Sem Dor, Sem Ganho

Sem Dor, Sem Ganho

COMPARTILHE!

 MICHAEL BAY TORTURA NÃO SÓ SEU PERSONAGEM, MAS SEU PÚBLICO PRINCIPALMENTE

Lançado em abril nos Estados Unidos, no início da temporada das grandes produções do meio de ano, Sem Dor, Sem Ganho é o novo filme do megalomaníaco Michael Bay (Transformers: O Lado Oculto da Lua). Apesar de constantemente execrado pelos críticos, Bay é um verdadeiro pote de ouro para os estúdios, e com a franquia Transformers rendeu uma verdadeira fortuna para a Paramount. Seus filmes podem ser acusados de tudo, menos de fracassos financeiros.

Bay é considerado o Christopher Nolan dos pobres, um diretor de blockbusters autoral, que tem grande poder de decisão dentro de suas produções, e que é inclusive ele mesmo um produtor dentro do seu selo Platinum Dunes. A brincadeira em relação ao diretor da trilogia do Cavaleiro das Trevas se deve porque ao contrário de Nolan, Bay se empenha muito mais na parte técnica do que em suas histórias ou personagens.

9

O cineasta acredita inclusive em seu estilo, e recria momentos similares em todos os seus filmes (como os personagens levantando de um grande baque em câmera lenta enquanto a câmera os circula, câmera num trilho circular enquanto a ação está acontecendo na forma de um carrossel, e, é claro, direção de arte com cores berrantes e saturadas). Tudo isso seria realmente perdoado se por trás de tanto estilo tivéssemos alguma substância.

Nos Estados Unidos, Bay exibindo pouco profissionalismo proibiu a entrada do crítico Peter Travers (forte detrator seu), da revista Rolling Stone, na exibição para a imprensa. Travers, assim como todos nós, admitiu ter grandes esperanças para o novo filme de Bay, afinal a obra foi produzida pela bagatela de $26 milhões, o que geralmente é o valor do lanche da equipe dos filmes do diretor. O fato poderia traduzir em uma obra mais intimista e honesta.

10

Participe do nosso GRUPO ESPECIAL do Facebook » https://goo.gl/kg8NYU

     

Porém, com incômodos 130 minutos de projeção, é seguro dizer que esse é o pior filme da carreira de Michael Bay. Por mais que seus filmes anteriores fossem considerados idiotas, ainda existia certo teor de diversão. Sem Dor, Sem Ganho é simplesmente doloroso de assistir. Um filme sem qualquer valor de entretenimento, mas no entanto vendido de tal forma. Essa pode ter sido a pior ideia de todos os tempos a ser transformada num filme de verão americano, um blockbuster que deveria causar identificação, distração e divertimento.

Baseada em fatos reais, a história apresenta três marombeiros de cabeça oca, que planejam e sequestram um sujeito, na Miami dos anos 1990. Comandados pelo personagem de Mark Wahlberg (Linha de Ação), os sujeitos musculosos torturam o pobre infeliz, e numa cena realmente grotesca e difícil de ser assistida, tentam repetidas vezes matar a vítima das formas mais inusitadas. É como assistir a um desastre de trem. O problema realmente é que tudo é feito com a finalidade de arrancar risadas da plateia. Deveríamos rir da imbecilidade do trio, quando na verdade nos contorcemos identificando com o sofredor.

11

Assim como na comédia lançada direto para vídeo no Brasil, 30 Minutos ou Menos (também baseada em fatos reais), os envolvidos com a verdadeira história reclamaram que um fato que só causou sofrimento para todos tenha sido tema de uma obra voltada ao entretenimento. A diferença é que 30 Minutos ou Menos mergulha totalmente na caricatura, e não deixa dúvida de que estamos assistindo a uma comédia. Bay parece ter aspirações maiores.

Ele não deseja fazer somente um filme de comédia, mas sim uma sátira, como a indicada ao Oscar Sofia Coppola fez com seu Bling Ring. Mas talvez Bay não esteja preparado para tanto. Como na maioria de seus filmes ele deseja abraçar o mundo, nem de perto chegando próximo ao alvo. Sem Dor, Sem Ganho é uma comédia, uma sátira, um filme de ação e um filme de sequestro. Mas acima de tudo é uma das produções mais sem alegria e de forma geral desagradável que assisti em muito, muito tempo.

[AVISO] Os comentários passam por uma aprovação e podem demorar até 24 horas para serem disponibilizados no site. Comentários com conteúdo ofensivo serão deletados, e o usuário pode ser banido. Respeita a opinião alheia e comporte-se.