quarta-feira, abril 24, 2024

Crítica | Apaixonada – Giovanna Antonelli Empoderada em Comédia Romântica sobre e para Mulheres

O mês de março é internacionalmente conhecido como o mês da mulher. É o tempo reservado para pensar nas questões, nas angústias, nas reinvindicações, nas pautas, nos anseios e nos desejos das mulheres – todas elas. E também a indústria cinematográfica pensa nessa data com carinho, disponibilizando mais filmes com protagonismo ou pauta feminina nos cinemas e nos streamings. E como carro-chefe para marcar a data nas salas do cinema, estreia, no próximo dia 7 de março, a comédia romântica brasileiraApaixonada’.

Bia (Giovanna Antonelli, que volta a brilhar ao transitar entre a comédia e o drama) está triste porque sua filha, Júlia (Rayssa Bratillieri), viajou para a Argentina para estudar, e ficará um bom tempo por lá. Por outro lado, Bia está animada porque agora ela e o marido, Alfredo (Danton Mello), terão a casa só para eles, e, portanto, pretende apimentar a relação. Porém, para sua imensa surpresa, tão logo a filha viaja, Alfredo comunica à Bia que quer se separar dela. Sem saber o que fazer da própria vida, Bia conta com os conselhos e suporte de seus melhores amigos, Dora (a maravilhosa Polly Marinho) e Jeff (o ótimo Pedroca Monteiro, rostinho novo no mercado) para voltar a aprumar sua bússola emocional, mas Bia não faz ideia de como se reconectar consigo mesma, uma vez que tudo está acontecendo ao mesmo tempo e nada fora planejado.

O que mais chama a atenção em ‘Apaixonada’ é uma atmosfera leve que perpassa toda a narrativa da produção. E o motivo fica evidente ao subir dos créditos: não só o elenco, mas boa parte da ficha técnica é composta por mulheres – e, principalmente, mulheres em posição de comando, como a diretora de arte Priga Costa, a diretora de fotografia Luz Guerra, a diretora de produção Patricia Chamon e o figurino por Natalia Duran e Júlia Melo. Para um filme com essa temática, ter uma equipe essencialmente mulheril realmente imprime a leveza no resultado final.

Em uma hora e meia de duração, ‘Apaixonada’ é aquele filme que mais parece uma conversa entre melhores amigas, bem estilo ‘Sex and The City‘ versão carioca e reunindo todas as personagens em uma única protagonista. As situações são comuns ao universo feminino, os diálogos, naturais, os erros e acertos, válidos. Até mesmo quando as coisas não dão certo para a protagonista, o roteiro de Ana Abreu e Sabrina Garcia – baseado na obra ‘Apaixonada Após os 40’, de Cris Souza Fontês – encontra soluções mais suaves para os embates que Bia encontra ao sair novamente para a vida.

Com locações paradisíacas da mureta da Urca, no Rio de Janeiro, a passeios em Buenos Aires, o filme de Natalia Warth surpreende por realizar gravações no país portenho e trazer o ator Nicolás Pauls para diárias no Brasil, além de contar com participações luxuosas de renomados atores como Jonas Bloch e Claudia Ohana e de Rodrigo Simas como a nova experiência vivida pela protagonista.

Carismático e colorido como um entardecer de verão e numa vibe novela das sete, ‘Apaixonada’ é um filme tranquilo, que toca em temas recorrentes ao universo da mulher madura sem ser muito clichê e sem ser muito dramático, mostrando que é possível ter as rédeas da própria vida sem esperar algo dramático provocar uma mudança. Ideal para um programinha entre amigas no fim de semana do Dia da Mulher.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS

O mês de março é internacionalmente conhecido como o mês da mulher. É o tempo reservado para pensar nas questões, nas angústias, nas reinvindicações, nas pautas, nos anseios e nos desejos das mulheres – todas elas. E também a indústria cinematográfica pensa nessa data...Crítica | Apaixonada – Giovanna Antonelli Empoderada em Comédia Romântica sobre e para Mulheres