domingo, abril 14, 2024

Após REVOLTA de conservadores com a Netflix, historiadores comprovam que ‘Alexandre, O Grande’ era Gay

Intitulada ‘Alexandre: O Nascimento de um Deus‘, a nova série documental da Netflix está dando o que falar entre os conservadores, que estão revoltados com a representação do personagem histórico como um homem gay.

Isso porque a trama explora o relacionamento entre Alexandre (Buck Braithwaite) e Heféstio (Will Stevens), aristocrata que acompanhou Alexandre na sua campanha asiática desde o princípio, combatendo como general na cavalaria de elite.

Apesar de Alexandre ter se casado com a princesa Estatira II, filha de Dario, rei da Pérsia, há relatos que datam de mais de dois mil anos que ele e Alexandre eram amantes.

De acordo com o historiador Robin Fox (via MovieMaker), membro da aclamada Royal Society of Literature da Grã-Bretanha, os dois viveram um romance enquanto Alexandre se transformava no maior conquistador territorial que já passou pela Terra.

Autor do livro ‘Alexandre, o Grande‘, publicado em 1973, Fox foi contratado como consultor histórico para o filme dirigido por Oliver Stone em 2004, que trouxe Colin Farrell e Jared Leto como Alexandre e Heféstio, respectivamente.

Uma das páginas da obra, Fox diz o seguinte:

“Heféstio era o homem que Alexandre amava e, pelo resto de suas vidas, o relacionamento entre eles permaneceu tão íntimo que agora é inquebrável. Alexandre só foi derrotado uma vez, disseram os filósofos cínicos muito tempo depois de sua morte, e foi pelas coxas de Heféstio.”

Outro texto que reforça a relação entre eles foi escrito por Quintus Curtius Rufus, um senador romano que viveu no primeiro século d.C., cerca de 400 anos após a morte de Alexandre, em 323 a.C.

Curtius é autor de um dos principais relatos sobreviventes sobre a vida de Alexandre, intitulado ‘History of Alexander, the Great‘.

Não deixe de assistir:

Com tradução do latim na edição Penguin Classic, Curtius explica que:

“Heféstio era de longe o mais querido dos amigos do rei; ele havia sido criado com Alexandre e compartilhava todos os seus segredos. Nenhuma outra pessoa tinha o privilégio de aconselhar o rei com tanta franqueza quanto ele. Ele exercia esse privilégio de tal forma que parecia clara uma abertura dada por Alexandre e não algo cobrado por Heféstio.”

Ambos os textos contextualizam o que a Dra. Salima Ikram, professora da Universidade Americana do Cairo, diz no primeiro episódio do documentário da Netflix.

“Heféstio realmente não era apenas um companheiro querido, mas talvez seu maior amor.”

ASsista nosso vídeo:

O episódio em questão traz à tona como Alexandre chegou ao poder na Macedônia, localizada na Grécia moderna e o retrata junto a Heféstio como amantes apaixonados e amigos íntimos que não tinham apenas ligações que se resumiam ao nível profissional e militar.

Vale lembrar que que Alexandre, o Grande, nasceu em 356 a.C., uma época em que eram comuns as relações amorosas entre homens.

Ainda assim, nas redes sociais, várias pessoas se indignaram com a retratação do relacionemto entre eles:

A série conta com seis episódios, narrando desde seu exílio até sua incansável busca para derrubar o formidável imperador persa Dario, culminando em sua conquista do mundo conhecido em menos de seis anos.

A emocionante série histórica apresenta uma mistura de reconstituições dramáticas, insights de acadêmicos, descobertas arqueológicas inovadoras e escavações atuais no local de Calliope Limneos-Papakosta, em Alexandria, Egito.

Na série, Buck Braithwaite (‘Nefarious’) interpreta Alexandre, ao lado de Mido Hamada (‘Desconhecido’) como Rei Dario.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS