YouTube video player

De Homem-Aranha 4 ao Superman com Nicolas Cage | 7 Superproduções de Quadrinhos que Nunca Saíram do Papel

Hoje, os super-heróis de quadrinhos são a fonte mais confiável e rentável para as superproduções de Hollywood. E os louros devem ir à Marvel. Porém, mesmo hoje – ou quem sabe há alguns poucos anos no passado – estes projetos enfrentam, vez ou outra, problemas para sair do papel. Seja devido ao orçamento, desistência do estúdio ou dos envolvidos, o que inclui o diretor ou os atores principais, tudo pode se tornaram barreira na hora de criar algo deste porte – mesmo, como dito, sendo um negócio altamente lucrativo. Símbolos icônicos e atemporais como Superman, Batman e Homem-Aranha são verdadeiras máquinas de fazer dinheiro, mas é preciso ter muita cautela e planejamento para levar estes personagens simbólicos para a terceira dimensão das telonas.

De fato, para cada filme concretizado com estes personagens específicos, podemos contar muitos mais que terminaram parando em diversas fases de sua pré-produção. Ou seja, assunto para este tipo de matéria é o que não falta, já que existem mais filmes do gênero que não foram feitos, do que existem os que foram feitos. Para começar a demonstrar isso, trago abaixo alguns dos casos mais famosos de blockbusters que geravam grande expectativa, alguns inclusive iniciando seu processo de produção, que simplesmente não foram adiante, frustrando os realizadores e mais ainda o público – é sempre o público que perde mais. Confira abaixo, diga se conhecia todos os casos e não esqueça de comentar dizendo qual destes você mais gostaria de ter visto realizado nos cinemas.

Batman: Ano Um // de Darren Aronofsky

Em cartaz continuando a fazer sucesso e a gerar rios de dinheiro para a Warner, o novo The Batman vem recebendo constantes elogios dos fãs e da imprensa. O Homem-Morcego é outro personagem que quase teve diversos filmes que nunca chegaram a sair do papel. De fato, poderíamos fazer uma lista só com os filmes do herói que nunca chegaram a se concretizar. Porém, para esta matéria escolhemos um dos que consideramos mais interessantes. Batman: Ano Um. Esse foi a planta do projeto que seria Batman Begins (2005) eventualmente, que, como sabemos, foi o início da trilogia do Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan.

Após o resultado, digamos, não muito positivo de Batman & Robin (1997) – tanto financeiramente, quanto de crítica -, a Warner optou por reiniciar a franquia, e alguns projetos foram ventilados. O escolhido pelo estúdio terminou sendo Batman: Ano Um, que contaria a história de como Bruce Wayne vestiu o uniforme do Batman pela primeira vez. Para comandar, o visionário Darren Aronofsky, então recém-saído de Réquiem para um Sonho (2000). O cineasta queria Joaquin Phoenix no papel principal do herói, e um filme de censura alta, com bastante violência. No fim das contas, a Warner deu para trás nesta visão tão pesada, mas como dito, usou muitas destas ideias em Batman Begins.

 

Homem-Aranha 4 // de Sam Raimi

Aproveite para assistir:

Homem-Aranha: Sem Volta para Casa é um dos maiores sucessos do cinema e definitivamente o maior sucesso da última temporada. A parceria entre a Marvel e a Sony para trazer o herói ao MCU se mostrou uma ideia acertadíssima, fazendo a alegria dos fãs. Voltando algum tempo no passado, 20 anos para ser exato, o mundo vivia a celebração de outro Homem-Aranha, o primeiro. Dirigido por Sam Raimi, o filme original do herói foi uma verdadeira comoção e abriu as portas para o gênero, mostrando para Hollywood que a fonte dos quadrinhos podia ser extremamente rentável se feita da maneira correta. Após o terceiro filme, de 2007, que obteve críticas mornas, mas uma boa bilheteria, Raimi ainda almejava realizar não apenas mais um filme, mas dois.

Homem-Aranha 4 e 5 estavam na agenda do diretor e do estúdio. Tobey Maguire e Kirsten Dunst estavam a bordo igualmente, e o diretor iria poder finalmente retratar o Abutre, seu vilão favorito, nas telonas – papel que ficaria com John Malkovich. Outra que estava praticamente contratada era Anne Hathaway no papel de Felicia Hardy, a Gata Negra – embora algumas fontes afirmem que no filme ela se transformaria numa versão feminina do Abutre. Hathaway eventualmente se tornou a Mulher-Gato de O Cavaleiro das Trevas Ressurge. Também fala-se em Rachel McAdams em algum papel no longa. As filmagens começariam em 2010, para o lançamento em 2011 – porém, o cronograma apertado e o roteiro de um reboot sendo produzido ao mesmo tempo (caso o filme de Raimi não desse certo), terminaram por fazer o cineasta desistir do quarto filme. Uma grande pena.

 

Pantera Negra // com Wesley Snipes

Pantera Negra (2018) é definitivamente um dos maiores sucessos da Marvel e um dos maiores sucessos recentes do cinema. Extremamente representativo, o longa de Ryan Coogler foi indicado ao Oscar de melhor filme. Esse ano, seremos agraciados com a sequência Pantera Negra: Wakanda para Sempre em novembro, que promete quebrar novas barreiras, e superar a falta do protagonista Chadwick Boseman. Antes do blockbuster do MCU, no entanto, o super-herói africano quase foi aos cinemas na década de 1990, e teria ninguém menos que Wesley Snipes como protagonista. Snipes estava muito investido na produção, empolgadíssimo para levar o personagem importante para as telonas. Teria sido um filme bem diferente do que de fato ganhamos, afinal os tempos agora são outros. Fora isso, a realidade dos filmes de super-heróis era outra no início de 1990 também – época em que o ator fazia sucesso com filmes como Homens Brancos Não Sabem Enterrar e Passageiro 57. A produção chegou a ter um roteiro, mas não foi para a frente. Alguns anos depois e Snipes finalmente conseguiria se tornar um personagem de quadrinhos com Blade – O Caçador de Vampiros (1998), uma das principais pedras no alicerce do cinema de gênero.

Gambit // com Channing Tatum

Esse é um dos exemplos mais recentes da lista, e um que pode até vir a sair do papel em algum momento futuro. Quem sabe? O personagem é parte do acervo quase ilimitado de mutantes da Marvel, dentro da franquia X-Men. Esse é um universo quase tão rico e repleto de personagens quanto toda a Marvel em si. Após a trilogia dos X-Men no cinema, que terminou em 2006, o plano da 20th Century Fox, estúdio então detentor dos direitos, era criar spin-offs solo para determinados personagens. O primeiro, é claro, foi o mais popular deles, Wolverine, personificado pelo astro Hugh Jackman – que ganhou sua própria trilogia. O segundo da lista seria o vilão Magneto, projeto que foi remodelado como X-Men: Primeira Classe (2011). Depois que Ryan Reynolds fez campanha e ficou à frente do projeto de Deadpool (2016) para que o longa saísse da forma correta, a Fox logo escalou Channing Tatum para ser o frontman do filme solo de Gambit. Por anos o ator e o estúdio tentaram tirar do papel o projeto, com o filme sendo adiado inclusive nos anos de 2019 e 2020. Porém, com a aquisição da Fox pela Disney, a produção foi completamente desligada a esta altura. Mas como dito, pode ser que veja a luz em algum momento futuro.

Superman Lives // de Tim Burton

O maior herói dos quadrinhos, muitos dirão, o Superman foi o primeiro personagem do gênero a ganhar uma franquia nas telonas. Durante a década de 80, os filmes do Super-Homem faziam bastante sucesso nos cinemas, até o resultado frio do quarto e último longa em 1987. Depois disso, já na década de 90, a Warner procurava um jeito de revitalizar a marca, e pensou em projetos que variavam de uma continuação direta a um reboot. Ou quem sabe uma mescla dos dois. Assim, o diretor e roteirista Kevin Smith foi chamado para escrever a história, que deveria ter uma aranha gigante, ursos polares e um parceiro robótico, eram as exigências do excêntrico produtor Jon Peters.

Quando o diretor Tim Burton foi contratado para o comando, Smith saiu e o texto foi modificado, para contar Lex Luthor (Kevin Spacey), Brainiac (Jack Nicholson) e Doomsday como o trio de vilões. Sandra Bullock e Courteney Cox competiam pelo papel de Lois Lane, e Chris Rock havia sido contratado como o novo Jimmy Olsen. Ah Sim, o protagonista seria vivido por Nicolas Cage – temos certeza que você já tinha visto os testes de figurino do ator no papel – e a trama seria baseada nos quadrinhos da Morte do Superman. Realmente, este foi um dos projetos que chegou mais perto de sair do papel, com Superman Lives sendo programado para estrear em 1998. Existe inclusive um documentário sobre os bastidores da produção, com entrevistas de todos, incluindo Kevin Smith e Tim Burton, intitulado The Death of Superman Lives – What Happened?

Inumanos // da Marvel

Um dos triunfos mais louváveis da Marvel no cinema foi apresentar personagens do time B da editora e transformá-los em grandes astros do cinema. Isso foi verdade até mesmo em seu primeiro filme, afinal o Homem de Ferro não era um produto do mesmo nível do Homem-Aranha ou dos X-Men. Seja como for, o MCU seguiu introduzindo marcas desconhecidas do grande público, vide Guardiões da Galáxia, e extraindo ouro deles. É o que a casa de ideias segue fazendo até hoje, com Shang-Chi e Eternos, por exemplo. Tudo é planejado de forma minuciosa e com muita antecedência, fazendo da Marvel Studios, uma das produtoras mais calculistas da Hollywood atual. Dificilmente veremos um filme anunciado sendo engavetado. Mas existe precedente. É o caso com Inumanos, planejado para estrear em 2018, adiado para 2019 e depois indefinidamente. É curioso que o astro Vin Diesel havia sido contratado com um acordo duplo com o estúdio, cederia a voz para o alienígena árvore Groot, de Guardiões da Galáxia, e seria a forma física do mudo Raio Negro de Inumanos. Mas este foi um projeto que a Marvel varreu para debaixo dos panos, tirando de seu cronograma. Alguns dizem que foi por causa da entrada do Homem-Aranha no MCU, outros dizem que foi por motivo da péssima recepção da série de TV com os personagens em 2017. Existe até a possibilidade de que o projeto tenha evoluído para se tornar o filme dos Eternos em 2021.

Liga da Justiça // de George Miller

“Quem é Jack Snyder?” Bem antes do diretor Zack Snyder entregar sua versão (dupla) da Liga da Justiça, o projeto quase viu a luz do dia em meados da década de 2000. Falando em outro projeto que quase saiu do papel, assim como Superman Lives, o primeiro filme do supergrupo da DC é um dos mais famosos a se tornar lenda urbana do que poderia ter sido. Com o título de Liga da Justiça – Mortal, o diretor e elenco haviam sido contratados, o filme tinha um roteiro, e já estava em fase de pré-produção, sendo cancelado devido a impostos. George Miller, dos filmes Mad Max, estava no comando, e havia escalado Armie Hammer como Batman, DJ Cotrona como Superman, Megan Gale como Mulher-Maravilha, Adam Brody como Flash, Common como Lanterna Verde, Santiago Cabrera como Aquaman, Hugh Keays-Byrne como Manhunter e Zoe Kasan como Iris Allen. Já os vilões seriam Maxwell Lord, vivido por Jay Baruchel e Talia al Ghull, vivida por Teresa Palmer – isso antes de Pedro Pascal e Marion Cotillard viverem os antagonistas nos filmes Mulher-Maravilha 1984 e O Cavaleiro das Trevas Ressurge, respectivamente. Se o nível de ação e adrenalina fosse o mesmo de Mad Max – Estrada da Fúria, estaríamos feitos.

Sair da versão mobile