sexta-feira, abril 12, 2024

Com a ajuda de Elon Musk, Gina Carano PROCESSA a Disney após ser demitida de ‘The Mandalorian’ por declarações polêmicas

Gina Carano está processando a Disney e a Lucasfilm por discriminação e rescisão injusta após ser demitida de ‘The Mandalorian‘.

Carano, em uma queixa apresentada na terça-feira no tribunal federal da Califórnia, alega que foi demitida por expressar opiniões de direita nas redes sociais e busca uma ordem judicial que forçaria a Lucasfilm a reformulá-la.

Elon Musk, cumprindo a promessa de pagar a conta legal dos usuários que alegam ter sido discriminados devido à sua atividade em sua plataforma, está ajudando a financiar o processo por meio do X.

Em um comunicado, o chefe de operações comerciais de X, Joe Benarroch, disse:

“Como um sinal do compromisso da X Corp com a liberdade de expressão, estamos orgulhosos de fornecer apoio financeiro para o processo de Gina Carano, capacitando-a a buscar a reivindicação de seus direitos de liberdade de expressão no X e a capacidade de trabalhar sem intimidação, assédio ou discriminação.”

A Lucasfilm anunciou em 2021 que Carano não retornaria à série de sucesso depois de compartilhar uma postagem sugerindo que ser republicano é como ser judeu durante o Holocausto.

Foi a última de uma longa série de postagens em que a ex-lutadora de MMA atraiu a ira dos usuários das redes sociais por suas posições de direita em questões polêmicas.

Carano, que foi dispensada pela sua agência UTA após a controvérsia, anteriormente zombou das ordens do governo para usar máscaras durante a pandemia de COVID-19 e sugeriu falsamente que ocorreu fraude eleitoral durante as eleições presidenciais de 2020.

De acordo com a denúncia, a Disney e a Lucasfilm perseguiram e difamaram Carano por se recusar a conformar-se com seus pontos de vista sobre questões relacionadas ao Black Lives Matter, pronomes preferidos e alegações refutadas de interferência eleitoral.

Não deixe de assistir:

Embora ela tenha sido supostamente demitida por suas crenças culturais e religiosas, Carano argumenta que a gigante do entretenimento fez vista grossa aos seus colegas de elenco masculinos, que supostamente fizeram postagens ofensivas e denegridoras dirigidas aos republicanos.

O processo diz que a Disney exigiu que Carano se reunisse com um representante da Aliança Gay e Lésbica Contra a Discriminação e exigiu um pedido público de desculpas.

“Os réus chegaram ao ponto de tentar convencer o assessor de Carano a forçar Carano a emitir uma declaração admitindo ter zombado ou insultado um grupo inteiro de pessoas, o que Carano nunca tinha feito”, afirma a denúncia.

Depois que ela recusou, Carano foi orientada a se encontrar com a presidente da Lucasfilm, Kathleen Kennedy, e 45 funcionários que se identificam como LGBTQ+, de acordo com o processo. Ela recusou e foi demitida logo depois de ‘The Mandalorian‘, bem como de outros títulos do universo Star Wars, incluindo Rangers of the New Republic.

Carano apresenta ações por dispensa injusta e discriminação sexual. Ela busca uma ordem judicial que forçaria a Lucasfilm a pedir desculpas e a pelo menos US$ 75 mil, além de indenizações punitivas.

“Alguns de nós foram injustamente apontados, assediados, perseguidos e tiveram os nossos meios de subsistência retirados porque ousamos encorajar a conversa, fizemos perguntas e nos recusamos a acompanhar a multidão”, disse ela num comunicado. 

Antes da polêmica contra os judeus, ela também foi irônica ao dizer que não havia campanhas de defesa a favor dos conservadores como há para negros, gays e mulheres.

 

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS