terça-feira, fevereiro 27, 2024

A Má Fase de Filmes em Hollywood no pós-‘Barbenheimer’ – Será que ainda teremos outro grande sucesso em 2023?

Os Mercenários 4’ é o mais recente pretenso blockbuster de 2023 a dar com os burros n’água nas bilheterias mundiais e com a crítica. A má recepção do filme protagonizado por algumas das lendas da ação pode ser creditada a alguns muitos fatores, porém, ela apenas reflete o que vem sendo a maioria dos lançamentos grandes de Hollywood no pós fenômeno “Barbenheimer” – que parou o mundo em julho deste ano.

Para todos que estiveram vivendo em uma caverna nos últimos três meses, “Barbenheimer” foi um fenômeno sem precedentes, no qual uma “rivalidade” muito saudável promovida pelos estúdios Warner e Universal, alimentada pelos fãs, colocou duas superproduções para se digladiarem nos cinemas pelo mundo (e consequentemente também nas bilheterias). Tais filmes não poderiam ser mais opostos. ‘Barbie’, da Warner, é o grande campeão do ano, e ‘Oppenheimer’, da Universal, é um dos filmes mais queridos dos fãs em 2023. Ao invés de se canibalizarem, a dobradinha foi muito bem aproveitada por ambas as partes, alimentando uma a outra. Tudo porque cismaram de estrear no mesmo dia. Os estúdios podem até tentar replicar esse fenômeno, mas obter o mesmo resultado é impossível.

Barbie’ e ‘Oppenheimer’ seguem em cartaz gerando uma boa bilheteria – dois meses depois de sua estreia. Isso é algo muito positivo. O lado negativo desta equação é que depois disso, em partes servido pela greve de roteiristas e atores de Hollywood (que chegou ao fim na semana passada, graças a Deus), nenhum dos mais de 10 grandes filmes lançados nestes dois meses chegou perto do sucesso da dupla, como sequer foram filmes que despertaram minimamente o interesse do público ou a boa vontade dos críticos. O período se tornou um dos mais sombrios dos nos cinemas nos últimos anos – seria a rebordosa do “Barbenheimer”?

A pergunta que fica verdadeiramente é: “será que algum filme este ano ainda fará sucesso remotamente próximo ao que foram os dois filmes citados?”. Ou seja, equilibrando sucesso de crítica com uma boa bilheteria. Após a desistência de algumas superproduções, como ‘Duna – Parte 2’ (que se bandearam para 2024), sobraram poucas obras para ocupar a vaga – como ‘As Marvels’, ‘Aquaman 2’, o novo ‘Jogos Vorazes’, ‘Rebel Moon’, ‘Wonka’ e ‘A Cor Púrpura’, por exemplo.

Abaixo selecionamos para você os principais filmes lançados no pós-‘Barbenheimer’, alguns até bem recebidos, mas para os quais grande parte do público não deu dois centavos. Confira.

Mansão Mal-Assombrada

Não deu para a Disney tentar enfrentar o fenômeno “Barbenheimer”. Ainda mais com um filme que: a) ninguém tinha pedido e b) os que assistiram acharam no máximo morno. Ninguém se importava com mais um filme de ‘Mansão Mal-Assombrada’, uma atração dos parques Disney, mas se fosse realmente bom, esse pensamento poderia ser modificado a favor do longa. Não foi o caso. Assim, na semana seguinte do “Barbenheimer” todos só tinham olhos para a dupla citada e ninguém quis saber do blockbuster da Disney – que precisou arcar com o prejuízo estrondoso.

Megatubarão 2

Não deixe de assistir:

E que tal a continuação de um filme que havia impressionado um total de zero pessoas, e que até mesmo os que assistiram lutaram para lembrar que o haviam feito. Sim ‘Megatubarão’ (2018) é um filme altamente esquecível, que sequer diverte no quesito “tão ruim que se torna bom”. Este é apenas ruim mesmo. Então, recai no item acima, ou seja, mesmo que ninguém tenha pedido por este filme, se fosse ao menos divertido isso seria relevado. Mas o resultado foi ainda pior que o original. Por incrível que pareça, o longa não foi mal nas bilheterias, se garantindo muito no mercado asiático (que adora filmes idiotas de monstros gigantes), com US$390 milhões mundiais.

As Tartarugas Ninja – Caos Mutante

Sim, é verdade que As Tartarugas Ninja são personagens que ficaram presos ao passado, sem conseguir “migrar” para os tempos modernos de forma bem-sucedida. Isso se deve muito pelo fato de não terem tido um filme elogiado para chamarem de seu – caso de grande parte dos outros heróis, como Batman e Homem-Aranha, por exemplo. Mas aqui acontece o caso inverso do item acima. Ou seja, ‘Caos Mutante’, a animação no estilo ‘Aranhaverso’ recebeu elogios de sobra dos críticos e dos fãs, o problema foi que quase ninguém se prontificou a ir assistir ao filme nos cinemas e o longa meio que passou em branco.

Drácula – A Última Viagem do Demeter

Esse aqui ninguém sabia direito o que esperar. Quando foi anunciado, muitos apostavam que poderia render um dos melhores filmes de terror do ano – gerando grande hype em cima dele. Isso porque é baseado em um clássico do gênero, representando em tela pela primeira vez um capítulo do livro ‘Drácula’, de Bram Stoker, que narra a viagem do maior vampiro de todos a bordo de um navio, da Transilvânia até Londres. Porém, após o lançamento, as avaliações mornas (para dizer no mínimo) jogaram areia na vontade de todos em assistir ao filme nas telonas.

Besouro Azul

Esse aqui dividiu opiniões, mas não em relação à qualidade do filme. Acontece que em sua grande maioria, as críticas foram positivas em relação ao mais recente herói da DC nas telonas – e para os brasileiros ainda tinha um motivo a mais: a presença de nossa querida conterrânea Bruna Marquezine em papel de destaque. Porém, uma coisa curiosa chama atenção: mesmo nas críticas positivas, as aprovações refletem elementos que já vimos em muitos filmes do tipo. É como se dissessem: “não é ruim”. E isso não é uma avaliação assim tão positiva, é meio que aceitar a mediocridade. Mesmo não sendo ruim, a vontade da maioria das pessoas em conferir o filme não foi grande.

Ruim pra Cachorro

Essa era uma venda difícil, do nível de ‘Festa da Salsicha’ (2016). Ou seja, um filme criado nos moldes de uma produção infantil, porém, subvertendo essa imagem com uma narrativa de censura alta, imprópria para menores de idade. Por um lado as crianças (que seriam o público-alvo do formato) não podem entrar e por outro, os adultos que podem talvez não tenham interesse em um filme sobre cachorros falantes. Nessa área morta, o filme precisaria ser a reinvenção da roda de maravilhoso. Não foi o caso. E ‘Ruim pra Cachorro’ foi mais um que falhou em criar identificação com o público.

Gran Turismo

O que vemos atualmente cada vez mais é um número pequeno de produções se dando bem e caindo no gosto popular. Mesmo quando todos atestam sobre a qualidade de determinado filme, não é indicativo de que ele se tornará sucesso. Veja o caso com ‘Gran Turismo’, adaptação de um vídeo game de corrida, pelo qual ninguém dava duas moedas. Mas quando o filme foi lançado, começaram a vir as avaliações positivas. Em um caso parecido com o de ‘Besouro Azul’, nem mesmo toda a campanha feita pelos críticos ou quem se disponibilizou a assistir fez o filme emplacar e mais pessoas se convencerem a ir vê-lo.

O Protetor 3

‘O Protetor’ e o primeiro ‘John Wick’ foram lançados no mesmo ano. Ambos usam tramas parecidas sobre a vingança de um justiceiro que é um assassino exímio. ‘John Wick’ caiu mais no gosto do público e lançou a primeira continuação três anos depois, e um terceiro filme dois anos depois deste. À altura que o quarto estreou este ano, ‘John Wick’ já havia se tornado uma franquia muito querida – gerando inclusive sua própria série. ‘O Protetor’ lançou uma sequência aos trancos e barrancos quatro anos depois, e um terceiro filme – que apenas uma pequena parcela da audiência estava realmente empolgada.

A Freira 2

Um filme já começa em desvantagem quando ele é a sequência de outro que ninguém gostou. Esse é o caso com ‘A Freira 2’, parte do “Invoca-verso”, mas que continua um dos filmes menos apreciados desta franquia. Talvez o maior elogio em relação a esta continuação seja saber que ela não é tão ruim quanto o original. Por outro lado, se tornou um sucesso de bilheteria, permanecendo por três semanas consecutivas no topo do ranking. O que diz mais sobre a falta de qualidade de seus concorrentes, vide ‘O Protetor 3’, ‘Casamento Grego 3’, ‘A Noite das Bruxas’ e ‘Os Mercenários 4’. O filme também protagonizou um dos piores fins de semana de tempos recentes nos cinemas, com um primeiro lugar nas bilheterias de menos de US$10 milhões.

Casamento Grego 3

Definitivamente ninguém pediu por mais um ‘Casamento Grego’. A verdadeira questão é: alguém ainda lembra desta franquia de comédia romântica? O primeiro filme foi um sucesso surpresa, encantando plateias do mundo inteiro, inclusive no Brasil, com os costumes gregos, em 2002. Provando que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, os 14 anos que o separa de sua continuação não motivou ninguém a sequer tomar conhecimento de que existia um filme dois. O terceiro chega nessa mesma vibração do anonimato, apelando apenas para “meia dúzia” de fãs.

A Noite das Bruxas

Agora é onde a coisa fica ainda mais triste. Isso porque aos trancos e barrancos o “Agatha-verso” confeccionado por Kenneth Branagh até rendeu filmes bacaninhas do estilo feijão com arroz. Ou seja, fazem o básico e alimentam, mas não são nem de perto alta gastronomia, ou cinematografia. De certa forma, estes filmes são os “primos pobres” dos filmes detetivescos de Rian Johnson com Daniel Craig. Curiosamente, este terceiro longa é considerado pela crítica o melhor dos três. Mesmo assim, sua estreia não conseguiu levar bundas para as poltronas de cinema suficientes para desbancar ‘A Freira 2’ em sua segunda semana em cartaz.

Os Mercenários 4

E se ‘A Noite das Bruxas’ não conseguiu mover ‘A Freira 2’ do primeiro lugar em sua segunda semana, a coisa fica ainda pior para ‘Os Mercenários 4’, que não conseguiu fazer frente ao citado terror do “Invoca-verso” em sua terceira semana de exibição. Isso mesmo! Mas verdade seja dita, o quarto Mercenários, desde sua concepção, inspirou zero confiança. Por mais que gostemos de Sylvester Stallone e da franquia que ajudou a construir, agora ao que parece o astro estava passando a tocha para Jason Statham. E numa série que já teve lendas como Chuck Norris, Jean-Claude Van Damme, Wesley Snipes, Bruce Willis, Arnold Schwarzenegger, Harrison Ford e Mel Gibson, um quarto filme que tenta “apimentar as coisas” ao trazer Megan Fox e 50 Cent não merece qualquer empolgação realmente. Esperamos que as coisas melhorem para o cinema neste último semestre.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS