quarta-feira, abril 24, 2024

30 anos de ‘Anjo Malvado’, suspense com Macaulay Culkin; Lembra?

O doce olhar da maldade. Chegava aos cinemas três décadas atrás um filme que aborda várias camadas da maldade aos olhos de uma criança indefesa e com o luto ainda batendo em sua consciência. Anjo Malvado, escrito por Ian McEwan, com direção de Joseph Ruben, preenche sua narrativa com uma alta carga de tensão onde os dilemas viram a fortaleza de um precoce amadurecimento sobre os obstáculos em forma de tragédia.

Na trama, conhecemos Mark (Elijah Wood), um jovem que acabara de perder a mãe vítima de um câncer. O pai precisa deixá-lo com o seu tio, no gelado estado de Maine, para poder fechar um negócio em Tóquio que lhe dará toda a estabilidade financeira para viver com o filho. Assim, Mark chega na família desse tio, que não via fazia anos, e lá está presente Henry (Macaulay Culkin), primo de Mark, um jovem controlador, manipulador, dissimulado, maldoso, com quem o protagonista entrará em confronto.

Parcialmente inspirado em um filme lançado em meados da década de 50 chamado The Bad Seed, Anjo Malvado se define muito bem como um suspense buscando ser objetivo e chegando rapidamente ao seu intenso clímax. O luto, é o primeiro ponto para o espectador analisar, nesse momento vemos dois pontos de vistos, a do protagonista e a da família que o recebe, cada qual no seu trauma. A direção é importante aqui, raspando as emoções por entrelinhas intrigantes que formam um elo importante para o que viria pela frente nos conflitos dos personagens.

Nessa nova dinâmica familiar, Mark a princípio se sente aceito, personifica a presença da mãe na sua tia e enxerga com bons olhos ter irmãos. Aqui se encaixa um elemento importante, a incapacidade dos tios dele em enxergar as verdades sobre o filho Henry, um jovem rapaz repleto de pensamentos doentios e provável responsável por outra tragédia num passado recente. As leituras em relação a esse ponto desse quebra-cabeça psicológico podem gerar muitas interpretações do espectador mais atento.

Quando o principal confronto do filme é estabelecido, desabrocha a psicopatia de Henry, sempre sendo guiado pela visão de Mark. Esse rápido amadurecimento entre distinguir o bom do mau está presente e se tornam os obstáculos em forma de tragédia, através de testemunhos de uma série de maldades completamente ligado ao desapego, ao narcisismo evidente, na figura de um jovem. Esse último fato deixa tudo nesse filme mais profundo e culmina com o dilema se mostrando novamente presente em uma cena final que fica nas memórias de todos que assistem.

Não deixe de assistir:

A produção teve uma curiosidade, o fato de não ser exibido nos cinemas de todo o Reino Unido por conta do caso James Bulger, uma tragédia que chocou o mundo no início de 1993. E sobre os famosos protagonistas, logo se tornaram rostos conhecidos da indústria cinematográfica ao longo dos anos, Elijah Wood e Macaulay Culkin, esse último já muito famoso pelo sucesso de Meu Primeiro Amor e Esqueceram de Mim. O primeiro seria um dos protagonistas de uma das maiores sagas da história do cinema, O Senhor dos Anéis.

Essa análise profunda sobre a maldade, com um suspense que causar arrepios, está disponível no catálogo da Star Plus. É um filme para assistir e nunca mais esquecer!

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS