Especial 'Vingadores: Guerra Infinita' | Homem de Ferro

Especial 'Vingadores: Guerra Infinita' | Homem de Ferro


🍿 URGENTE! Inscreva-se no nosso canal do YouTube para receber vídeos EXCLUSIVOS e PROMOÇÕES! 🍿



Faltam nove dias para a estreia de Guerra Infinita. Começando hoje, o CinePOP postará diariamente um especial sobre cada franquia da Marvel até o dia 26, quando a maior reunião de super-heróis da história enfim chegará aos cinemas.

Falemos então da pioneira. Aquela que fazia parte de um universo bem maior, só não sabia ainda.

 

Lançada em 2008, a franquia Homem de Ferro estreou nos cinemas com os dois pés na porta. Sob a desconfiança geral por ser a adaptação de um herói de segundo escalão dos quadrinhos, o filme de Jon Favreau acabou se tornando um marco para o gênero no cinema ao introduzir um protagonista com aspectos de anti-herói em uma aventura divertida, pé no chão e recheada de humor.




Foi o primeiro passo do Universo Cinematográfico Marvel nas telonas, o mesmo que rende bilhões e bilhões para a Disney anualmente. E pensar que tudo isso começou com o herói enlatado mais rejeitado de todos. Você sabia que os direitos do personagem passaram pelas mãos da Universal, Fox e New Line antes de retornarem para a Marvel? E que Tony Stark quase foi interpretado por Nicolas Cage? Essas e mais outras curiosidades você confere aqui!

Homem de Ferro:

Tony Stark é um industrial bilionário e inventor brilhante que realiza testes bélicos no exterior, mas é sequestrado por terroristas que o forçam a construir uma arma devastadora. Em vez disso, ele constrói uma armadura blindada e enfrenta seus sequestradores. Ao voltar para os EUA, Stark aprimora a armadura e a utiliza para combater o crime.

  • A Primeira Versão do Roteiro Era Bem Diferente

Descartada muito rapidamente, a primeira versão do roteiro poderia ter mudado completamente o Universo Cinematográfico Marvel como o conhecemos. A diferença primordial é que o vilão do filme seria o Mandarim. Essa ideia persistiu por muito tempo, mas terminou sendo descartada por opção do diretor. A outra, pasmem, situaria o filme no mesmo universo que a trilogia Homem Aranha, do Sam Raimi. Haveria uma citação aos tentáculos do Doutor Octopus (Alfred Molina) nas invenções de Tony Stark, mas a Sony não tinha nem um pingo de interesse em se associar ao Marvel Studios, que ainda tentava se recuperar da quase falência nos anos 90. Resultado? Roteiro descartado e nada de Tobey Maguire no UCM.

  • O Filme Foi Gravado Sem Ter O Roteiro Pronto

Jeff Bridges foi bem enfático ao definir Homem de Ferro como um “filme colegial de 200 milhões de dólares”. Após ser reescrito várias vezes, o roteiro final não estava finalizado quando as filmagens começaram. Na verdade, grande parte dos diálogos foi improvisada pelos atores. Para isso, Jon usava duas câmeras com Downey Jr., um improvisador de primeira linha. A primeira garantia a versão do improviso já “autorizada” pela direção, enquanto a segunda focava em variações da mesma fala que o ator fazia para tentar melhorar o personagem.

O último trabalho da lenda dos efeitos práticos, Stan Winston, foram as armaduras do Homem de Ferro. Todo o visual foi pensado e desenhado pelo quadrinista Adi Granov, mas construí-las e colocá-las em prática foi trabalho de um senhor que tinha no currículo os dinossauros de Jurassic Park, as máquinas de Exterminador do Futuro, os dois primeiros filmes do Predador e os xenomorphos de Aliens. O trabalho foi tão perfeito que sua equipe foi convocada para ajudar na confecção de um traje militar norte-americano inspirado no filme.
 Stan faleceu em junho de 2008.

  • Vários Atores Quase Foram Tony Stark

Essa história é mais conhecida. Tom Cruise teve seu nome ligado ao projeto por cerca de dez anos. Ele pulou fora após ter sido chamado, em 2004, para estrelar o filme Guerra dos Mundos, de Steven Spielberg.
Outro ator que quase pegou o papel foi o ~exótico~ Nicolas Cage, um grande fã de quadrinhos. Seu motivo para não seguir com a Marvel Studios foi a franquia Motoqueiro Fantasma. Não sabemos se arrependimento mata, mas esse aí deve persegui-lo até hoje.
Por fim, Sam Rockwell foi um dos finalistas no casting do playboy da Marvel. Ele impressionou nos testes, mas acabou sendo superado por Robert Downey Jr.
Sam, entretanto, foi chamado na continuação para viver o rival de Tony, Justin Hammer.

  • Há Uma Referência Ao Desenho dos Anos 60

Uma das marcas mais comentadas da Marvel são os desenhos dos anos 60. O produto não era da melhor qualidade, e as animações eram quadrinhos quase sem movimento, animados da forma mais simples possível.
Mas se há uma coisa que marcou as crianças daquela geração, foram as músicas. Todo mundo conhece o tema do Homem Aranha dos anos 60, por exemplo. Agora, as marchinhas do Capitão América e do Homem de Ferro ficaram mais populares nos EUA.
Como forma de homenagear o personagem, Jon Favreau inseriu o tema do Latinha em três cenas do filme: como música de fundo no cassino, no quarto de Tony e no ringtone de James Rhodes, na cena em que Stark tenta fugir de dois caças da Força Aérea.

(A partir de 1:03)

 

Homem de Ferro 2:

Em um mundo ciente da existência do Homem de Ferro, o inventor bilionário Tony Stark sofre pressão de todos os lados para compartilhar sua tecnologia com as forças armadas. Ele resiste para divulgar os segredos de sua inigualável armadura, com medo de que estas informações caiam nas mãos erradas. Com a bela Pepper Potts e o amigo "Rhodey" Rhodes ao seu lado, Tony precisa forjar novas alianças e confrontar um inimigo poderoso.

  • O Vilão Whiplash Tinha Uma Tatuagem Do Loki

Mickey Rourke visitou uma prisão na Rússia para compor a personalidade de seu grande vilão. Além de dizer que Whiplash era Eslovaco, o “tour” de Mickey pelo crime russo o deixou apto a escolher todas as tatuagens que seu personagem teria, incluindo uma do Deus da Trapaça, Loki (Tom Hiddleston), no pescoço.

Você não notou?

Tudo bem, não é culpa sua. Ela foi digitalmente removida da versão final do filme porque a Marvel pensou que isso confundiria o público com alguma possível ligação com o vilão de Thor (Chris Hemsworth).

  • A Mark V É Uma Referência Direta Aos Quadrinhos

Talvez a sequência mais legal do filme seja a batalha em Mônaco. O vilão Whiplash invade uma pista de corrida para tentar humilhar publicamente Tony Stark, que se vê cara a cara com o malfeitor sem ter o traje de Homem de Ferro por perto. Happy e Pepper (Jon Favreau e Gwyneth Paltrow, respectivamente) levam uma maleta vermelha que se transformar em uma espécie de armadura portátil.

Visualmente falando, a cena é incrível! E também remete aos quadrinhos dos anos 60, aonde o vingador carregava sua roupa de herói em uma maletinha de couro. Claro que não era tão tecnológica como a versão do filme, mas ainda assim é uma referência muito legal.

  • Samuel L. Jackson Quase Não Retornou Como Nick Fury

Jon Favreau tinha prometido a Sam Jackson mais tempo de tela caso o primeiro Homem de Ferro desse certo. O tempo passou, o filme deu certo, e sua continuação tinha o indigesto trabalho de pavimentar o caminho rumo a junção dos Vingadores. Com isso, Jon convocou seus atores, mas quase não pode contar com seu Nick Fury .

Ao que parece, Samuel L. Jackson teve uma indisposição financeira com a Marvel, chegando a declarar publicamente que não confirmava seu retorno ao personagem.

Depois dessa entrevista, o setor financeiro do estúdio abriu os cofres e anunciou um contrato para nove filmes com o ator. Já pensou a SHIELD sem seu comandante?

  • Bruce Banner Apareceria No Filme

A primeira versão de Homem de Ferro 2 contava com uma cena pós-créditos promovendo o encontro de Tony Stark (Robert Downey Jr.) com o Bruce Banner de Edward Norton. Ela serviria para aumentar o hype dos fãs pela Iniciativa Vingadores.

A cena em questão tinha grande apoio do próprio Edward Norton, que sonhava em dirigir o filme dos Vingadores. Ela acabou sendo descartada por conta da relação conturbada entre o ator e o estúdio.

Essa história também é famosa. Emily foi a primeira opção para viver Natasha Romanoff. O motivo que a fez desistir do papel deve causar arrependimento até hoje. Sua agenda com a Marvel estava em conflito com as filmagens de As Viagens de Gulliver, filme de Jack Black, que foi considerado um fracasso total de crítica e bilheteria.
Na outra ponta, Scarlett Johansson foi escolhida depois de considerarem atrizes como Angelina Jolie, Natalie Portman e Jessica Biel. Ela estava tão ansiosa em interpretar a espiã, mas tão ansiosa, que antes mesmo de ser escolhida, ela já havia pintado o cabelo de vermelho e começado a fazer um treinamento físico por conta própria.

Homem de Ferro 3:

Depois de um inimigo reduzir o mundo de Tony Stark a destroços, o Homem de Ferro precisa aprender a confiar em seus instintos para proteger aqueles que ama, especialmente sua namorada, e lutar contra seu maior medo: o fracasso.

Jon Favreau abandonou a cadeira de diretor para se dedicar a dois “projetos pessoais”, os filmes Chef (2014) e Mogli: O Menino Lobo (2016). A escolha de seu substituto não foi muito demorada.
Além de ser amigo pessoal de Robert Downey Jr., o diretor Shane Black serviu como consultor não creditado para o roteiro de Homem de Ferro 2, além de ter dado uns pitacos no primeiro filme também. Com essa relação positiva entre direção e elenco, tudo parecia fluir muito bem, mas acabou que as filmagens de Homem de Ferro 3 foram muito conturbadas. De troca de atrizes a um acidente com o grande astro da franquia, o clima não foi dos melhores.

Passada a indecisão de incluir o Mandarim ou não no filme de origem, Jon Favreau começou a enxergar seu material como uma trilogia. Em sua visão, o Mandarim estaria por trás de todos os inimigos nos capítulos um e dois da franquia, fazendo dele o grande nêmesis do Homem de Ferro. Por isso, ele foi bem cuidadoso ao deixar vários easter eggs remetendo ao personagem nos longas anteriores.

Porém, Favreau deixou o cargo de diretor para Shane Black (Beijos e Tiros), que achou melhor fazer as “belíssimas” mudanças vistas no filme para deixar o Mandarim mais realista. Seu grande medo era taxarem o filme de racista por incluir um chinês com anéis mágicos. No lugar, ele colocou um ator de ascendência indiana para interpretar um terrorista. “Jênio”...

  • O Orçamento de Homem de Ferro 3 foi diretamente influenciado por Os Vingadores

Os Vingadores foi um sucesso absoluto de crítica e, principalmente, bilheteria. Arrecadando mais de 1,5 bilhão de dólares, o filme chocou positivamente a Disney, que não esperava uma bilheteria tão absurda assim. Graças a essa fortuna, o orçamento previsto para Homem de Ferro 3 ganhou um bônus, indo de 140 milhões para 200 milhões de dólares.
No final, o terceiro capítulo da história de Tony Stark rendeu mais de 1,2 bilhão de dólares. Parece que o investimento não foi tão caro assim, não é mesmo?

Uma das atrizes mais renomadas dessa geração teve um papel oferecido em Homem de Ferro 3. Ela viveria a cientista Maya Hansen.
Infelizmente, a agenda dela entraria em conflito caso aceitasse a proposta, então negou a oportunidade e se disse muito honrada pelo convite.
Após nomes como Isla Fisher e Diane Kruger não serem aprovados, a britânica Rebecca Hall foi anunciada para o papel. Até que a recusa de Chastain não foi de todo ruim, o personagem não conquistou o público com seu pouco tempo de tela.

  • A cena pós-créditos original do filme levaria Tony Stark ao espaço para introduzir os Guardiões da Galáxia!

Esse é um daqueles casos que alguns fãs adoram teorizar, enquanto outros preferem pensar que isso nem foi cogitado. A verdade é que o filme não terminaria com Tony abandonando as armaduras, mas sim com ele voando para o espaço e encontrando com os Guardiões, tal quais os quadrinhos da época.
Isso teria influenciado diretamente na participação precoce dos anti-heróis galácticos no UCM e provavelmente o filme de James Gunn não teria a mesma liberdade que foi concedida. A armadura da cena chegou até a vazar na internet, mas o diretor Shane Black preferiu encerrar o arco solo do personagem com ele aposentando o traje de ferro (até o próximo Vingadores, né...). No lugar, a nova cena pós-créditos envolveu Bruce Banner (Mark Ruffalo) bancando o psicólogo de Tony. Teria sido interessante ver Tony e os Guardiões em 2013 ou a introdução deles foi melhor no filme de 2014? Nunca saberemos.

 

Os Vingadores: Guerra Infinita estreia em 26 de abril de 2018





Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c