos Fundos surgiu, o Brasil ainda estava começando a criar o hábito de ver vídeos na internet. Não usávamos as palavras “Meme” ou “Selfie”, e nem ao menos sabíamos que dava pra ganhar dinheiro postando uns vídeos no Youtube.

O canal se destacou por ser um dos primeiros a levar qualidade técnica e profissional para um site tomado por garotos e garotas falando sobre suas vidas e opiniões para uma câmera apoiada a meia dúzia de livros.

O projeto deu certo e hoje a turma de Fábio Porchat tem mais de 12 milhões de inscritos no canal, assinaram com a Fox Brasil pra ter seu conteúdo transmitido no canal pago e ainda produziram uma série para o mesmo.




Agora, dia 30 de Junho, eles lançam seu primeiro longa metragem para o cinema: ‘Porta dos Fundos – Contrato Vitalício‘.

portadosfundos_3

Na trama, Rodrigo (Fábio Porchat) e Miguel (Gregório Duvivier) são melhores amigos que costumam sempre fazer filmes juntos. Em determinado momento eles ganham um prêmio importantíssimo da indústria cinematográfica. Rodrigo, animado com o momento e na festa pós-premiação resolve fazer um contrato vitalício com Miguel, contrato esse que garantiria que ele estaria em todos os filmes do diretor. Acontece que após acordar no dia seguinte, Miguel some e Rodrigo acaba voltando para o Brasil sozinho.

Dez anos se passam, Rodrigo agora é um ator famoso e retorna ao mesmo festival. No hotel onde será realizado a premiação, os dois amigos se reencontram e Miguel apresenta para Rodrigo a ideia de um filme maluco envolvendo alienígenas que pode acabar com sua carreira.




O filme é dirigido por Ian SBF, que também contribui com as esquetes feitas para o canal no Youtube, o que permite elevar o longa a nível cinematográfico sem perder a essência dos vídeos que popularizaram o Porta dos Fundos.

portadosfundos_2

Aliás, o fato de ter uma equipe composta pelas mesmas pessoas que trabalham juntos a anos produzindo esquetes é um dos maiores trunfos da produção, que consegue explorar o melhor de cada ator e garante uma química que funciona na telona.

Apesar de ter uma história a ser seguida, e mesmo com Fábio Porchat e Gregório Duvivier sendo os grandes protagonistas, quem rouba mesmo a cena e garante boa parte das risadas do público são Marcos Veras, Luis Lobianco e Thati Lopes.

Enquanto Marcos Veras é um jornalista de fofocas, Luis Lobianco é o assessor de imprensa de Rodrigo que o tempo todo está no telefone com alguma celebridade. A dupla é uma grandes surpresas, assim como Thati Lopes, que interpreta Fernanda, namorada e celebridade da internet que o tempo todo está falando com seus seguidores no Snapchat e outras redes sociais.

portadosfundos1

O roteiro afiado de Fábio Porchat e Gabriel Esteves é recheado de referências ao mundo do entretenimento. O humor ácido que seu público está acostumado também está presente. Mas, além das piadas e das situações absurdas, o filme também é uma grande crítica ao cenário atual onde é cada vez mais normal a briga por ascensão e o sucesso é valorizado acima de tudo.

As participações especiais também dão um brilho a mais pro longa.

É claro que existe muita coisa que se precisa afinar para fazer de ‘Porta dos Fundos – Contrato Vitalício‘ uma comédia maravilhosa, principalmente no roteiro. Em meio as piadas boas ainda persistem algumas de gosto duvidoso e até mesmo completamente desnecessárias. Mesmo assim, o filme ganha pontos ao se destacar de outras comédias nacionais e merece uma chance de ser visto.

portadosfundos_2

Curta nossa ENTREVISTA com a Milla Jovovich:



» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «