sexta-feira, fevereiro 23, 2024

Crítica | Uma Quedinha de Natal – O Retorno de uma Enferrujada Lindsay Lohan às RomComs Natalinas

Nós esperamos muito, muito mesmo, para voltar a ver Lindsay Lohan atuando. Especialmente, voltando a atuar em filmes natalinos – razão pela qual ficamos quase que mensalmente assistindo a ‘Meninas Malvadas’, apenas para ver a clássica cena da apresentação do grupo de amigas na escola. Bom, depois de um grande hiato que pareceu durar uma eternidade, a Netflix anunciou ‘Uma Quedinha de Natal’, sua nova comédia romântica e carro-chefe das produções festivas desse fim de ano, e o longa incluía ninguém menos do que nossa malvada favorita Lindsay Lohan. Aí imediatamente a expectativa da galera foi lá em cima, porém, o resultado, que pode ser conferido desde ontem na plataforma, ficou bem aquém do que gostaríamos de ver, apesar de o filme de Natal estrear direto no Top 10.

Sierra Belmont (Lindsay Lohan) é herdeira de um luxuoso complexo de ski no interior dos Estados Unidos. Ela está prestes a ocupar a vice-presidência do ramo de turismo hoteleiro do seu pai, Beauregard Belmont (Jack Wagner), mas na verdade o que ela quer é ser influencer, tal qual seu namorado Tad Fairchild (George Young). Quando, às vésperas do Natal, ela e Tad se aventuram em um local inóspito nas geladas montanhas, Sierra acaba sofrendo um acidente, sendo encontrada mais tarde por Jake Russell (Chord Overstreet). Confusa e desmemoriada, Sierra não consegue se lembrar de nada de antes do acidente, nem mesmo do próprio nome ou do quanto era uma menina mimada. Sem ter para onde ir, Jake acolhe-a em sua pousada, Estrela do Norte, que, apesar de aconchegante, está perigando fechar as portas por conta da baixa procura dos hóspedes. Enquanto tenta se lembrar de quem é, Sierra passará por muito aprendizado com Jake e sua família.

Mastigado para ser uma romcom bem açucarada, ‘Uma Quedinha de Natal’ é aquele tipo de filme natalino que busca agradar a toda a família, focando bem nesse quesito, ainda que não faça muito sentido para o que ele mesmo se propõe. Aí o roteiro de Jeff Bonnett e Ron Oliver constrói, por exemplo, um pai sério super focado nos negócios da família, para, no final, torná-lo um bonachão que aceita com a maior facilidade o fato de sua filha jogar tudo pro alto. Incoerente.

Com uma hora e meia de duração, mais do que as frequentes incoerências do roteiro, o que mais gera incômodo é o elenco, engessado e sem nenhuma química. Janeen Damian não consegue fazer com que seus atores transmitam sentimentos verdadeiros, chegando a ser quase possível ouvir o “ação!” na introdução das cenas, com personagens entrando e saindo mecanicamente dos ambientes e com propósitos muito forçados. Apesar disso, no quesito técnico o longa não decepciona, construindo um ambiente natalino digno dos sonhos, que inclui muita neve, locações charmosas, decoração natalina para encher os olhos e um ambiente que quase tem cheiro de chocolate quente. Um mergulho de cabeça real para quem ama essa época do ano.

Sem química e engessada, ‘Uma Quedinha de Natal’ traz uma história clichê mal costurada, em um ambiente deslumbrante e imersivo nas festas de fim de ano. Apesar do desequilíbrio, traz um grande presente aos fãs: uma cena de Lindsay Lohan cantando música natalina e disputando no rádio para deixar a música rolar. Quem é fã vai pescar o easter egg.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS

Nós esperamos muito, muito mesmo, para voltar a ver Lindsay Lohan atuando. Especialmente, voltando a atuar em filmes natalinos – razão pela qual ficamos quase que mensalmente assistindo a ‘Meninas Malvadas’, apenas para ver a clássica cena da apresentação do grupo de amigas na...Crítica | Uma Quedinha de Natal – O Retorno de uma Enferrujada Lindsay Lohan às RomComs Natalinas