Crítica | Menos Picante, ‘Através da Minha Janela: Além-mar’ Gira o Foco Para os Irmãos Hidalgo

Não faz nem pouco tempo que um romancezinho juvenil estreou na Netflix e arrebatou o público com sua história de lovezinho picante. Tratava-se do filme espanholAtravés da Minha Janela’, que abordava uma história de amor entre vizinhos em que ela era uma mocinha estudiosa e ele, claro, um bad boy irresistível. Por conta desses polos opostos, o amor entre eles rapidamente deslanchou para níveis mais picantes, afinal, ele sabia exatamente como dar prazer à namorada. Com tudo indo bem no romance, os dois decidiram que o amor era forte entre eles, o suficiente para que ele fosse ir estudar em outro país e ela ficasse em Barcelona. É aí que começa ‘Através da Minha Janela: Além-mar’, sequência que chegou este final de semana na Netflix.

Raquel (Clara Galle) está cursando faculdade de Literatura, mas a verdade é que ela não consegue se concentrar nas aulas, pois fica o tempo todo grudada no celular, esperando notícias do namorado, Ares Hidalgo (Julio Peña), que está estudando Medicina em outro país. Um ano se passou nesse relacionamento à distância, e os dois estão angustiados de saudades. Até que, às vésperas de um feriado, Ares aparece de surpresa na faculdade de Raquel, chamando-a para uma viagem a dois para a casa de praia da família dele. Porém, o que inicialmente seria uma viagem para eles se reconectarem acabou se tornando uma grande festa com a chegada inesperada dos irmãos Apolo (Hugo Arbues) e Artemis (Eric Masip), dos pais dos meninos, da governanta Tere (Pilar Castro) e dos amigos de Raquel, Yoshi (Guillermo Lasheras) e Daniela (Natalia Azahara).

Ao contrário do filme anterior, que apresenta os protagonistas e foca no crescente do relacionamento deles, em ‘Através da Minha Janela: Além-mar’ o roteiro de Ariana Godoy e Eduard Sola opta por explorar mais os personagens coadjuvantes, expandindo seus universos de maneira até um pouco abrupta. Na primeira metade do longa, o espectador acompanha as dificuldades de um relacionamento à distância vivido por Rachel e Ares; após a viagem dos dois, o roteiro insere todos os outros personagens e seus dramas na trama, relegando os protagonistas a meros participantes dessa história. Ou seja, por mais que haja um draminha de ciúme ao fundo, o filme de Marçal Forés acaba dedicando mais tempo, por exemplo, ao romance proibido entre Artemis e a governanta da casa, na inquietação sexual vivida por Apolo e até mesmo em um relacionamento repentino de Yoshi com uma menina local. Com tanta gente precisando contar a própria história, ficou pouco espaço pros protagonistas se pegarem.

Novamente inspirado no romance homônimo de Ariana Godoy, ‘Através da Minha Janela: Além-mar’ deixa de focar sua história em apenas relações carnais para voltar sua atenção aos dramas juvenis comuns – inclusive aprofundando a seriedade desse assunto. Ainda que com muita história para contar em pouco tempo, o filme prende a atenção e mostra porque acertou ao elencar Clara Galle e Julio Peña nos papéis principais: a química entre os dois permanece natural, convencendo nas cenas em que contracenam juntos, mesmo não sendo tantas.

Com a terceira parte já confirmada e anunciada pela Netflix, tudo indica que o universo ‘Através da Minha Janela’ está longe de acabar, podendo, inclusive, gerar spin-off sobre os irmãos Hidalgo. E isso não seria uma má ideia.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS

Não faz nem pouco tempo que um romancezinho juvenil estreou na Netflix e arrebatou o público com sua história de lovezinho picante. Tratava-se do filme espanhol ‘Através da Minha Janela’, que abordava uma história de amor entre vizinhos em que ela era uma mocinha...Crítica | Menos Picante, ‘Através da Minha Janela: Além-mar’ Gira o Foco Para os Irmãos Hidalgo