Polêmica! Astros que tiveram suas carreiras afetadas por escândalos

Polêmica! Astros que tiveram suas carreiras afetadas por escândalos

COMPARTILHE!

Polêmicas e grandes escândalos podem ser muito nocivos para carreiras no mundo artístico, ainda mais numa terra que não perdoa, como Hollywood. Astros “queimados” atraem atenção negativa para estúdios e filmes, que não desejam este tipo de publicidade.

Antigamente, a coisa era varrida com mais facilidade para debaixo dos panos, mas nos tempos invasivos da notícia instantânea trazida pelas mídias sociais, esconder um grande escândalo se torna cada vez mais difícil. Recentemente, um desses escândalos veio à tona quando o astro Johnny Depp foi acusado de violência doméstica, ao ter supostamente agredido a nova esposa, a também atriz Amber Heard, 23 anos mais jovem.

Fãs ameaçam BOICOTAR ‘Animais Fantásticos’ após contratação de Johnny Depp




A carreira do astro, que já não ia bem das pernas, poderá ser afetada pela forma negativa com que todos o veem no momento. Já Heard, também acusada por Depp de tentar lucrar financeiramente em cima do ocorrido, foi abraçada por causas feministas, mas pode ter a carreira afetada igualmente. Pensando em tais situações difíceis, resolvemos formular uma lista com atores que tiveram suas carreiras momentaneamente interrompidas devido a influência de problemas pessoais.

Wesley Snipes

Snipes - CinePOP

O astro da franquia Blade foi preso em 2010, por sonegação de imposto de renda, crime levado muito a sério nos EUA. Antes disso, no entanto, Snipes já era visto como um ator problemático, fato que atingiu o ápice em 2004, durante as filmagens da terceira aventura do caçador de vampiros da Marvel.

Snipes, como reportado, se isolava no trailer durante os intervalos de gravações, fumando uma quantidade considerável de maconha. As discussões constantes com o diretor da obra, David S. Goyer, chegaram ao ponto da agressão física, quando Snipes tentou estrangular o cineasta – segundo o próprio. Hoje, Snipes, bem mais contido, tenta ensaiar um retorno após sua soltura em 2013, inclusive brincando com o fato em sua participação no blockbuster Os Mercenários 3 (2014).




Ele também estrelou a série The Player, que infelizmente foi cancelada com apenas uma temporada em 2015. O ator faz campanha também para voltar na pele de Blade, tentando chegar a um acordo com a Marvel.

Winona Ryder

Ryder- CinePOP

No final da década de 1980 e início da década de 1990, Winona Ryder era tida como a melhor atriz de sua geração. Os diretores mais prestigiados a queriam em seus elencos, como Francis Ford Coppola, que na falta de Ryder devido a conflitos de agenda, precisou usar a própria filha, Sofia, em O Poderoso Chefão 3 – o diretor viria a concretizar sua vontade de trabalhar com a atriz em Drácula de Bram Stoker (1992).

Ryder foi indicada ao Oscar duas vezes consecutivas, em 1994 (A Época da Inocência, no qual foi dirigida por Martin Scorsese), e em 1995 (Adoráveis Mulheres), na época de seu auge. Sua carreira viria a desacelerar na década seguinte, quando em 2001 foi presa sob acusação de roubar roupas em uma loja e posse de medicação sem receita.

Desde então, Ryder ficou estigmatizada por tal imagem e acusada de cleptomania. A atriz foi relegada a papeis coadjuvantes em produções inexpressivas, e nunca mais ganhou os holofotes com seu talento.  O máximo que chegou perto disso foi em Cisne Negro (2010), de Darren Aronofsky. Ano passado, fez parte do elenco da elogiada minissérie Show me a Hero, da HBO. Em breve, poderá ser vista novamente como Lydia Deetz, na continuação Beetlejuice 2, a ser dirigida novamente por Tim Burton.

Mickey Rourke

Rourke - CinePOP

Rourke é outro astro polêmico da lista. O ator era um dos nomes mais falados, e tido como um dos jovens mais promissores de sua geração. Descrito com um tempestuoso comportamento, o ator abandonou a carreira momentaneamente para ser tornar boxeador no início da década de 1990. Antes, porém, o ator celebrava um casamento turbulento com a bela Carré Otiz, com quem contracenou em Orquídea Selvagem (1989), e ficou casado até 1998.

Logo depois, Rourke passou por diversos procedimentos de cirurgias plásticas, se tornando irreconhecível e distanciando sua imagem de galã de outrora. A carreira encontrava-se em declínio, com participações, sempre em papeis de vilão, em filmes de Jean Claude Van Damme e Sylvester Stallone.

O ensaio de uma volta por cima veio de chances dadas por cineastas de prestígio, vide Robert Rodriguez (Sin City) e Darren Aronofsky, que com O Lutador deu novo fôlego para a imagem de Rourke e, como muitos apontam, entregou o melhor trabalho da carreira do ator com um papel de grande paralelo com sua vida pessoal.

Lindsay Lohan e Charlie Sheen

Lohan e Sheen

As carreiras de Lindsay Lohan e Charlie Sheen possuem muitos paralelos. Sheen veio antes e construiu mais coisas. Em 2003, teve a chance de recomeçar como o astro da TV mais bem pago da época, pelo programa Dois Homens e Meio. Já Lohan foi atriz mirim e na fase de uma jovem mulher atingiu o auge com o adorado Meninas Malvadas (2004).

O que a carreira dos dois possui em comum? A interrupção devido ao gosto pessoal por festas excessivas, drogas e muito álcool. O fato acarretava em atrasos e inclusive falta em compromissos profissionais, ao ponto de serem descritos como um pesadelo por seus empregadores.

Sheen perdeu o cargo na série, mas tentou uma volta por cima, clamando ter abandonado de vez tal estilo de vida nocivo. Recentemente, o ator revelou que contraiu o vírus da Aids. Lohan, por outro lado, não conseguiu se desassociar de tal estigma até hoje, o que faz seu trabalho como atriz cada vez mais difícil.

Hugh Grant e Eddie Murphy

Grant e Murphy

Saem drogas, bebidas e festas, e entra o gosto por profissionais do trabalho mais antigo do mundo. Ninguém poderia imaginar que figuras tão carismáticas e, de certa forma, inocentes, quanto as que Hugh Grant e Eddie Murphy portavam em seus filmes, seriam pegos no flagra, requerendo os serviços de prostitutas.

Grant, cuja imagem de galã ingênuo em filmes de romance foi conquistada ao longo da carreira, foi preso em 1996, em Los Angeles, ao ser abordado em seu carro, ao lado da prostituta Devine Brown, pela polícia. O ator foi preso pelo ato, e na época mantinha um relacionamento com a atriz Elizabeth Hurley. O casal só veio a separar de fato em 2000, quatro anos após o ocorrido.

O caso de Eddie Murphy é mais nefasto. O ator foi flagrado pela polícia com a travesti Shalomar em 1997, preso e depois liberado. Em nota para a mídia, Murphy afirma que fez seu papel de bom moço ajudando garotas de programa. Um ano depois, Shalomar caiu do terraço de seu prédio e viria a falecer. A morte foi tida como acidental. No entanto, por mais que a imagem do comediante tenha sido manchada, o que enterrou sua carreira foram mesmo escolhas ruins de projetos.

Nicolas Cage

Cage - CinePOP

Problemas financeiros também entram na lista como motivadores de uma carreira descarrilada. Cage atualmente é sinônimo de filmes ruins e motivo de piada. No entanto, o ator já esteve no topo do mundo. Sua ascensão começou em meados da década de 1990, quando venceu o Oscar de melhor ator pelo filme Despedida em Las Vegas. No fim da mesma década, Cage era um dos atores mais rentáveis de Hollywood, com produções como A Rocha, Con Air – A Rota da Fuga e A Outra Face.

Cage também quase interpretou Superman, num filme que seria dirigido por Tim Burton. Sua persona excêntrica nas telas em início de carreira, voltaria de vez quando o ator se envolveu em muitas dívidas financeiras. O resultado foi que, para sair delas, Cage deu sinal verde a todos os roteiros que vinham parar em sua mesa, trabalhando assim em produções bem duvidosas e assumindo de vez a estigma de ator de filmes B. Vez ou outra, Cage sai do molde e entrega um filme acima da média, como o caso do recente Joe (2013).

Kevin Costner

Costner - CinePOP

O ego e a teimosia podem ser elementos danosos a uma carreira cinematográfica também. Assim como Cage, Kevin Costner dominou Hollywood como o maior astro da época, no final da década de 1980 até meados da década de 1990. O pico ocorreu quando Dança Com Lobos (1990) levou sete Oscars, incluindo melhor filme e melhor diretor para Costner. Era inegável que ninguém era mais quente que o astro na época.

Depois vieram os sucessos consecutivos de Robin Hood – O Príncipe dos Ladrões (1991), JFK – A Pergunta que Não Quer Calar (1991), O Guarda-Costas (1992) e Um Mundo Perfeito (1993), e não havia quem segurasse o astro. Bem, então veio Waterworld (1995). Considerado até hoje uma das produções mais problemáticas de todos os tempos, o filme trouxe da pior maneira o ego de Costner à tona, de forma incontrolável. Entre os muitos problemas, Costner brigou com o diretor Kevin Reynolds, e assumiu ele mesmo o comando da obra.

Não bastasse Waterworld ter se tornando um fracasso retumbante, Costner cometeria o mesmo erro com O Mensageiro (1997). A consequência foi a queda esperada. Aualmente, o ator volta aos holofotes aos poucos, e no discurso após a vitória no Globo de Ouro como melhor ator pela minissérie Hatfields & McCoys (2013), acusou a indústria hollywoodiana de lhe virar as costas.

Mel Gibson

Gibson - CinePOP

Talvez o maior caso de carreira interrompida tenha sido a do ex-galã e ex-astro Mel Gibson, que continua a ensaiar um retorno. Assim como Costner, Gibson esteve na crista da onda e nas décadas de 1980 e 1990 era “o astro”. Com franquias como Mad Max e Máquina Mortífera, Gibson arriscava ao trabalhar também em projetos mais sérios. Sua consagração veio em 1995, com Coração Valente, quando recriou os passos de Costner, levando cinco Oscars, entre eles, melhor filme e melhor diretor para o ator.

Depois de um hiato na carreira de ator em 2002, Gibson, que batalhava contra o alcoolismo, foi preso em 2006 justamente por dirigir embriagado. Durante a abordagem da polícia, o ator se encrencou ainda mais ao proferir frases racistas e antissemitas para os oficiais encarregados.  No mesmo ano, Robyn Moore, sua esposa desde 1980, com quem tem sete filhos, se separou do ator. Desde então, Gibson é tratado como um vilão em Hollywood.

Como se não bastasse, um novo escândalo, muito semelhante ao de Depp, veio à tona pouco tempo depois. Gibson começou um relacionamento com a pianista russa Oksana Grigorieva, e em 2009 fizeram sua primeira aparição pública como casal. No mesmo ano, nascia Lucia, a filha dos dois. Em 2010, Grigorieva entrou com uma ordem de restrição contra Gibson, por este ter supostamente a agredido fisicamente, em mais um caso de violência doméstica. As fitas das ligações com Gibson irado, ameaçando a mulher de morte vazaram na mídia, contribuindo ainda mais para a mancha na imagem do talentoso astro.

Curta nossa ENTREVISTA com a Milla Jovovich:



» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «