Festival Varilux


Crítica | Um Amor à Altura

Crítica | Um Amor à Altura

Todo homem é poeta quando está apaixonado. Após o ótimo O Pequeno Nicolau e sua sequência, o diretor francês Laurent Tirard volta às telonas dessa vez para um remake de um filme argentino de sucesso Coração de Leão – O Amor Não Tem Tamanho. Contando no elenco com..
Crítica | Chocolate

Crítica | Chocolate

Respeitável público cinéfilo, chega diretamente da França um dos filmes mais carismáticos que vão entrar no circuito em breve aqui no Brasil, Chocolate. Selecionado para o Festival Varilux de Cinema Francês deste ano o longa-metragem dirigido pelo ator e diretor Roschdy Ze..
Crítica | A Corte

Crítica | A Corte

Se o amor é fantasia, eu me encontro ultimamente em pleno carnaval. Escrito e dirigido pelo cineasta parisiense Christian Vincent (Os Sabores do Palácio), A Corte fala sobre a rigidez e postura de uma alma tímida e sem coragem para amar. Protagonizado pelo excelente Fabrice Lu..
Crítica | Agnus Dei

Crítica | Agnus Dei

Não é preciso que a bondade se mostre mas sim é preciso que se deixe ver. Com uma direção muito competente e segura da cineasta Anne Fontaine, um dos grandes destaques do Festival Varilux de Cinema 2016, Agnus Dei, é um filme que comove do início ao fim. Baseado em fatos r..
Crítica | Um Belo Verão

Crítica | Um Belo Verão

Tão bom morrer de amor e continuar vivendo. Dirigido pela cineasta francesa Catherine Corsini, do ótimo Partir (2009), Um Belo Verão, que faz parte da programação do Festival Varilux de Cinema Francês 2016, é um filme que fala sobre a luta das mulheres na década de 70 e u..
Crítica | Os Cowboys

Crítica | Os Cowboys

Até onde devemos ir por quem amamos mas não querem estar perto com nossa presença? Um dos filmes mais fortes do Festival Varilux de Cinema Francês 2016, sem dúvidas nenhuma é o espetacular drama Os Cowboys, protagonizado pelo ótimo ator François Damiens e com uma atuaçã..
Crítica | Um Doce Refúgio

Crítica | Um Doce Refúgio

Escrito, dirigido e interpretado pelo artista francês Bruno Podalydès, o filme mais doidinho do Festival Varilux de Cinema Francês 2016, Um Doce Refúgio, é uma prosa leve e suave sobre o despertar para a vida através de uma simples obsessão. Ao longo dos 105 minutos de pro..