segunda-feira, junho 24, 2024

As Melhores Animações de 2023

Estamos no fim de mais um ano – e, como você já poderia imaginar, damos continuidade às nossas listas especiais relembrando os melhores e piores títulos lançados nos últimos doze meses.

Dessa vez, convidamos os leitores a conferir nossas escolhas para as sete melhores animações de 2023, desde o recente lançamento de ‘A Fuga das Galinhas: A Ameaça dos Nuggets’ à surpreendente originalidade de ‘Nimona’. Entretanto, não levamos em consideração títulos não lançados oficialmente em circuito nacional, como ‘The Boy and the Heron’, o último filme de Hayao Miyazaki para o Studio Ghibli.

Confira abaixo as nossas escolhas:

7. ELEMENTOS

Ninguém imaginaria que ‘Elementos’, cujas projeções indicavam para mais um triste fracasso crítico e financeiro da Pixar, se transformaria em uma das incursões animadas favoritas do público. Após um decepcionante começo em seu circuito nos cinemas, a produção se concretizou como uma singela e honesta narrativa que nos arremessou de volta para os primeiros anos do estúdio. A trama se passa em uma sociedade onde os quatro elementos da natureza – ar, terra, fogo e ar – vivem em harmonia. Ember (fogo) é uma mulher com um grande senso de humor e apaixonada pela família, mas tem um temperamento um pouco quente. Wade (água) é empático e extrovertido, e não tem medo de demonstrar suas emoções. Eles vão se apaixonar e viver um romance complicado.

6. LEO

“Despretensioso, ‘Leo’ é um filme que te pega de surpresa e de repente desperta emoções com as quais você não estava preparado para lidar ao sentar para assistir a um longa de animação que tem uma tartaruga e um camaleão como protagonistas. Numa vibe meio ‘Divertida Mente’, o roteiro de Robert SmigelAdam Sandler e Paul Sado joga luz sobre as angústias dos pré-adolescentes em uma sociedade que não os ouve e que lhes cobra comportamentos e posturas, forçando-os a esconderem seus medos” – Janda Montenegro

5. SUPER MARIO BROS. – O FILME

“Partindo de uma premissa simples, familiar e bastante funcional, a ideia por trás da obra não é reinventar a roda, e sim construir um território nostálgico o suficiente para angariar os fãs de longa data dos games, mas sucinto o bastante para que a nova geração, talvez alheia às múltiplas histórias envolvendo Mario e sua turma, possa se apaixonar da mesma maneira que nos apaixonamos no passado. Entretanto, é preciso comentar sobre o atropelado ato de abertura, que se apressa demais em apresentar muitas informações e se torna cansativo depois de alguns minutos; não obstante os deslizes iniciais, o roteiro de Matthew Fogel engata assim que percebemos em que direção o enredo seguirá, nos deixando animados com os capítulos subsequentes e de que forma o final feliz virá para os heróis” – Thiago Nolla

4. AS TARTARUGAS NINJA: CAOS MUTANTE

Não deixe de assistir:

“Marcando um novo início para o universo das Tartarugas favoritas da Cultura Pop, o filme é apenas o pontapé inicial em um projeto de franquia que já conta com uma sequência e uma série animada derivada com pelo menos duas temporadas confirmadas para os próximos anos. E isso costuma ser um bom sinal, porque mostra que o estúdio está confiante no bom desempenho do longa. E nesse caso, em especial, é completamente justificável, porque o filme é simplesmente fantástico” – Pedro Sobreiro

3. A FUGA DAS GALINHAS: A AMEAÇA DOS NUGGETS

“É [a] delicadeza presente em ‘A Fuga das Galinhas: A Ameaça dos Nuggets’ que nos conquista. Diante da perfeição estética dos efeitos visuais associados ao stop motion, há também uma bela e doce história sobre pertencimento e o sentimento de construir uma comunidade sem medo do mundo exterior. Aqui, muito mais do que uma operação resgate, a animação é de fato um conto sobre família, mutualidade e união. Com um pano de fundo mais sombrio do que se esperaria de um filme infantil, o longa consegue cruzar suas próprias limitações – além do fantasma do sucesso do original -, para proporcionar um entretenimento divertido e prático, onde o clímax é convidativo, o humor funciona e a estética nos hipnotiza” – Rafaela Gomes

2. NIMONA

Baseado na graphic novel de mesmo nome, ‘Nimona’ marcou o último projeto da icônica produtora BlueSky Animation e chegou ao catálogo da Netflix há alguns meses. Dirigido por Nick Bruno e Troy Quane, a animação traz vários elementos clássicos do gênero de ação e contou com ninguém menos que Chloë Grace MoretzRiz Ahmed e Eugene Lee Yang como os protagonistas. O enredo acompanha Nimona, uma adolescente com o poder da metamorfose que vira alvo de um cavaleiro por assassinato. A missão do cavaleiro em matar Nimona fica complicada quando ele acusado de um crime e descobre que Nimona pode ser a única a conseguir exonerá-lo.

1. HOMEM-ARANHA: ATRAVÉS DO ARANHAVERSO

Sem sombra de dúvida, nenhuma outra produção poderia ocupar o topo do nosso pódio além da antecipadíssima sequência ‘Homem-Aranha: Através do Aranhaverso’. Cogitada para levar o Oscar de Melhor Animação na próxima edição do evento (repetindo o feito com o título de 2018), a trama traz Miles Morales de volta às telonas da melhor maneira possível. Depois de se reunir com Gwen Stacy, o amigão da vizinhança e protetor em tempo integral do Brooklyn é catapultado através do Multiverso, onde ele encontra um time de Pessoas-Aranha que precisam proteger a própria existência. Quando os heróis não conseguem se unir para lidar com uma nova ameaça, Miles se vê dividido e precisa redefinir o que significa ser um herói para que ele consiga salvar as pessoas que mais ama.

Mais notícias...

Thiago Nollahttps://www.editoraviseu.com.br/a-pedra-negra-prod.html
Em contato com as artes em geral desde muito cedo, Thiago Nolla é jornalista, escritor e drag queen nas horas vagas. Trabalha com cultura pop desde 2015 e é uma enciclopédia ambulante sobre divas pop (principalmente sobre suas musas, Lady Gaga e Beyoncé). Ele também é apaixonado por vinho, literatura e jogar conversa fora.

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS