Os 10 Filmes menos engraçados indicados ao Globo de Ouro de Comédia

COMPARTILHE!

Acontece nesse domingo, 10 de Janeiro, a cerimônia de entrega dos prêmios do Globo de Ouro. Como todo prêmio de cinema, houve certamente uma boa dose de controvérsia, o que entra na lista de atrativos do evento. E um aspecto que quase sempre rende discussões é a categoria específica para filmes musicais e de comédia.

Neste ano, dois filmes surpreenderam por entrar na categoria Melhor Comédia/Musical: ‘Joy: O Nome do Sucesso‘ e ‘Perdido em Marte‘.

Pensando nisso, fizemos a lista com os filmes que definitivamente entraram na categoria errada ao longo dos anos na premiação da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood.




Seja por sua qualidade questionável ou por sua falta de algum humor que justificasse a indicação como comédia, conheça abaixo 10 dos filmes menos engraçados que foram indicados como comédias no Globo de Ouro:

 

GG Chocolate

Chocolate




O romance é centrado em uma mulher, vivida por Juliette Binoche, e sua filha, que abrem uma loja de chocolates em um vilarejo francês e chacoalham a moral dos habitantes. Johnny Depp estrela como um cigano sensual com quem a protagonista se envolve.

‘Chocolate’ concorreu com os divertidos ‘E Aí Meu Irmão, Cadê Você?’, dos fantásticos irmãos Coen, e ‘A Fuga das Galinhas’, a espirituosa animação em stop-motion do estúdio Aardman.

Binoche foi indicada como Melhor Atriz em Comédia ou Musical e Judi Dench figurou entre as atrizes coadjuvantes. O longa teve tanto cacife que emplacou as mesmas indicações no Oscar, além de Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Trilha Sonora e Melhor Filme.

Entre as comédias que ficaram de fora do Globo de Ouro, estão o bem-sucedido ‘Entrando Numa Fria’, com Robert De Niro e Ben Stiller, e o cultuado ‘Alta Fidelidade’, estrelado por John Cusack. De Niro e Cusack, por outro lado, concorreram por suas performances.

GG Herói da Família

O Herói da Família

Outro drama com toques cômicos, ‘O Herói da Família teve no elenco Charlie Hunnam, Anne Hathaway e Jamie Bell, ainda jovens. Também estrelaram veteranos como Christopher Plummer e Jim Broadbent.

A premissa é tudo, menos cômica: um jovem chamado Nicholas Nickelby (Hunnam) precisa cuidar de sua mãe e de sua irmã após a morte de seu pai, que os deixa arrasados e sem um tostão. Eles se mudam para Londres para pedir ajuda ao tio Ralph (Plummer), mas o homem quer apenas dividir e explorar a família.

Não por acaso, o roteiro é baseado em um livro de Charles Dickens, escritor que assinou histórias tristes com tom de sátira social, como ‘Oliver Twist’. O filme traz doses de humor, mas é definitivamente considerado um drama.

‘O Herói da Família disputou o Globo de Ouro com os cultuados ‘Adaptação’ e ‘Um Grande Garoto’, mas perdeu para o musical ‘Chicago’, que em seguida levaria o Oscar.

GG Marilyn

Sete Dias com Marilyn

Marilyn Monroe foi uma das divas de Hollywood por excelência, e era bem conhecida por papéis em musicais como ‘Os Homens Preferem as Loiras’ e ‘Adorável Pecadora’. A cinebiografia ‘Sete Dias com Marilyn’ não faz tanto uso de números musicais para contar a história da estrela, então, sua indicação ao Globo de Ouro se deve especialmente pela comédia.

O problema é que é difícil considerar este o gênero principal do longa, que retrata a paixão de um jovem (Eddie Redmayne) por Monroe e a difícil convivência da atriz com o astro Laurence Olivier (Kenneth Branagh).

Mesmo assim, o filme emplacou indicações nas categorias de Melhor Filme, Melhor Atriz para Michelle Williams e Melhor Ator Coadjuvante para Branagh. Williams voltou para casa com o troféu, vencendo Kate Winslet (‘Deus da Carnificina’) e Charlize Theron (‘Jovens Adultos’).

Este foi outro dos filmes do Globo de Ouro a transportar seu prestígio até o Oscar, e teve tanto Williams quanto Branagh na disputa.

A categoria de Comédia ou Musical foi bem representada por ‘50%’, ‘O Artista’, ‘Meia-Noite em Paris’ e ‘Missão Madrinha de Casamento’, mas 2011 também foi o ano de ‘Quero Matar Meu Chefe’ e ‘Os Muppets’, que se encaixariam bem melhor na ala das comédias.

GG Alice

Alice no País das Maravilhas

O sucesso bilionário transformou sua enorme bilheteria em uma indicação ao troféu de Melhor Filme de Comédia ou Musical, o que causou alguma surpresa. É fácil reconhecer que há alguns esforços cômicos na superprodução, mas é mais difícil considerá-los bons o bastante para render o selo de “comédia”.

Johnny Depp mais assusta do que faz rir como o Chapeleiro Maluco nessa adaptação-sequência do livro clássico de Lewis Carroll. Mesmo assim, ele concorreu como Melhor Ator, e o filme ainda conseguiu uma indicação de Melhor Trilha Sonora.

A indicação do longa na categoria principal não é muito surpreendente tendo em vista a presença do diretor Tim Burton nas edições anteriores do Globo de Ouro. Ele concorreu com ‘Ed Wood’, ‘Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas’ e ‘Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet’, sendo que este último chegou a lhe render uma vaga na categoria de Melhor Diretor, que não é dividida entre dramas e comédias/musicais.

Por bizarra que seja a presença de ‘Alice no País das Maravilhas’ na premiação, há de se admitir que a concorrência não estava tão forte…

A

O Turista

Depp concorreu não a um, mas a dois troféus em 2011, e seu outro filme foi o ainda mais infame ‘O Turista’. Mesmo contracenando com a beldade Angelina Jolie, indicada como Melhor Atriz, o astro não conseguiu dar credibilidade ao suspense romântico de ação que, reza a lenda, tem elementos cômicos.

Embora a bilheteria (especialmente a internacional) não tenha sido tão fraca, a recepção da crítica e do público em geral foi péssima, e deixou muitos se perguntando por que comédias reais como ‘Os Outros Caras’, ‘A Ressaca’ e ‘A Mentira’ não ocuparam a vaga no Globo de Ouro.

A verdade é que a maioria dos outros indicados realmente não tinha pedigree muito maior: ‘Red: Aposentados e Perigosos’ e ‘Burlesque’ não estavam exatamente cheirando a prêmios. Quem estava, por outro lado, saiu vitorioso. A comédia (dramática, claro) ‘Minhas Mães e Meu Pai’ não só venceu o Globo de Ouro, como também emplacou quatro indicações ao Oscar, incluindo Melhor Roteiro Original e Melhor Filme.

GG Amor

Amor Impossível

Este misto de comédia, romance e drama não foi um completo desastre. Apesar da bilheteria pífia, o longa chegou a angariar uma resposta relativamente positiva da crítica e parece ter agradado parte do (pequeno) público.

Além disso, Ewan McGregor e Emily Blunt foram elogiados por suas performances, que foram indicadas ao Globo de Ouro. Mesmo contando os elogios, este pode ter sido um dos filmes mais mornos a concorrer ao troféu de melhor comédia. Resta uma pergunta: não havia nenhuma comédia melhor?

Sim, havia. O ano de 2012 teve pelo menos grandes sucesso de público e crítica com muito mais cacife como comédias: ‘Anjos da Lei’ e ‘Ted’.

A escolha do Globo de Ouro foi tão inusitada que o filme foi reconhecido em apenas duas outras premiações, e em ambos os casos foram nomeados apenas para prêmios do público.

GG Orgulho

Orgulho e Preconceito

Qual a melhor forma de dar destaque à adaptação de um dos romances mais conhecidos da literatura? Jogando-o no Globo de Ouro como uma comédia, claro. Este é um caso clássico de indicar um filme na categoria com menos concorrência para garantir sua presença em uma premiação.

Embora essa estratégia seja comum até no Oscar, falta lógica em considerar cômico o drama de Elizabeth Bennett (Keira Knightley), uma mulher que não pode ter o homem que ama pelo fato de sua família não ser rica o bastante. A história é baseada no livro homônimo de Jane Austen, conhecida por sua ácida ironia, mas não exatamente pelas gargalhadas que suas obras causam.

Para piorar, a tática de mover o drama para a categoria menos concorrida não adiantou: ‘Johnny & June’ acabou ficando com o troféu. Pelo menos Knightley emplacou uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz.

A lista de filmes mais engraçados, ou melhor, de comédias propriamente ditas, tinha dois pesos pesados que sequer foram indicados: ‘O Virgem de 40 Anos’ e ‘Penetras Bons de Bico’.

GG Patch Adams

Patch Adams – O Amor É Contagioso

A comédia dramática foi indicada nas categorias de Melhor Filme e Melhor Ator de Comédia ou Musical (Robin Williams), mas tem a distinção de ser um dos longas mais massacrados pela crítica a concorrer na premiação (mas, é óbvio, ‘O Turista’ teve uma recepção ainda pior).

Curiosamente, as críticas negativas destacavam principalmente os esforços exagerados de fazer os espectadores se emocionarem. O que um filme tão desesperado para fazer chorar estava fazendo no meio de comédias é um mistério.
O mesmo pode ser dito do bizarro subtítulo que o filme ganhou no Brasil.

O Globo de Ouro não tinha poucas opções para colocar no lugar de ‘Patch Adams’. Os irmãos Coen tinham o cultuadíssimo ‘O Grande Lebowski’, enquanto Wes Anderson podia aparecer com seu ‘Três É Demais’ (Rushmore), que chegou a emplacar Bill Murray como Melhor Ator Coadjuvante na premiação. Outras opções incluíam a comédia romântica ‘Afinado no Amor’ e o politicamente incorreto ‘Pra Lá de Bagdá’.

GG Brilho Eterno

Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças

Você conhece uma pessoa que acredita ser o grande amor da sua vida. Vocês vivem um belo romance, mas, após várias crises, você decide passar por um procedimento que apaga completamente a pessoa amada de suas memórias. Hilário, não?

Os votantes do Globo de Ouro certamente acharam. Ou pelo menos gostaram tanto do filme de Michel Gondry que preferiram indicá-lo pelo gênero errado a deixá-lo de fora.

É verdade que a categoria de drama em 2005 estava disputada, tanto que o número de indicados chegou a 6, mas a estratégia de jogar o romance com Jim Carrey e Kate Winslet no meio de uma concorrência menor não garantiu a vitória: foi ‘Sideways – Entre umas e Outras’ que levou o troféu.

Além disso, no que parece ser um padrão, o filme chegou ao Oscar, e não só rendeu uma indicação a Winslet, como venceu o prêmio de Melhor Roteiro.

Este parece ter sido um dos anos com mais comédias icônicas esnobadas, desde ‘O Âncora: A Lenda de Ron Burgundy’ e ‘Meninas Malvadas’ até ‘Napoleon Dynamite’ e ‘A Vida Marinha com Steve Zissou’, de Wes Anderson.

GG Ghost

Ghost – Do Outro Lado da Vida

A página de ‘Ghost’ no IMDb lista três gêneros diferentes, e, se um deles fosse Comédia, a indicação do filme na ala de filmes cômicos já seria no mínimo controversa. No entanto, o site determina que o longa é um misto de Drama, Fantasia e Mistério. Isso sem contar Romance, que tem destaque na trama de uma mulher que perde o marido e se comunica com seu espírito.

O ator Patrick Swayze, a atriz Demi Moore e a atriz coadjuvante Whoopi Goldberg todos concorreram. Goldberg foi premiada não só no Globo de Ouro, mas também no Oscar, que também reconheceu ‘Ghost’ como o Melhor Roteiro Original do ano. A Academia também indicou o longa nas categorias de Melhor Filme, Melhor Montagem e Melhor Trilha Sonora.

Com concorrência forte dos populares ‘Esqueceram de Mim’ e ‘Uma Linda Mulher’, além do vitorioso ‘Green Card – Passaporte para o Amor’, é difícil imaginar o romance espiritual levando a estatueta. Por outro lado, é verdade que ‘Dança com Lobos’ era imbatível na ala dos dramas.

O ano de 1990 não foi uma fonte de grandes comédias dignas de entrar no lugar do longa. Por outro lado, talvez Arnold Schwarzenegger passando vergonha em ‘Um Tira no Jardim de Infância’ seria o bastante para desbancar o sofrido romance dramático com tons sobrenaturais da lista de comédias.

Curta nossa ENTREVISTA com a Nina Dobrev:


» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «