Os Filmes de Super-Heróis Mais Esperados dos Próximos Anos

Os Filmes de Super-Heróis Mais Esperados dos Próximos Anos

COMPARTILHE!

Sabemos exatamente o que você quer! Os filmes de super-heróis são a fonte mais rentável do cinemão blockbuster atual. Seja Marvel ou DC, o que você quer é assistir nas telonas aquela aventura de tirar o fôlego, e depois ficar horas discutindo com os amigos qual foi o melhor. Já estivemos lá também. Então prepare-se para a overdose. Preparamos um listão com os 13 Filmes de Super-heróis que aportarão em nossos cinemas muito em breve, até o ano que vem.

Leia, anote na agende e comente.

Vigilante do Amanhã




Outra surpresa para quem esperava ver apenas filmes das maiores editoras norte-americanas de quadrinhos na lista. Este filme é baseado em quadrinhos japoneses, ou manga, e já ganhou adaptações de mesma nacionalidade em versão de animações. Agora, chega a vez de levar esta poderosa história ao maior mercado de cinema mundial, Hollywood. Na pele da estonteante Scarlett Johansson, a protagonista Major ganha vida como nunca anteriormente. Passada inteiramente no futuro, esta trama traz ecos de tudo desde Blade Runner até Matrix, apresentando Johansson como uma ciborgue policial vingadora. A francesa de filmes cult Juliette Binoche dá respaldo à obra, e na direção, Rupert Sanders, de Branca de Neve e o Caçador (2012). É muito bom ver um filme de ação protagonizado por uma heroína, ainda mais se for bom. Embora tenhamos percebido certo flashback de Aeon Flux (2005), levamos fé no longa. A estreia é no dia 30 de março.

Guardiões da Galáxia Vol 2

Até agora as estreias da lista foram maneiradas, com filmes que podem dar certo ou não. Porém, como dizem, agora a brincadeira ficou séria. Passamos para um novo nível ao falar de Guardiões da Galáxia 2, obviamente, porque o primeiro filme se tornou a surpresa mais agradável não só de 2014, como de anos recentes. Ninguém conhecia o time de heróis B (ou C) da Marvel e, não só o conhecemos agora, como consideramos pacas. A turma de desajustados especiais volta, com o mesmo elenco e direção de James Gunn – ou Deus para alguns. O que me deixa ansioso, no entanto, é o enfoque dado aos novos personagens, como Mantis (Pom Klementieff) e Ayesha (Elizabeth Debicki), além das presenças de verdadeiros ícones da ação dos anos 1980 – Kurt Russell como Ego, o planeta vivo (e pai do protagonista Chris Pratt), e Sylvester Stallone em papel não divulgado, recobrando a dupla de Tango & Cash (1989). Ah sim, temos uma coisa fofa chamada baby Groot, que irá dominar o mundo do merchandising. A estreia é no dia 5 de maio.

Mulher Maravilha




Falávamos do quanto é importante ter um filme do gênero protagonizado por mulheres. As tentativas até agora não emplacaram muito no gosto geral. Claro que tivemos heroínas dos games como Lara Croft (Angelina Jolie) e Alice (Milla Jovovich), mas no âmbito Marvel / DC a coisa ainda não atingiu o alvo como deveria – Mulher Gato (2004) e Elektra (2005) não nos deixa mentir. Depois da retomada dos filmes de super-heróis, por volta de 2008, quando a Marvel virou seu próprio estúdio, e depois da DC descer para o play para brincar, a Mulher Maravilha será a primeira heroína a ganhar um filme solo. E justiça seja feita, tinha que ser assim, afinal estamos falando da primeira grande super-heroína de todos os tempos. Nas formas de Gal Gadot (você ainda não se acostumou?), a amazona protagoniza um longa passado durante a Primeira Guerra Mundial. Essa é também a chance para a DC finalmente se reestruturar no cinema, depois das tentativas com BVS e Esquadrão Suicida. Patty Jenkins (Monster: Desejo Assassino) é quem dirige. O filme estreia no dia 1º de junho.

Homem-Aranha: De Volta ao Lar

O Homem-Aranha, personagem símbolo da Marvel (como o Mickey para a Disney), pode ser considerado um dos mais problemáticos da editora atualmente. Tudo por causa do reboot descabido que transformou a Sony, estúdio detentor dos direitos do personagem, numa piada. Os filmes do Espetacular Homem-Aranha (2012 e 2014) vieram meio sem jeito, meio sem graça e passaram em branco. O estúdio ouviu os fãs e tratou de fazer um acordo com a Disney, assim incluindo o maior herói da casa nas aventuras dos Vingadores, mais bem sucedidas impossível.  Agora, através do mesmo acordo, o Homem-Aranha, na pele do jovem Tom Holland, ganha um novo filme só seu. Mas ao contrário da preguiça geral que tomou os fãs em 2012, a excitação não poderia ser maior. A diferença está na frase “na Marvel / Disney / Kevin Feige confiamos”. O vilão aqui é o Abutre de Michael Keaton (melhor escalação não poderia existir), Peter Parker volta para a escola, e teremos um interesse amoroso inter-racial. Tony Stark (Robert Downey Jr.) também está no filme, o que só beneficia. A direção é de Jon Watts (A Viatura) e a estreia ocorre no dia 6 de julho.

Thor: Ragnarok

Pouco foi divulgado sobre o terceiro longa do Deus do Trovão. O que sabemos é que este não será um filme cem por cento solo, já que temos a participação do gigante Hulk (Mark Ruffalo), sumido ao final de Vingadores: Era de Ultron (2015), ele é colocado para batalhar numa arena feito gladiador, pela deusa asgardiana da morte Hela (Cate Blanchett). E adivinha quem irá se digladiar com o monstro esmeralda? Acertou se disse o nórdico Thor. Nosso protagonista, novamente vivido por Chris Hemsworth, será o centro de um filme de dimensões épicas, do qual esperamos magnitude do nível da de Capitão América: Guerra Civil. O resto dos Vingadores teve sua farra no evento de 2016, agora os personagens ausentes naquele filme (Thor, Hulk e Doutor Estranho) também estão prontos para se divertir. Completando o elenco, Jeff Golbblum será Grandmaster, e Tessa Thompson vive Valquíria. A direção é de Taika Waititi, da comédia vampiresca O Que Fazemos nas Sombras (2014). A estreia é só no final do ano, no dia 2 de novembro.

Liga da Justiça

A tábua de salvação da DC. A esta altura, espera-se que Mulher Maravilha tenha sido um sucesso de crítica e público, para que a reunião dos maiores personagens da casa de ideias possa navegar águas tranquilas. Caso contrário, o mar será turbulento mais uma vez para a DC, e aí as coisas podem realmente ficar feias. Patty Jenkins terá a chance de injetar sangue novo nesta franquia, mas com Liga da Justiça voltamos para as mãos de Zach Snyder. No entanto, se você não interpreta Snyder como ameaça e põe a culpa no roteiro de BVS, saiba que esta estrutura foi sacudida, mas não desmantelada. David S. Goyer saiu da função, mas Chris Terrio segue firme e forte, com a adição do próprio Snyder assinando o texto. Na trama, Bruce Wayne (Ben Affleck) serve de Nick Fury da DC e recruta, ao lado de Diane (Gal Gadot), novos heróis para defender a Terra, como Flash (Ezra Miller), Ciborgue (Ray Fisher) e Aquaman (Jason Momoa), após a morte de Superman (Henry Cavill). A estreia ocorre em 16 de novembro.

2018

Pantera Negra

Dirigido por Ryan Coogler, de Creed: Nascido para Lutar, o filme solo do herói Pantera Negra (que deu as caras pela primeira vez em Capitão América: Guerra Civil) tem tudo para ser um dos mais interessantes da Marvel e já faz história antes mesmo de estrear. O filme se torna o mais inclusivo do gênero, ao apresentar um blockbuster de super-heróis protagonizado basicamente por atores negros. Chadwick Boseman vive o personagem título, e o elenco conta ainda com Lupita Nyong´o, Forest Whitaker, Angela Bassett, Danai Gurira e Michael B. Jordan. Na trama, T´Challa, líder da avançada Wakanda, precisa impedir a destruição de seu país, por inimigos de fora e de dentro. A estreia é no dia 15 de fevereiro de 2018.

Deadpool 2

Um dos maiores sucessos (inesperados) de 2016, já tem a sequência engatilhada para 2018. Como prometido, o novo filme do mercenário tagarela de Ryan Reynolds trará um reforço muito especial na forma do viajante do tempo cibernético Cable (e não, não será interpretado por Keira Knightley). Recentemente, foi divulgado que o eterno James Bond, Pierce Brosnan, estaria fazendo testes e negociando para o papel, embora a primeira escolha do estúdio fosse o ator Liam Neeson. Nada confirmado, no entanto, apenas Reynolds como o personagem principal. No lado negativo, devido a diferenças criativas com o ator protagonista, o diretor Tim Miller, grande responsável pelo sucesso do primeiro filme, deixou a sequência. Apesar de uma petição criada pelos fãs pedindo a direção de Quentin Tarantino na continuação, David Leitch (De Volta ao Jogo) foi o escolhido para o comando. Deadpool 2 está em fase de pré-produção e estreia no dia 2 de março de 2018.

Tomb Raider

Mais uma super-heroína icônica da cultura pop dará as caras em breve, à frente de seu próprio filme. Depois da Major e da Mulher Maravilha, é a vez de Lara Croft demarcar novamente seu terreno, neste reboot de Tomb Raider comandado pelo norueguês Roar Uthaug. A escolhida para substituir Angelina Jolie como a personagem foi a sueca vencedora do Oscar Alicia Vikander. Atriz talentosa, Vikander incorpora uma Croft mais mignon, mas a julgar pelas primeiras fotos divulgadas, fará jus a energia da personagem, e casará bem com a reformulação orquestrada para os novos games. Reiniciando a franquia, esta será a primeira aventura de Lara, que também explora sua relação com o falecido pai, onde ela precisa limpar eu nome desgraçado. A estreia ocorre no dia 16 de março de 2018 nos EUA.

Vingadores: Guerra do Infinito

Este filme poderia colocar um ponto final no subgênero “filmes de super-heróis”, já que promete ser o maior deles e o mais ambicioso. É o que a Marvel vinha planejando desde o início e não dá para imaginar de onde seguirão depois daqui. Será verdadeiramente um marco divisor de águas. O terceiro Vingadores irá de fato juntar todos os personagens que já apareceram nos filmes da casa (e alguns outros, como a estreia de Brie Larson como a Capitã Marvel antes de seu filme solo) numa batalha contra um dos maiores vilões dos quadrinhos da editora, o intergaláctico Thanos (Josh Brolin). Comandado pelos irmãos Russo (Capitão América: O Soldado Invernal e Capitão América: Guerra Civil), que pegam a vaga deixada por Joss Whedon, Vingadores 3 estreia no dia 3 de maio de 2018, prometendo ser o maior filme do ano.

Homem-Formiga e a Vespa

Embora seja esperado que Vingadores: Guerra do Infinito “quebre tudo”, surpresas podem acontecer. Se pensarmos numa reprise de 2015 então, onde Vingadores: Era de Ultron prometia sacudir o ano, em especial por continuar o sucesso do primeiro Vingadores. O resultado não foi bem assim. Já o filme solo e problemático do Homem-Formiga, no qual ninguém depositava confiança, se mostrou a verdadeira diversão daquele ano para os filmes Marvel. Esperamos que em 2018, ambos o terceiro Vingadores, quanto a sequência de Homem-Formiga agradem. Pouco se sabe sobre a continuação, mas o título entrega uma participação mais ativa de Evangeline Lilly como a Vespa. A direção é do mesmo sortudo Peyton Reed e a estreia no dia 5 de julho. Pela data esperamos algo patriótico.

Aquaman

Em 2018, os filmes da DC estrearão na segunda metade do ano, até mesmo por questões estruturais deste universo no cinema. Um dos chamarizes é Aquaman, primeiro filme solo em live action do super-herói aquático no cinema. Como vimos em BVS, Aquaman mudou bastante da versão que tínhamos em nosso subconsciente. Sua voz continua a mesma, mas seus cabelos, quanto diferença. Brincadeiras à parte, o grandalhão ogro Jason Momoa é como o personagem vai ser lembrado daqui para frente. No lado negativo, os problemas conjugais de Amber Heard quase a tiraram do longa – a atriz vive Mera, a esposa do herói. Temos também o fator prejudicial de um filme de ação e aventura que necessita ter uma grande porcentagem de cenas subaquáticas, o que sempre se mostrou um pesadelo. Por outro lado, a direção é do mestre James Wan. A estreia ocorre no dia 5 de outubro nos EUA.

The Flash

Se existe um filme da DC cuja produção é mais conturbada que a de Aquaman, este filme é The Flash. Se por um lado, nas telinhas o personagem já tem seu público cativo, fazendo um tremendo sucesso, no cinema a coisa pode ser um pouco mais complicada. Primeiro, porque o teor alegre, adolescente e colorido das séries da DC na TV inexiste no cinema, onde tudo é sombrio, denso e pesado. Trazer um longa do brincalhão Flash com estas tintas e carga emocional se mostra uma tênue linha difícil de ser atingida. O filme sequer confirmou um diretor. No lado positivo, além de Ezra Miller como o protagonista, e Ray Fisher reprisando o papel de Victor Stone / Ciborgue, de Liga da Justiça, temos a gracinha Kiersey Clemons (de Dope e Vizinhos 2) como Iris West, e o talentoso Billy Crudup como Henry Allen, o pai do protagonista. Flash também não possui data de estreia prevista.


Assista nossa crítica de 'Fragmentado':



» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

[AVISO] Os comentários passam por uma aprovação e podem demorar até 24 horas para serem disponibilizados no site. Comentários com conteúdo ofensivo serão deletados, e o usuário pode ser banido. Respeita a opinião alheia e comporte-se.