Crítica | Desapega! – Glória Pires vive compradora compulsiva ao lado de Maísa em Divertida Comédia Nacional

Nenhum tipo de vício é bom. Porém, quando falamos de vício, as imagens que vêm comumente são drogas e bebidas, e pouco se fala (e menos ainda, se reconhece) outros tipos de compulsões danosas, como o caso da compulsão por compras, que, além de causar grande prejuízo financeiro para a família da pessoa, também tem como consequência o acúmulo de coisas inúteis. Sobre esse assunto, e com uma pegada bem leve, chega aos cinemas brasileiros a partir de 9 de fevereiro a comédia nacionalDesapega!’.

Rita (Glória Pires) era uma compradora compulsiva, mas, há sete anos, está controlada. Substituindo um colega que sai de férias, Rita assume a liderança de um grupo de compradores e acumuladores compulsivos, composto por Gisélia (Malu Valle), Rômulo (Wagner Santisteban), Sylvia (Polly Marinho), Cibele (Carol Bresolin, que consegue ser engraçada naturalmente) e Otávio (Marcos Pasquim). Dentre os desabafos e desafios do grupo em controlar o impulso consumista, Rita fica sabendo que sua filha, Duda (Maísa Silva), conseguiu uma bolsa de estudos para estudar fotografia em Chicago. Só que a notícia desperta nela um gatilho muito forte, e agora Rita precisa reunir todas as suas forças para não ter uma recaída e gastar todo o dinheiro da viagem.

Em pouco mais de uma hora e meia, ‘Desapega!’ é mais um acerto do diretor Hsu Chien. Ao imprimir um tom leve da comédia a um assunto tão sério (e pouquíssimo debatido socialmente), o diretor e roteirista cumpre o papel social do cinema em levar o público a refletir, especialmente na época de início de ano, quando chegam todos os boletos das compras desenfreadas de fim de ano.

É bom ver Glória Pires tão didática em cena, demonstrando, com sua voz paciente e seu jeito de mãezona, diversas técnicas para que o espectador que se reconheça no filme conseguir, sozinho, reconhecer seus impulsos e ser capaz de controlá-los. Ao invés de reforçar o drama com cenas de compras compulsivas, o roteiro de Leandro Matos foca mais em ajudar os personagens e, de quebra, também o espectador. Para isso vale até dar uma acelerada no tempo fictício, para que o arco do controle-descontrole-equilíbrio aconteça conjuntamente com a ideia do intercâmbio da co-protagonista.

Não passam despercebidas as muitas homenagens à cultura pop que Hsu Chien insere em seu longa, como a cena em que Marcos Pasquim, pego no flagrante, enfia o rosto dentro da geladeira para tentar se esconder, em clara referência ao saudoso Robin Williams em ‘Uma Babá Quase Perfeita’. Também tem destaque o jovem Matheus Costa, cujas cenas com Marcos Pasquim são hilárias e roubam gargalhadas do espectador. Alerta de easteregg: o nosso querido crítico aqui do Cinepop, Raphael Camacho, faz uma ponta na cena final como uma das pessoas correndo dentro do bazar.

Desapega!’ abre com a música ‘Quando Você Passa (Turu Turu)’, de Sandy e Júnior, e ainda tem uma cena inteirinha repetindo a clássica sessão de karaokê de ‘High School Musical’. Com uma ótima mensagem, ‘Desapega!’ é diversão (e ensinamento) para toda a família.

Não deixe de assistir:

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS

Nenhum tipo de vício é bom. Porém, quando falamos de vício, as imagens que vêm comumente são drogas e bebidas, e pouco se fala (e menos ainda, se reconhece) outros tipos de compulsões danosas, como o caso da compulsão por compras, que, além de...Crítica | Desapega! - Glória Pires vive compradora compulsiva ao lado de Maísa em Divertida Comédia Nacional