Review | The Walking Dead – 7×03: The Cell

Review | The Walking Dead – 7×03: The Cell

COMPARTILHE!

[SPOILERS]

Daryl Dixon é o seu nome.

O episódio 07×03 começa mostrando o torturado braço-direito de Rick preso numa solitária comendo restos de sanduíche ou comida para cachorro enquanto ouve musiquinhas retrô. No entanto, quem o alimenta é o deformado Dwight, uma espécie de homem de confiança de Negan… ou um dos top guys, como o vilão-mor o chama.




A trama surpreende e revela uma camada um tanto mais sofrida de Dwight. Ainda que a covardia e o senso de fraqueza o tenha dominado, o espectador percebe que ele já foi um rebelde marginal com personalidade, tal como Daryl no passado. Visto que já tenha confrontado Negan e tentado fugir de suas vilanias, Dwight foi pego e submetido a torturas iguais ou talvez piores que Daryl, uma vez que ele ficou com metade do rosto deformado – a tal queimadura provocado pelo “ferro” que Negan diz tê-lo submetido.

Precisamos falar sobre a polêmica da VIOLÊNCIA em ‘The Walking Dead’ 

Acontece que as tiranias de Negan não parariam por aí. Não satisfeito em ver Dwight se rendendo e pedindo perdão, o vilão do taco de baseball ainda se casa com a irmã de Dwight… depois ele rouba sua esposa. É uma clara menção ao Poder Absoluto de um Rei Maligno, que pode despojar de qualquer mulher de seus súditos como uma espécie de “pagamento”. Negan, enfim, domina Dwight, que pelo medo e terror provocado pelo vilão, acaba junto de sua esposa, o acatando.

A cena em que vemos Dwight e sua mulher conversando num corredor enquanto fumam e confirmam que estão “felizes” e fazendo “as coisas certas”, é a prova desse domínio físico e psicológico, e praticamente uma autoafirmação ilusória de uma escravidão que já foi aceita e conformada. Afinal, o desespero pela sobrevivência, fizeram o covarde Dwight e sua fragilizada esposa, se submeterem aos mandos de Negan como verdadeiros cães adestrados. E mesmo que Dwight tenha tomado uma porrada verbal altamente sincera do amigo que ele mata na estrada, Dwight ainda acha que se virarem oponentes de Negan, todos irão morrer.




Mas é aí que ele nota do que aquele rebelde motoqueiro lá preso na solitária é capaz… aliás, se o episódio revela algo ainda mais profundo do que a fraqueza patética de Dwight, é justamente a força de resistência e de enfrentamento de Daryl.

Forjado por todo o sofrimento que passou junto de Rick, e acentuado ainda mais pela perda de Glenn (seu segundo melhor amigo e, talvez, a quem ele se culpa pela morte), Daryl tem a certeza que pode ser espancado, pisoteado, massacrado e completamente humilhado… mas ele nunca se renderá a Negan. E num dos confrontos olho-no-olho mais emblemáticos da série, o deformado Dwight percebe definitivamente que aquele arqueiro é muito mais do que um rebelde motoqueiro… ao testemunhar o braço-direito de Rick levantar a cabeça e responder sem medo ao vilão-mor da série que seu nome não é Negan, mas sim “Daryl“, foi a resposta de que aquele homem da solitária pode até chorar ouvindo uma letra de lamento em alguma canção triste, mas, JAMAIS se ajoelhará ao Tirano que escraviza a todos.

Até porque, do sangue que Negan quer espirrar, Daryl Dixon já se limpou muitas outras vezes!



Curta nossa ENTREVISTA com a Nina Dobrev:


» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «