Crítica | Velozes e Furiosos 8 é diversão e adrenalina pura

Crítica | Velozes e Furiosos 8 é diversão e adrenalina pura

COMPARTILHE!

Quando o primeiro ‘Velozes e Furiosos’ foi lançado em 2001, poucos imaginavam o sucesso que o filme se tornaria. Estrelado pelos então pouco conhecidos Paul Walker e Vin Diesel, o filme mostrava o submundo dos rachas de carro nas ruas de Los Angeles.

Com o público aumentando a cada filme e as bilheterias enchendo os bolsos da Universal Pictures de alegria, a franquia começou a tomar proporções maiores à partir do quarto filme e se transformou em uma saga de Heist Movies – aqueles filmes de assalto com tramas mirabolantes.

Apesar de ter aspirações maiores, os filmes nunca deixaram de lado as corridas de carro – mas adicionavam mais e mais elementos para deixar os fãs de filmes de ação felizes.

     

Após o grandioso sétimo filme, que nos marcou pela perda trágica de Paul Walker, a franquia volta a ganhar um filme megalomaníaco.

Ao invés de mestre James Wan, que nos entregou o filme mais sério e obscuro da saga com ‘Velozes e Furiosos 7’, a oitava incursão da franquia é comandada por F. Gary Gray, diretor de ‘Straight Outta Compton’ e mais de 30 vídeos musicais para cantores, como Ice Cube, Queen Latifah, TLC, Dr. Dre, Jay-Z e Mary J. Blige.

Gray traz sua marca para a produção, e entrega um visual frenético em um filme divertido, que aceita a patifaria do absurdo das cenas de ação e decide divertir seu público sem se levar a sério. E esse é o maior acerto do filme.

A família mais complicada do cinema está de volta em uma trama de vingança e traição.

Depois que Brian e Mia se aposentaram, e o resto da equipe foi exonerado, Dom e Letty estão em lua de mel e levam uma vida pacata e completamente normal.

Mas a adrenalina do passado acaba voltando com tudo quando uma mulher misteriosa faz com que Dom retorne ao mundo do crime e da velocidade, dessa vez traindo sua equipe e se aliando à ciberterrorista Cipher (Charlize Theron).

Tudo que os fãs mais amam é adicionado na mistureba em meio a uma trama dramática: corridas de carro, perseguições, fuga da prisão, submarinos… e dessa vez temos, pela primeira vez, uma chuva de veículos importados. Sim, é sério.

O elenco está mais canastrão do que nunca, o que é uma ótima notícia.

Vin Diesel se diverte interpretando o “vilão” da produção, enquanto é guiado pela MARAVILHOSA Charlize Theron, vivendo mais uma vez uma vilã maquiavélica (no melhor estilo ‘Branca de Neve e o Caçador’).

Dwayne Johnson dessa vez toma o protagonismo e entrega um personagem carismático, que serve como alívio cômico do filme. Outro que se destaca é Jason Statham, divertidíssimo.

E a grande surpresa fica pela curta – porém brilhante – participação da rainha Helen Mirren.

Velozes e Furiosos 8’ decide abraçar o lado canastrão da franquia, entregando o filme mais divertido e megalomaníaco até aqui.

Ainda que não seja melhor que ‘Velozes e Furiosos 7’, consegue adicionar novo gás para a franquia e provar que eles ainda vão muito muito longe, se bobear até o espaço sideral.

Assista em uma tela IMAX 3D!

 

 


Crítica | Annabelle 2 - A Criação do Mal - Vale a pena?



» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

[AVISO] Os comentários passam por uma aprovação e podem demorar até 24 horas para serem disponibilizados no site. Comentários com conteúdo ofensivo serão deletados, e o usuário pode ser banido. Respeita a opinião alheia e comporte-se.