Por onde andam… ‘As Patricinhas de Beverly Hills’?

Por onde andam… ‘As Patricinhas de Beverly Hills’?

COMPARTILHE!

Uma questão que constantemente permeia o pensamento de muitos cinéfilos pelo mundo é: por onde anda o elenco daquele filme que adoram. E as respostas podem ser as mais variadas. Pensando nisso, nós aqui no CinePOP decidimos responder tais dilemas intrigantes para você, nosso caro leitor e razão de ser. Para abrir esta nova coluna do site, que tal um dos mais icônicos filmes adolescentes dos anos 1990, quiçá um dos melhores de todos os tempos: As Patricinhas de Beverly Hills, de 1995, da diretora Amy Heckerling. Vem com a gente.

Alicia Silverstone (Cher)

Nesta adaptação do clássico romance Emma, de Jane Austen, para os tempos modernos, a Cher de Alicia Silverstone é a própria remodelagem da casamenteira protagonista. A personagem que tem prazer em formar casais, resolver seus problemas amorosos, mas que não consegue ajudar a si mesma. A história é boa? Sim, é. Justamente porque foi escrita por um ícone, décadas antes dos fãs das Patricinhas nascerem. Silverstone veio dos clipes da banda Aerosmith, mais precisamente Cryin´, Crazy e Amazing, virando a musa da geração MTV.

Um tempo depois, Silverstone fez a transição para o cinema, sendo este As Patricinhas de Beverly Hills seu primeiro grande – e maior – destaque na carreira. No entanto, infelizmente, foram necessários apenas dois deslizes para sua trajetória sair dos eixos e nunca mais voltar, mostrando o quanto Hollywood pode ser cruel. Em 1997, Silverstone emplacou os fracassos consecutivos de Batman & Robin e Excesso de Bagagem. Na década passada, os trabalhos no cinema passavam em branco e na TV, Silverstone tentava a sorte com séries como Miss Match (2003), sem grande sucesso também. A coisa mais legal que a atriz fez nesse tempo talvez tenha sido Vampiras (2012), comédia novamente dirigida por Amy Heckerling, e co-protagonizada por Krysten ‘Jessica Jones’ Ritter.

Participe do nosso GRUPO ESPECIAL do Facebook » https://goo.gl/kg8NYU

     

Próximos Projetos – Silverstone, hoje aos 40 anos de idade, está anunciada como parte do elenco da nova série cômica American Woman, que tem estreia programada para este ano.

Stacey Dash (Dionne)

A beldade Stacey Dash vivia Dionne, a melhor amiga da protagonista Cher. Depois do sucesso do filme, Dash repetiu seu papel na série de TV baseada no longa, que viu Silverstone substituída por Rachel Blanchard. A série durou de 1996 a 1999. Na TV, a atriz apareceu em outras séries como The Strip (1999 – 2000), The Game (2009 – 2011) e Single Ladies (2011).  No cinema, os filmes de maior destaque em que esteve foram Voando Alto (2003), com Gwyneth Paltrow, de Bruno Barreto, e Nunca é Tarde para Amar (2007), com Michelle Pfeiffer, da própria Amy Heckerling.

O último trabalho conhecido de Dash foi no ultra-trash Sharknado 4 (2016), no qual interpretava a prefeita. A carinha jovial e jeitinho de menina de Dash engana, mas a atriz já está com 50 anos de idade.

Brittany Murphy (Tai)

A atrapalhada e remodelada Tai foi vivida pela atriz Brittany Murphy. Como todos sabem, infelizmente a jovem Murphy faleceu em 2009, aos 32 anos. Ao contrário das amigas de elenco, Murphy foi uma das que mais se destacou na carreira, se tornando uma atriz renomada. Ainda em 1996, participou de um episódio da série baseada no filme das Patricinhas, interpretando outra personagem. No cinema, Murphy participou de filmes como o indicado ao Oscar Garota, Interrompida (1999), Refém do Silêncio (2001), de Gary Fleder, com Michael Douglas; Os Garotos da Minha Vida (2001), de Penny Marshall, com Drew Barrymore; 8 Mile: Rua das Ilusões (2002), de Curtis Hanson, com o rapper Eminem e Sin City: A Cidade do Pecado, de Robert Rodriguez, adaptação dos quadrinhos de Frank Miller.

Murphy também chegou a protagonizar seus próprios filmes como Recém-Casados (2003), Grande Menina, Pequena Mulher (2003) e A Agenda Secreta do Meu Namorado (2004). Seus últimos filmes foram Busca Alucinante (2010), direto em vídeo, e Algo Maligno (2014) – ambos lançados de forma póstuma.

Paul Rudd (Josh)

Essa é fácil. Paul Rudd talvez seja o membro do elenco mais reconhecível ainda em atividade. Nada que a Marvel não resolva. Logo depois do lançamento do filme, no entanto, Rudd foi visto no sofrível e inacabado Halloween 6 (1995), em Romeu + Julieta (1996), de Baz Luhrmann, e também fez uma participação na série das Patricinhas interpretando outro personagem. Em 1998, com A Razão do Meu Afeto, no qual atuava ao lado de Jennifer Aniston, começou a galgar trabalhos maiores, participando de forma recorrente também na série famosa da atriz, Friends – na qual ficou de 2002 a 2004. Rudd também virou sinônimo de participações em comédias de sucesso, vide O Âncora (2004), O Virgem de 40 Anos (2005), Ligeiramente Grávidos (2007) e Ressaca de Amor (2008).

O verdadeiro divisor de águas na carreira deste ator com anos de estrada veio mesmo em 2015. Tudo porque Rudd foi escolhido pela atual midas dos Blockbusters, a Marvel, para viver Scott Lang, o Homem-Formiga. O filme foi um sucesso, e emplacou o ator também em Capitão América: Guerra Civil (2016), no qual se tornou o rouba cenas. Os próximos blockbusters de Rudd na casa são Vingadores: Guerra do Infinito e Homem-Formiga e a Vespa, ambos programados para 2018.

Donald Faison (Murray)

No filme, Murray é o namorado de Dionne. Donald Faison, assim como Stacey Dash, foi um dos atores que aceitou retornar e viver o mesmo papel na série de TV derivada do longa. No cinema, o ator esteve em filmes como Falando de Amor (1995), de Forest Whitaker, com Whitney Houston; na comédia adolescente Mal Posso Esperar (1998), com Jennifer Love Hewitt; Duelo de Titãs (200), com Denzel Washington; e Josie e as Gatinhas (2001), com Rosario Dawson. Faison ficaria mais conhecido, no entanto, por seu papel o Dr. Christopher Turk, na hilária e subestimada Scrubs, série que durou de 2001 a 2010.

Mais recentemente, Faison esteve na ficção trash Skyline – A Invasão (2010), de Colin e Greg Strause; e em Kick-Ass 2 (2013), no papel do Dr. Gravidade. O ator também dublou a série animada TRON: Uprising, baseada no longa homônimo da década de 1980 e sua continuação de 2010. O próximo trabalho de destaque do ator também será na dublagem, da animação Star Wars: Detours, em fase de pós-produção.

Elisa Donovan (Amber)

Amber era a rival de Cher e a menina má do colégio. Elisa Donovan também retornou para a série para viver a mesma personagem. A atriz também participou de outra série de sucesso, Sabrina – Aprendiz de Feiticeira, com Melissa Joan Hart, na qual viveu a personagem Morgan Cavanaugh, de 2000 a 2003. Em 2009, Donovan viveu Belinda Bannister no filme para a TV O Cachorro que Salvou o Natal, papel que interpretaria novamente outras cinco vezes nas sequências O Cachorro que Salvou as Férias de Natal (2010), O Cachorro que Salvou o Halloween (2011), O Cachorro que Salvou as Festas (2012), O Cachorro que Salvou a Páscoa (2014) e O Cachorro que Salvou o Verão (2015). O último trabalho da atriz foi o drama criminal Angie X (2016), protagonizado por Francesca Eastwood, filha da lenda Clint Eastwood.

Breckin Meyer (Travis)

Momentaneamente, a carreira de Meyer deslanchou após sua participação em As Patricinhas, no papel do maconheiro Travis, par de Tai. Meyer já havia aparecido em A Hora do Pesadelo – Parte 6 (1991), no papel de outro maconheiro – estão notando uma tendência? Depois do longa de 1995, o ator apareceu em Jovens Bruxas (1996) e Fuga de Los Angeles (1996), além de também ter participado da série derivada do filme homônimo, em outro papel. No cinema, Meyer esteve do elogiado Vamos Nessa (1999), de Doug Liman; das comédias Caindo na Estrada (2000) e Tá Todo Mundo Louco (2001), além de dar vida a Jon, o dono do gato mais preguiçoso dos quadrinhos, Garfield, nos longa de 2004 e sua sequência de 2006. Meyer também estará na animação Star Wars: Detour, dando voz ao mercenário Boba Fett.

Jeremy Sisto (Elton)

O egocêntrico Elton achou que iria se dar bem com Cher, mas ela tinha outros planos. Sisto, no mesmo ano, havia trabalhado com a estrela do filme, Alicia Silvestone, no suspense O Esconderijo, e novamente a atormentava – dessa vez, de forma bem mais intensa. No cinema, Sisto teve papéis em filmes de destaque como Tormenta (1996), de Ridley Scott, com Jeff Bridges; Olhar de Anjo (2001), com Jennifer Lopez; Aos Treze (2013), de Catherine Hardwicke; o terror Pânico na Floresta (2003); e no ótimo e subestimado Garçonete (2007), com Keri Russell. Na telinha, Sisto também teve destaque participando de séries como A Sete Palmos (de 2001 a 2005), Lei & Ordem (2007 a 2010), Suburgatório (2011 a 2014) e no suspense sobrenatural da Netflix The Returned (2015). Atualmente, Sisto está na série Ice, drama criminal sobre negociantes de pedras preciosas.

Amy Heckerling (diretora)

Roteirista e cineasta, Heckerling tem grandes sucessos na carreira como o adolescente Picardias Estudantis (1982), com Sean Penn e grande elenco em início de carreira. Como roteirista, escreveu Olha Quem Está Falando (1989) e sua sequência (1990). Em 1995, explodiu com As Patricinhas de Beverly Hills, filme que escreveu e dirigiu. Logo depois, também foi responsável por levar a ideia para a TV, na série homônima. Mas Heckerling também flertou com o fracasso, quando escreveu e dirigiu O Otário (2000), com Jason Biggs. Depois recuperou a velha forma com Nunca é Tarde para Amar (2007) e Vampiras (2012) – este último um filme subestimado – ambos no roteiro e direção. Como diretora, Heckerling comandou 2 episódios de Gossip Girl: A Garota do Blog (em 2012), 3 episódios do prelúdio de Sex and the City, The Carrie Diaries (entre 2013 e 2014); além de 4 episódios da comédia Red Oaks, entre 2015 e 2016, seu último trabalho como diretora até então.


Crítica | Extraordinário é extraordinário... e vai te fazer chorar litros!


» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

[AVISO] Os comentários passam por uma aprovação e podem demorar até 24 horas para serem disponibilizados no site. Comentários com conteúdo ofensivo serão deletados, e o usuário pode ser banido. Respeita a opinião alheia e comporte-se.