Crítica | Um Lugar Bem Longe Daqui – Com Música de Taylor Swift, Drama da ‘Juma Marruá’ dos EUA Emociona

É unânime: a novela ‘Pantanal’ se tornou um dos maiores sucessos da Rede Globo, mesmo sendo uma adaptação de uma versão anterior. São muitos os personagens que fazem a cabeça do povo: o peão Trindade e seu pacto com o cramulhão, a Maria Bruaca e força feminina para dar um basta à violência doméstica, e, claro, Juma Marruá, a mulher que vira onça e não leva desaforo pra casa. A bem da verdade é que se sairmos dos centros urbanos e adentrarmos no interior dos países, encontramos muitas Jumas espalhadas por aí, vivendo e sobrevivendo, apesar do mundo. E a história de uma dessas ‘Jumas’ chega na próxima semana aos cinemas no filme ‘Um Lugar Bem Longe Daqui’.

Na década de 1950, na pacata Barkley Cove, rodeada por pântanos por todos os lados, vive a família Clark. Eles moram numa casa isolada às margens do brejo e longe da cidade. O pai, (Garret Dillahunt) é um cara violento e começa a agredir a família. Então, a mãe (Ahna O’Reilly) decide ir embora, e, aos poucos, todos os outros três filhos também vão embora, exceto Kya Clark (Jojo Regina). Com o passar do tempo, também o pai parte, e a pequena fica completamente só, vendo-se obrigada a ter que aprender a se virar. É nessa época que conhece o pequeno Tate (Luke David Blumm) e o casal Mabel (Michael Hyatt) e Pulinho (Sterling Macer Jr.), donos da mercearia. Assim se passam mais de dez anos na vida de Kya (Daisy Edgar-Jones), isolada do convívio social, tornando-se uma espécie de lenda local na cidade, chamada de “A Garota do Brejo”. Tudo ia bem na vida da jovem, até um homicídio ocorrer na cidade e a polícia local culpá-la do ocorrido.

Um Lugar Bem Longe Daqui’ é desses filmes deliciosos que você nem vê o tempo passar, tamanha a desenvoltura do roteiro de Lucy Alibar, construindo cenas envolventes que costuram o enredo de maneira muito competente, desenvolvendo os personagens e a história no tempo certo. Ajuda muito, claro, o fato de a história ser baseada no livro de Delia Owens (lançado no Brasil pela editora Intrínseca), e do livro ter participado do clube do livro da Reese Witherspoon, que é a produtora executiva do longa. Ainda bem, pois o empenho da atriz em tornar esse projeto realidade fez toda a diferença para que a história ganhasse o apoio necessário.

E é mesmo uma história muito emocionante, que merecia ganhar as telonas. A direção de Olivia Newman emprega sentimento em cada sequência, tirando o melhor do seu elenco que imprime os sentimentos certos para que o espectador tenha muito claro de quem deve gostar. As tomadas aéreas na natureza, explorando as sombras e as luzes, o movimento dos animais, tudo isso é transposto no longa de maneira imersiva e envolvente, transportando-nos para aquele mundo de Jumas Marruás vivendo sozinhas no meio do mato lutando pelo simples direito de serem deixadas em paz por Joves, Leôncios e companhia.

Com música inédita de Taylor Swift, ‘Um Lugar Bem Longe Daqui’ tem cheirinho de Oscar, misturando drama e suspense em uma história bem construída e humana. Leve seu lencinho para o cinema.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS

É unânime: a novela ‘Pantanal’ se tornou um dos maiores sucessos da Rede Globo, mesmo sendo uma adaptação de uma versão anterior. São muitos os personagens que fazem a cabeça do povo: o peão Trindade e seu pacto com o cramulhão, a Maria Bruaca...Crítica | Um Lugar Bem Longe Daqui – Com Música de Taylor Swift, Drama da ‘Juma Marruá’ dos EUA Emociona