quarta-feira, abril 24, 2024

Crítica | Plano de Aposentadoria – Nicolas Cage Mais Canastrão Que Nunca em Comédia de Ação com Ron Perlman

Nem todo filme de ação se leva a sério. Há aqueles cuja pancadaria e até mesmo a própria história não pretendem fazer muito sentido, pois o nexo não é o foco desse tipo de produção. E tá tudo bem, afinal, o mundo do cinema é vasto e há cinéfilo com todo tipo de gosto, e todo mundo precisa ser contemplado. Nesse sentido, a coisa toda melhora para quem curte esse gênero se o filme, além de contemplar o estilo preferido, ainda traz um grande elenco na ficha técnica. É o caso de ‘Plano de Aposentadoria’, novo filme de ação cômico que chega essa semana aos cinemas brasileiros.

Jimmy (Jordan Johnson-Hinds) trabalha como motorista de um chefe do tráfico de Miami, Donnie (Jackie Earle Haley), quando fica sabendo da importância de um determinado HD e, para melhorar sua vida, decide roubá-lo. Só que a coisa toda vira contra ele, e, para escapar, ele o entrega à sua esposa, Ashley (Ashley Greene), pedindo que ela e a filha do casal, Sarah (Thalia Campbell), fujam do país. Os planos ficam pela metade, e apenas Sarah acaba indo sozinha para as Ilhas Cayman, atrás de seu desconhecido avô, Matt (Nicolas Cage, de ‘A Outra Face‘). Acontece que o HD foi junto com a menina, e Donnie envia seus melhores capangas – dentre os quais, Bobo (Ron Perlman, de ‘Sons of Anarchy‘) – para recuperar o seu bem perdido antes que o chefão Hector (Grace Byers) fique sabendo de tudo.

Em pouco mais de uma hora e quarenta de duração, fica evidente, em poucos minutos, que ‘Plano de Aposentadoria’ é um filme de ação bem galhofa, desses que não dá para esperar nada sério embora ele não se assuma como tal. E é aí que se destaca o contraste do filme: por um lado o elenco feminino, reduzido, se apresenta bastante sério (a mãe, a filha e Hector), enquanto a parte masculina do elenco entrega atuações bem canastronas, pra provocar o riso diante do absurdo. Dessa frequente oposição, os diálogos são proferidos em sequências que se afastam da realidade em pontuais ações irreais.

Escrito e dirigido por Tim Brown, em pouco mais de quatro minutos de duração o espectador poderá reparar num pequeno presente deixado no filme, logo abaixo da linha da legenda. Misturando espionagem, sequências de ação e uma história quase ingênua, os grandes chamarizes do filme são mesmo as atuações de Ron Perlman, que entrega uma espécie de babá incomum como as que víamos os atores de ação fazer nos anos 1990, e Nicolas Cage, bem, bem canhestro como um ex-assassino de aluguel sessentão desacostumado com a antiga vida e bastante entregue à boêmia vida praiana. Esses dois, somados ao cenário paradisíaco das Ilhas Cayman (onde se passa boa parte da trama) é suficiente para levar o espectador ao cinema.

Misturando cenas de ação meio bobas e meio escandalosas com uma pitada de absurdo e um elenco de renome, ‘Plano de Aposentadoria’ (‘The Plan‘) é desses filmes para ver e espairecer a cabeça. Sem nenhum compromisso com a verossimilhança, o longa tempera ação com comédia numa produção de entretenimento pipocão para ver num domingo à tarde.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS

Nem todo filme de ação se leva a sério. Há aqueles cuja pancadaria e até mesmo a própria história não pretendem fazer muito sentido, pois o nexo não é o foco desse tipo de produção. E tá tudo bem, afinal, o mundo do cinema...Crítica | Plano de Aposentadoria – Nicolas Cage Mais Canastrão Que Nunca em Comédia de Ação com Ron Perlman