Os Maiores Vilões de 2016

Os Maiores Vilões de 2016

COMPARTILHE!

As listas do que rolou no cinema em 2016 não param de chegar. Conhecido como o ano maledetto, aproveitamos a má fama de 2016 para enumerar os piores personagens que passaram pelos cinemas – no melhor sentido da palavra. Aqui, você encontrará aquele personagem que mais causou ódio ou arrepio. Leia com cuidado para não aborrecê-los e não esqueça de listar os seus preferidos nos comentários.

Barron (Samuel L. Jackson) – O Lar das Crianças Peculiares

Barron é mais um antagonista no currículo do ótimo Jackson, e apesar de trazer cenas mais intensas no longa de fantasia do cultuado Tim Burton, igualmente foi responsável por algumas das tiradas mais engraçadas do filme.

Asset (Vincent Cassel) – Jason Bourne

Participe do nosso grupo ESPECIAL no Facebook » https://goo.gl/BBFEmQ

     

O retorno de Matt Damon para a franquia Bourne dividiu opiniões do público e críticos, mas o que ninguém duvida é da capacidade de Cassel para viver um vilão assustador. Aqui, o francês redefine o termo “pedra no sapato”, vivendo um espião à caça de Bourne.

Diana (Alicia Vela-Bailley) – Quando as Luzes se Apagam

A primeira personagem de um filme de terror a aparecer na lista. Quando as Luzes se Apagam é baseado num curta do mesmo diretor e, como esperado, uma história de origem é dada para a criatura assombrada que só aparece no escuro, aqui batizada de Diana – uma mistura de Samara (O Chamado) com Mama (Mama).

Brahms (Jett Klyne / James Russell) – Boneco do Mal

Ele poderia ser o novo Chucky, só que não! A premissa do filme apresenta um casal de idosos ricos que tratam um boneco como seu filho, acreditando que ele está vivo. Quando saem de férias, deixam uma incauta babá cuidando do “menino”. Quando ela descobre que Brahms, o boneco, realmente existiu, é que coisas estranhas começam a ocorrer na mansão.

As irmãs (Rooney Mara) – Kubo e as Cordas Mágicas

Deixe para os estúdios Laika produzirem fantásticas animações em stop-motion, que faz homenagem a clássicos do cinema,  e teor com pitadas de terror. Seu quarto filme traz duas das mais assustadoras antagonistas do ano, as tias gêmeas do carismático menino Kubo.

Gigi (Bella Heathcote) e Sarah (Abbey Lee) – Demônio de Neon

Gigi e Sarah materializam a ideia de mulheres frias, calculistas e que fazem de tudo para chegar ao topo. Essas aspirantes a modelo vivem uma competição cerrada até as últimas consequências com a ingênua e virginal novata Jesse (Elle Fanning). Puxar o tapete para elas é fraco. Nunca o termo ‘o mundo irá te devorar’ foi tão bem aplicado, como neste conto perturbador de Nicolas Winding-Refn.

Krall / Shere Khan (Idris Elba) – Star Trek: Sem Fronteiras / Mogli: O Menino Lobo

O que um tigre vingativo e insistente tem em comum com um líder alienígena maligno disposto a acabar com a ordem na galáxia? Ambos foram interpretados pelo talentosíssimo Idris Elba e se tornaram vilões memoráveis em 2016. Seja apenas cedendo a voz para um personagem inteiramente criado em computador (Shere Khan) ou enterrado em quilos de maquiagem, se tornando quase irreconhecível (Krall), a presença de Elba como estes personagens malvados é inegável.

Howard (John Goodman) – Rua Cloverfield, 10

John Goodman é um ator carismático, dono de uma carreira formada por personagens amáveis e engraçados. Bem, exceto quando está sequestrando pessoas e mantendo-as em cativeiro. Howard é um destes personagens bipolares, com mudanças bruscas de temperamento e que soa como se tivesse parafusos a menos. Não ajuda vir com uma história apocalíptica para justificar seus atos. Mas será que ele estava tão errado assim?

Tubarão (CGI) – Águas Rasas

Este é o segundo animal na nossa lista, atrás do tigre Shere Kahn, de Mogli. Ao contrário do felino, este animal não fala, mas consegue ser igualmente assustador e efusivo. A história do cinema já mostrou que animais conseguem render ótimos antagonistas e poucos são tão perigosos quanto os peixes que são verdadeiras máquinas de matar. Desde Tubarão (1975), de Steven Spielberg, uma criatura marinha não era tão arrepiante no cinema. Pobre Blake Lively.

A Freira (Bonnie Aarons), Bill Wilkins (Bob Adrian) e O Homem Torto (Javier Botet) – Invocação do Mal 2

Existe um forte argumento e discussão sobre qual dos filmes Invocação do Mal é o melhor. Eu digo que ambos são  bons em medidas iguais. Mas no que a continuação se sai melhor é criar vilões icônicos. Na sequência, temos não apenas um, mas três antagonistas sobrenaturais que nos deixaram dormindo de luz acessa por um bom tempo. Destes, o que se sobressai é a Freira Demônio, que ganhará um derivado (assim como a boneca Annabelle) ano que vem. Uma curiosidade é que Javier Botet, que interpretou o Homem Torto, também viveu a criatura em Mama (2013).

The Blind Man (Stephen Lang) – O Homem nas Trevas

Stephen Lang e seu Blind Man nos farão nunca mais olhar para cegos como pessoas indefesas. O cineasta Fede Alvarez transforma o deficiente visual em seu gelado thriller, de vítima em um dos mais perigosos e cruéis antagonistas que vimos em 2016 nas telonas. Pobre trio de jovens, que decidiu roubar o sujeito mais errado possível. O melhor? Ao que tudo indica, o cego menos bondoso da história deverá retornar.

Darth Vader (Spencer Wilding / Daniel Naprous / James Earl Jones) – Rogue One: Uma História Star Wars

Como terminar a lista dos maiores vilões de 2016 sem apontar o maior vilão da história do cinema. Sim, Darth Vader está de volta! E pior do que nunca. Embora tenha pouco tempo em cena, é inegável que sua participação neste derivado rende as melhores cenas do longa. Pior para o burocrata Krennic (Ben Mendelsohn), o novo vilão, que sentiu o aperto e sufocou com as aspirações de dividir o posto de antagonista com o irado Lorde Sith. Pode-se dizer que o desfecho do filme mostrou um Vader com “sangue nos olhos” com nunca havíamos visto.


Crítica | Thor Ragnarok [COM SPOILERS!!!!]


» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

[AVISO] Os comentários passam por uma aprovação e podem demorar até 24 horas para serem disponibilizados no site. Comentários com conteúdo ofensivo serão deletados, e o usuário pode ser banido. Respeita a opinião alheia e comporte-se.