quarta-feira, abril 24, 2024

Crítica | O Jogo da Morte – Desafio da Baleia Azul é Tema de Interessante TERROR de Baixo Orçamento

O ano era 2017 e o mundo ficou estarrecido com uma notícia que passou a circular no jornal com alguma frequência: uma espécie de jogo se tornava uma febre pela internet na Rússia, e, aos poucos, estava se expandido no mundo inteiro. Mas não era um jogo comum. Primeiramente, a atividade, anônima, focava em lançar desafios diários para que a pessoa se expusesse, se mutilasse e, eventualmente, era conduzida ao suicídio através de uma intensa e constante manipulação emocional e psicológica.

E esse jogo, chamado de Baleia Azul, tinha como público-alvo majoritariamente jovens adolescentes. Foram dezenas de centenas de notícias de crianças e adolescentes que perderam suas vidas seguindo a esse desafio, e agora, partindo desse mote, o filme russo de terrorO Jogo da Morte’ chega aos cinemas reacendendo o alerta.

Dana (Anna Potebnya) e Yulya (Diana Shulmina) são irmãs, mas, apesar disso, brigam muito. Yulya tem um jeitinho especial de manipular a mãe e fazer com que a matriarca sempre decida a seu favor, o que enfurece Dana. Mas, alguns meses depois, Yulya é encontrada morta, e a mãe passa a projetar em Dana todas as suas frustrações e culpas.

Decidida a esclarecer o mistério da morte da irmã, Dana entra no computador da jovem e descobre que ela estava envolvida em uma espécie de jogo mortal, gerenciado por uma tal de Ava. Quando a polícia se mostra ineficiente, Dana decide ela mesma entrar no jogo e participar de todas as etapas do desafio, com o intuito de revelar a verdadeira identidade dos envolvidos na trama. Porém, seu maior desafio, para além de sobreviver ao jogo, será convencer sua mãe de que está falando a verdade.

Duas coisas ficam evidentes logo no início de ‘O Jogo da Morte’: se trata de um filme de baixo orçamento e que fora realizado durante o início da pandemia. A partir do momento em que se percebe esses dois fatores, impressiona o quanto a produção conseguiu realizar dadas as duas circunstâncias limitadoras para fazer o filme acontecer – a questão financeira e a pandemia viral mundial.

Assim, o roteiro de Evgeniya Bogomyakova, Olga Klemesheva e Anna Zaytseva faz um malabarismo grande para inserir elementos e manter a atenção do espectador durante os noventa minutos do longa, conectando o enredo ao universo jovem a partir de elementos cibernéticos. Para tal, a edição e o roteiro se juntam em concepções que se originam na estética de computadores e celulares para demonstrar a investigação da protagonista e suas conversas com amigos e participantes do jogo.

Considerando que todo o drama começa por causa e dentro da internet, é muito interessante a solução encontrada pela diretora Anna Zaytseva em construir um filme que se calca nesse cenário – demonstrando que o espectador, ao desconfiar por encontrar um filme nesse formato, pode ficar tranquilo pois o nosso inconsciente está acostumado a essas telas virtuais e não se cansa de vê-la por uma hora e meia de filme.

Não deixe de assistir:

Bem realizado dada a realidade da produção e partindo de um argumento relevante e comum no mundo inteiro, ‘O Jogo da Morte’ alerta para os perigos de pais e responsáveis não estarem presente e não ouvirem seus filhos com relação às suas dificuldades e o uso da internet. Embora seja terror, ‘O Jogo da Morte’ assusta por se basear num jogo que ainda acontece no vasto mundo da internet…

Mais notícias...

Artigo anterior
Próximo artigo

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS

O ano era 2017 e o mundo ficou estarrecido com uma notícia que passou a circular no jornal com alguma frequência: uma espécie de jogo se tornava uma febre pela internet na Rússia, e, aos poucos, estava se expandido no mundo inteiro. Mas não...Crítica | O Jogo da Morte – Desafio da Baleia Azul é Tema de Interessante TERROR de Baixo Orçamento