Os Piores e os Melhores Filmes do Batman

Os Piores e os Melhores Filmes do Batman

COMPARTILHE!

Com a recente estreia do aguardado ‘Batman vs Superman: A Origem da Justiça‘ e com a apresentação de mais um novo Batman nos cinemas, este é o momento perfeito para ranquear todos os filmes do homem-morcego que já foram feitos para a telona. Será que a mais nova iteração desta franquia consegue um lugar de destaque na lista?

Não há dúvidas de que, ao lado de Superman, Batman é um dos super-heróis mais conhecidos até mesmo para aqueles que nunca leram uma história em quadrinhos. A imagem de um detetive justiceiro vestido de morcego que combate o crime já virou mito e parte do imaginário popular da humanidade.

Depois de aparecer em desenhos e séries de TV de gosto questionável, era apenas uma questão de tempo até que ele adentrasse os cinemas e isso já aconteceu 8 vezes com diferentes diretores e atores assumindo o que é considerado por muitos um privilégio.




Como tudo na vida, esta jornada nos cinemas possui seus altos e baixos e chegou o momento de tentar ranquear cada um dos filmes para eleger os melhores e piores. Cada filme foi avaliado levando em consideração também a época de lançamento e a situação atual do personagem, pois isso é algo muito relevante na hora de distribuir os méritos. Vale ressaltar que estão sendo levados em consideração apenas os filmes “live-action” e por isso nenhuma das animações, mesmo as de longa-metragem, foram incluídas.

E, como sempre, encorajo todos a compartilharem o seu ranking pessoal e suas motivações nos comentários!

8. Batman & Robin (1997)




Lembra que eu falei dos altos e baixos? Pois é, este é sem dúvidas o ponto mais baixo da franquia do homem-morcego nos cinemas. O tom caricato com o qual Joel Schumacher abordou o herói chegou no seu “ápice” com bizarrices de sobra, desde os “bat-mamilos” que assombram George Clooney até hoje ou o “bat-cartão-de-crédito” até a adição totalmente desnecessária de uma “Batgirl” interpretada por Alicia Silverstone. A lista de atrocidades é grande, assim como a indignação dos fãs e a certeza de que este é o pior filme do Batman de todos os tempos que fez com que a franquia ficasse “na geladeira” por mais de 8 anos.

 

7. Batman Eternamente (1995)

O primeiro “golpe” dado por Joel Schumacher na franquia do Batman não foi tão destruidor como o segundo e o resultado foi um filme que, mesmo sendo muito ruim, ainda tinha algumas pequenas coisas a seu favor. Apesar de já aparecer condenado por um roteiro bobo e cheio de piadas sem graça, a verdade é que Val Kilmer se esforçou bastante e foi pelo menos um Batman decente e um Bruce Wayne razoável. Visualmente falando, apesar do ar mais leve e caricato, fica clara a intenção de manter alguns dos aspectos visuais que marcaram o personagem na época em que Tim Burton estava no comando, o que acabou impedindo que o filme descambasse para o show de horrores que foi sua sequência.

 

6. Batman: O Retorno (1992)

A sequência do sucesso de 1989, apesar de ainda contar com Tim Burton no comando, teve vários problemas de produção que mostraram um diretor sob pressão e perdendo sua liberdade criativa. Ainda assim, o filme conseguiu ter um sucesso relativo e vários aspectos positivos, principalmente no time de vilões. Continuando a tradição iniciada por Jack Nicholson, temos desta vez dois grandes atores como antagonistas do vigilante de Gotham: Danny Devito como Pinguim e a belíssima Michelle Pfeiffer como a melhor “Mulher Gato” já retratada no cinema. Um bom filme que, apesar de não corresponder às grandes expectativas, foi uma iteração digna do personagem.

 

5. Batman vs Superman: A Origem da Justiça (2016)

Não chegamos nem na metade da lista e já encontramos o filme mais recente? Pois é, apesar das partes com o Batman funcionarem muito bem, o fato é que ele está inserido num filme que tentou abraçar o mundo e juntou muita coisa em uma história só. No malabarismo para tentar fazer num único filme a junção de universos que a Marvel demorou vários longas construindo, a DC acabou deixando as bolas cair e não desenvolvendo corretamente vários personagens. A falta de um vilão clássico do cavaleiro das trevas também foi um ponto negativo. Mas, ainda que tenhamos sido forçados a ver mais uma interpretação da origem do herói, o fato é que Ben Afleck se saiu muito bem como o Batman mais velho e menos otimista, apesar de não ter gostado muito da sua facilidade em matar. É uma versão do homem-morcego que muitos sonhavam em ver nas telonas e as cenas de luta são extremamente viscerais e satisfatórias.

 

4. Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012)

O filme que fechou a excelente trilogia de Nolan no universo de Batman, ainda que inferior aos anteriores, tem excelentes momentos, um ótimo vilão e um desfecho satisfatório que obrigou a DC a reiniciar a franquia. Vemos um Batman recluso e já sofrendo fisicamente após anos de surras defendendo o crime. O Bane de Tom Hardy, ainda que difícil de entender com aquela voz esquisita, se mostrou um adversário à altura do homem-morcego. A mulher-gato de Anne Hathaway, apesar de não ter o mesmo carisma da de Pfeiffer, também é um ponto alto do filme e sua escolha como interesse romântico do herói também se mostrou muito acertada.

 

3. Batman Begins (2005)

Este longa de 2005 tinha a difícil tarefa de apagar das mentes dos fãs as atrocidades cometidas pelos filmes de Joel Schumacher. Coube ao talentosíssimo Christopher Nolan este desafio e ele era sem dúvidas a pessoa certa para o trabalho. Na verdade, não vejo Nolan fazendo outro filme de super-heróis e o Batman era a escolha perfeita para seu estilo realista e visualmente impactante. O grande ponto fraco é a falta de um vilão de maior importância, mas esta provavelmente foi uma escolha consciente para evitar comparações com o passado. Mesmo não sendo perfeito como Wayne e tendo uma voz caricata, o Batman de Christian Bale sem dúvidas entra no hall como um dos melhores da franquia principalmente por sua entrega física ao papel. O fato é que a abordagem de Nolan casou como uma luva para o herói e conseguiu ressuscitar a franquia, a transformando em uma máquina de imprimir dinheiro e elevando o personagem ao ápice de sua jornada na sétima arte.

 

2. Batman (1989)

A posição deste filme deve gerar muita polêmica, mas como disse antes é preciso considerar a época e a situação do personagem. No final dos anos 80, os filmes baseados em quadrinhos eram vistos como infantis e a última referência do homem-morcego em “live-action” era usando roupa azul e com sobrancelhas desenhadas com pincel. Não existia o conceito de um filme do gênero ser realista ou sombrio. Desta forma, o feito conseguido por Tim Burton com este longa de 1989 é algo histórico. Foi um dos maiores sucessos da década e uma das poucas vezes que tive que enfrentar filas intermináveis para assistir a um filme no cinema. Michael Keaton pode não ter a altura suficiente, mas seu enorme talento nos presenteou com um Bruce Wayne brilhante e ele se saiu muito bem na fantástica roupa “pescoço-duro” que foi criada. Jack Nicholson nos surpreendeu com um Coringa que misturou na medida certa seus lados lunático, cômico e psicopata. Kim Basinger cumpriu sua tarefa de ser bonita e gritar bem alto. O visual gótico do cineasta casou perfeitamente com o personagem e a trilha sonora de Danny Elfman nos fez esquecer que o Prince estava envolvido. Um clássico absoluto.

 

1. Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008)

Depois do sucesso do filme de 2005, a expectativa sobre este filme era imensa e a notícia de que veríamos a “versão Nolan” do Coringa só aumentou isso. Quando Heath Ledger provou que estávamos errados nas críticas de sua escalação, roubou a cena e entregou o Coringa mais assustador da franquia, todos sabíamos que estávamos diante de algo especial. Dificilmente veremos algo neste patamar novamente ou testemunharemos um ator ganhar um Oscar por seu trabalho neste gênero. O filme é tão bom e bem equilibrado que ninguém reclamou da substituição da atriz que interpretava Rachel. Vemos Batman atravessar uma jornada rumo às trevas em um dos arcos mais interessantes já tomados pelo personagem no cinema. No final das contas, o que temos aqui é o “estado da arte” de um filme baseado em quadrinhos que o coloca não só no topo da lista dos longas do Batman e do gênero, mas também como um dos melhores filmes do cinema recente.

Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema!


Não esqueça de CURTIR nossa MATÉRIA ESPECIAL: