O Exorcismo no Cinema

O Exorcismo no Cinema

COMPARTILHE!

Por Leonardo Campos

Antes de começar a ler este especial, feche os seus olhos e faça a contagem. Quantas tramas sobre exorcismo você já assistiu? Muitas, não é verdade? Pois observe que o tema está com tudo em 2016 e vai entrar 2017, bem provável, cheio de possibilidades. A primeira semana de estreias do ano já traz Dominação, produção sobre possessão demoníaca como um dos principais lançamentos do final de semana.

Mesmo que você não tenha assistido, provavelmente já deve ter lido algo sobre o filme O Exorcista, clássico dirigido por William Friedkin, baseado na obra homônima de William Peter Blatty. Sucesso de bilheteria e crítica, o filme foi indicado a 10 prêmios na cerimônia do Oscar, além de circular por outras premiações, tais como o Globo de Ouro, BAFTA, etc.

A narrativa é uma espécie de “marco” para os filmes de exorcismo, um subgênero do terror, assim como os filmes de tubarão, psicopatas mascarados e vampiros. Poucos, no entanto, conseguiram alcançar excelência em suas tramas. O Exorcismo de Emily Rose foi o melhor. As sequências de O Exorcista foram ruins, Dominação (com Winona Ryder), Renascida do Inferno, Stigmata e O Último Exorcismo ficaram devendo bastante, além das numerosas versões lançadas diretamente para vídeo, em sua maioria, fracassos ululantes de crítica e questionáveis desde a elaboração dos seus cartazes.

     

Saiba mais sobre o tema no cinema e nas artes em geral, além de uma análise da versão televisiva que teve a sua primeira temporada encerrada em dezembro.

O que é um exorcismo?

O termo designa o ritual que é executado por uma pessoa autorizada pela instituição maior (a Igreja) a expulsar espíritos malignos de alguém tomado por forças demoníacas. Durante os registros da sua história, o cristianismo relatou episódios de Cristo expulsando demônios, mas observa-se, através de estudos antropológicos, que esta prática é antiga e faz parte da crença de muitas religiões e culturas, cada uma com suas peculiaridades.

Na dinâmica ficcional, o ato geralmente é comandado seguindo a liturgia católica. Trata-se de uma ação constituída por palavras e gestos, sinal da cruz, água benta, imposição das mãos e desempenho sério diante das supostas forças do mal.

No âmbito artístico o exorcismo já foi muito bem representado através de duas pinturas famosas, executadas por Giotto (figura 01) e Goya (figura 02).

O EXORCISMO NO CINEMA

Desde o sucesso de O Exorcista vários filmes tentaram pegar carona na temática. Acompanhe a lista de obras sobre o assunto. Sabemos que o espaço é limitado para a quantidade de filmes sobre o assunto, sendo assim, serão apresentados apenas os ditos principais filmes de acordo com a projeção industrial. Há outros filmes que poderiam fazer parte desta lista, mas com a quantidade de produções do subgênero, torna-se um exercício hercúleo catalogá-las. Analise a lista, assista aos filmes e se ficar com medo, não tenha receio de deixar as luzes acesas.

01. O EXORCISTA

Em Georgetown, Washington, uma atriz vai gradativamente tomando consciência que a sua filha de doze anos está tendo um comportamento completamente assustador. Deste modo, ela pede ajuda a um padre, que também um psiquiatra, e este chega a conclusão de que a garota está possuída pelo demônio. Ele solicita então a ajuda de um segundo sacerdote, especialista em exorcismo, para tentar livrar a menina desta terrível possessão.

Veredicto: Por que devo assistir? Porque é um dos maiores clássicos do cinema. Tudo funciona muito bem e a narrativa deu o impulso para a criação de um subgênero até então não explorado pelo cinema.

 

02. O EXORCISMO DE EMILY ROSE

Emily Rose (Jennifer Carpenter) é uma jovem que deixou sua casa em uma região rural para cursar a faculdade. Um dia, sozinha em seu quarto no alojamento, ela tem uma alucinação assustadora, perdendo a consciência logo em seguida. Como seus surtos ficam cada vez mais frequentes, Emily, que é católica praticante, aceita ser submetida a uma sessão de exorcismo. Quem realiza a sessão é o sacerdote de sua paróquia, o padre Richard Moore (Tom Wilkinson). Porém Emily morre durante o exorcismo, o que faz com que o padre seja acusado de assassinato. Erin Bruner (Laura Linney), uma advogada famosa, aceita pegar a defesa do padre Moore em troca da garantia de sociedade em uma banca de advocacia. À medida que o processo transcorre o cinismo e o ateísmo de Erin são desafiados pela fé do padre Moore e também pelos eventos inexplicáveis em torno do caso.

Veredicto: A dinâmica do julgamento e os debates entre o discurso religioso e a razão fizeram do filme um sucesso de crítica e bilheteria. Ao lado de Invocação do Mal, O Exorcismo de Emily Rose figura como um dos melhores sucessores do clássico de William Friedkin.

03. O ÚLTIMO EXORCISMO

Numa fazenda no estado de Louisiana, nos Estados Unidos, Louis Sweetzer (Louis Herthum) acredita que sua filha Nell (Ashley Bell) está possuída por um demônio. Ele chama o reverendo Cotton Marcus (Patrick Fabian), com dezenas de exorcismos realizados, para salvar a jovem. Marcus decide filmar este seu último exorcismo, mas o que encontra no local é diferente de tudo que já tinha visto antes.

Veredicto: A associação direta com o clássico dos anos 1970 não é algo negativo. Um filme mediano.

04. O ÚLTIMO EXORCISMO  2

Após escapar do ritual realizado por um culto, que desejava que ela desse a luz a um filho demoníaco, a jovem Nell Sweetzer (Ashley Bell) é encontrada suja e completamente aterrorizada na floresta. Apesar de ser examinada por uma equipe médica, Nell não se lembra bem do que lhe aconteceu. Ela decide se mudar para a pequena cidade de Davreaux, onde tenta recomeçar a vida em um lar para garotas abandonadas. Entretanto, não demora muito para que o demônio Abalam volte a atormentá-la. Desta vez, Nell poderá contar com uma poderosa equipe de exorcistas, que conhecem as técnicas mais avançadas para livrá-la de uma vez por todas desse mal

Veredicto: continuação barata de linha Z.

05. O RITUAL

Michael Kovak (Colin O’Donoghue) é um seminarista cético e decidido a abandonar seu caminho na igreja, mas seu superior o orienta a passar um período no Vaticano para estudar rituais de exorcismo. Uma vez lá, suas dúvidas e questionamentos só aumentam na medida em que seu contato com o padre Lucas (Anthony Hopkins), um famoso jesuíta exorcista, o apresenta ao lado mais obscuro da igreja. Ao conhecer a jornalista Angeline (Alice Braga), que investiga as atividades do religioso, suas reflexões sobre a crença no diabo e em Deus não param de crescer.

Veredicto: é um irregular e bastante subserviente ao clima de O Exorcista, no entanto, é uma produção do mainstream e interessa a todos que gostam do tema.

06. DOMINAÇÃO

Maya Larkin (Winona Ryder), uma jovem e religiosa mulher, o alvo perfeito para o demônio tome conta de seu corpo e passe a vagar livremente pela face da terra. Mas, por ser protegida pelo Padre Lareaux (John Hurt), que convence um grupo de padres de que o Anticristo voltará Terra na pele de Maya, o demônio desiste da possessão e parte para um novo alvo: o jovem jornalista Peter Kendell (Ben Chaplin), a quem Maya deve alertar sobre o perigo que está correndo

Veredicto: O clima sombrio e a direção de arte são eficientes, mas o roteiro se arrasta demais para fazer as coisas acontecerem.

07. LIVRAI-NOS DO MAL

O policial Ralph Sarchie (Eric Bana) tem uma intuição especial, que sempre o leva a combater casos extremos e perigosos. Em uma mesma semana ele se depara com um bebê jogado no lixo e uma mãe que atira seu filho na jaula dos leões em um zoológico. Intrigado pelos acontecimentos, ele começa a investigar as pessoas responsáveis, suspeitando que alguma força sobrenatural esteja por trás das histórias. Com a ajuda de um padre especializado em demonologia (Edgar Ramírez), Sarchie descobre uma verdade assustadora, muito além do seu mundo cético e racional

Veredicto: tem muitas falhas, mas o clima urbano e o visual fazem do filme uma produção acima da média.

08. INVOCAÇÃO DO MAL

Harrisville, Estados Unidos. Um casal (Ron Livinston e Lili Taylor) muda para uma casa nova ao lado de suas cinco filhas. Inexplicavelmente, estranhos acontecimentos começam a assustar as crianças, o pai e, principalmente, a mãe. Preocupada com algumas manchas que aparecem em seu corpo e com uma sequência de sustos que levou, ela decide procurar um famoso casal de investigadores paranormais (Patrick Wilson e Vera Farmiga), mas eles não aceitam o convite, acreditando ser somente mais um engano de pessoas apavoradas com canos que fazem barulhos durante a noite ou coisas do gênero. Porém, quando eles aceitam fazer uma visita ao local, descobrem que algo muito poderoso e do mal reside ali. Agora, eles precisam descobrir o que é e o porquê daquilo tudo acontecendo com os membros daquela família. É quando o passado começa a revelar uma entidade demoníaca querendo continuar sua trajetória de maldades

Veredicto: impactante, talvez seja o filme com as melhores cenas de exorcismo posteriores ao clássico dos anos 1970.

09. DIÁRIO DE UM EXORCISTA – ZERO

Lucas Vidal é um homem que decide dedicar sua vida à obra da igreja após uma tragédia envolvendo seus pais. Ele, entretanto, não estava preparado para enfrentar o seu maior inimigo: o próprio Diabo, que cruza seu caminho através de uma violenta possessão do tinhoso – para o qual, Lucas é chamado à trabalhar de exorcista. O caso, entretanto, sai do controle, e ele irá enfrentar sérios problemas para distinguir quem são os que estão sob a influência do cramunhão.

Veredicto: um subgênero não explorado por nosso cinema. Depois de Exorcismo Negro, de Zé do Caixão, a única produção direta no que tange ao tema. Vale a pena conferir.

10. REQUIEM

É um filme do cineasta alemão Hans-Christian Schmid que conta a história da jovem alemã Michaela Klingler que acreditava estar possuída por demônios, mas que, segundo a narrativa do filme, sofre de um quadro raro de epilepsia combinada com esquizofrenia que provoca alucinações constantes e comportamentos anormais. No lugar de ir em busca de ajuda médica, a jovem decide se submeter a sessões de exorcismo durante semanas ministradas por padres católicos, com consequências gravíssimas para a sua saúde mental e física (Baseado no exorcismo de Anneliese Michel).

Veredicto: não espere efeitos especiais e cenas grotescas demais. O que vale aqui é o drama. Uma boa pedida, afinal, sempre interessante ver outra versão de uma história, não é mesmo?

 

THE EXORCIST: A VERSÃO TELEVISIVA

Com produção do showrunner Jeremy Slater, a versão televisiva do clássico estabelece inicialmente relações com o romance de William Peter Blatty, para mais adiante, mostrar-se conectado diretamente com o filme. Com Geena Davis no papel principal, o mote gira em torno de uma família atormentada por uma presença maligna. Paralelo aos acontecimentos, temos a chegada do papa, envolvida numa conspiração demoníaca, além de crimes brutais demonstrando que os tempos não estão bons. Em dez episódios a série conseguiu segurar uma trama coesa, visualmente deslumbrante e dramaticamente eficiente.

 

O QUE TEM SIDO PUBLICADO SOBRE O ASSUNTO?

1 – O Demonologista – Andrew Pyper

‘A maior astúcia do Diabo é nos convencer de que ele não existe’, escreveu o poeta francês Charles Baudelaire. Já a grande astúcia de Andrew Pyper, autor de ‘O Demonologista‘ é fazer até o mais cético dos leitores duvidar de suas certezas. E, se possível, evitar caminhos mal-iluminados. O personagem que dá título ao livro é David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo – principalmente na obra-prima de John Milton, ‘Paraíso Perdido‘. Para David, o Anjo Caído é apenas um ser mitológico. Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas um boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma. Enquanto corre contra o tempo, David precisa decifrar pistas escondidas no clássico ‘Paraíso Perdido‘, e usar tudo o que aprendeu para enfrentar O Inominável e salvar sua filha do Inferno

2 – Ed e Lorraine Warren – Demonologistas

Eles enfrentaram os mistérios mais sinistros dos últimos sessenta anos, sempre em busca da verdade. Agora é a sua vez de entrar em contato com o sobrenatural. Você tem coragem? Então leia ‘Ed & Lorraine Warren: Demonologistas‘, a biografia definitiva dos mais famosos investigadores paranormais do nosso plano astral. Não é de hoje que os fãs do terror conhecem Ed Warren e sua esposa, Lorraine. O casal foi retratado em filmes de grande sucesso, como Invocação do Mal, Annabelle e Horror em Amityville. Mas basta folhear as páginas de ‘Ed & Lorraine Warren: Demonologistas‘ para constatar que, muitas vezes, a vida pode ser bem mais assustadora que o cinema. No livro, Gerald Brittle desvenda alguns dos principais casos reais vividos pelos Warren. Ed e Lorraine permitiram ao autor acesso exclusivo aos seus arquivos sobrenaturais, que incluem relatos extraordinários de poltergeists, casas mal-assombradas e possessões demoníacas. O resultado é um livro rico em detalhes como nenhum outro. “Minha pesquisa foi totalmente baseada em Ed & Lorraine Warren: Demonologistas.”— Vera Farmiga — “É o livro mais assustador que já li.” — James Wan, diretor de Invocação do Mal 2.

3 – Exorcismo – Thomas B. Allen  

A história real que inspirou o clássico O Exorcista. “Livrai-nos de todo o mal, amém.

Um fenômeno quase paranormal atingiu o mundo em 1973. Multidões sofreram de náuseas, desmaios, alucinações e calafrios, numa histeria coletiva sem precedentes. Todos aparentemente possuídos por um filme: o já clássico O Exorcista, dirigido por William Friedkin e adaptado do romance que o roteirista Willian Peter Blatty lançara dois anos antes e que completa 45 anos em 2016. Se a ficção consegue ser tão assustadora, imagine o poder contido na história real? Muitos não sabem, mas a obra-prima de W. Peter Blatty não se trata de uma invenção. Ela foi inspirada num fenômeno ainda mais sombrio, desses que a ciência não consegue explicar: um exorcismo de verdade. A “história real” aconteceu em 1949, e você pode conhecê-la — se tiver coragem! — no livro Exorcismo, do jornalista Thomas B. Allen, Exorcismo narra em detalhes os fatos que aconteceram com Robert Mannheim, um jovem norte-americano de 14 anos que gostava de brincar com sua tábua ouija, presente que ganhou de uma tia que achava ser possível se comunicar com os mortos.  Thomas B. Allen contou com uma santa contribuição para a pesquisa do seu trabalho. Ele teve acesso ao diário de um padre jesuíta que auxiliou o exorcista Bowdern. Como resultado, seu livro é considerado o mais completo relato de um exorcismo pela Igreja Católica desde a Idade Média. Os investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren definiram a obra de Thomas B. Allen como um documento fascinante e imparcial sobre a lluta diária entre o bem e o mal

O QUE VEM POR AÍ?

Dia 05 de janeiro é a estreia de Dominação. Assista ao trailer:


Crítica | Annabelle 2 - A Criação do Mal - Vale a pena?



» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

[AVISO] Os comentários passam por uma aprovação e podem demorar até 24 horas para serem disponibilizados no site. Comentários com conteúdo ofensivo serão deletados, e o usuário pode ser banido. Respeita a opinião alheia e comporte-se.