sexta-feira, junho 21, 2024

Crítica | De Repente, Miss! – Fabiana Karla Em Seu Melhor Papel em Comédia Sobre Autoestima com Giulia Benite e Dani Winits

Durante muito tempo a indústria cinematográfica brasileira centrou suas histórias em apenas um determinado tipo de personagem feminino: a mulher (magra, branca) em crise no casamento porque fora abandonada/traída pelo marido e precisava se redescobrir na vida. Tal narrativa construiu um imaginário de que talvez os únicos problemas sociais femininos fossem desse tipo, e todo o resto estaria bem. Felizmente, porém, na última década um novo olhar vem mudando a forma de representar os corpos e personagens femininos no audiovisual, tornando-os mais plurais e diversos, abordando outros temas e oferecendo outras soluções. Nessa pegada, estreia nos cinemas a partir do próximo dia 23 o filme ‘De Repente, Miss!’.

De Repente Miss

Quando ficou grávida pela primeira vez, Mônica (Fabiana Karla, de ‘Uma Pitada de Sorte’) decidiu abandonar sua promissora carreira como publicitária para cuidar da gravidez e da família – e nunca se arrependeu dessa escolha. Mas agora, com sua filha Luiza (Giulia Benite, de ‘Chama a Bebel’, tão bonitinha com os cabelos arruivados), no auge da aborrecência dos quinze anos rejeitando tudo que a mãe faz, e seu filho Leo (Gianlucca Mauad) se conectando muito mais com o pai, Mônica se questiona se está sendo uma boa mãe. Para sua surpresa, seu marido, Marcus (João Baldasserini, de ‘Polícia Federal – A Lei é Para Todos’), presenteia toda a família com uma viagem para um resort de luxo em Fortaleza. Apesar de seu medo do mar e sua insegurança emocional, Mônica vê na viagem uma forma de se aproximar da filha, e para tal decide participar de um concurso de Miss promovido pelo hotel com uma adversária jogo-duro como Flavia (Danielle Winits, de ‘Os Farofeiros’).

Mais uma vez o diretor Hsu Chien acerta na escolha precisa de seu elenco e na direção dos atores, construindo laços entre os personagens que favorecem a interação entre eles em suas jornadas pessoais. A música composta por Plínio Profeta e a fotografia de Silvia Gangemi constroem, juntos, o pano de fundo ideal para as férias em família.

Mesmo sendo a vilã na trama, Danielle Winits surpreende por conferir humanidade e carisma a uma personagem que, no fim das contas, a seu modo (torto) também busca ser feliz com suas escolhas. Novamente no protagonismo de uma produção, Fabiana Karla encontra, em Mônica, seu melhor papel até agora, com uma personagem insegura e complexa que, ao contrário do que se pode esperar, não busca uma redenção, mas sim (tal qual a vilã/antagonista) também só busca ser feliz com sua escolha.

De Repente Miss

O roteiro sensível de Dani Valente retrata as inseguranças maternas de uma forma muito pessoal e, portanto, crível. Mônica não é uma personagem perfeita e nem quer sê-lo, mas busca dar o seu melhor, se esconde nas virtualidades para passar seu conhecimento e não quer receber aplausos – mas também não quer ser desprezada. Assim, a busca, o resgate pela autoestima perdida (por inúmeros motivos) se dá através da alegoria do concurso de miss, mas que, na prática, é sobre ter a segurança de falar o que pensa, para aceitar receber um elogio, de acreditar na solidez dos relacionamentos e acreditar-se, sim, capaz de inspirar pessoas.

Com as participações luxuosas das imparáveis Polly Marinho (‘Uma Carta Para Papai Noel’) e Nany People (‘Quem Vai Ficar com Mário?’) ‘De Repente, Miss!’ é uma história de mãe e filha, mas dialoga com mulheres de todas as idades. Com sorte, abrirá a mente e o coração de muita gente, sobre como devemos ser mais generosos conosco mesmas.

De Repente Miss

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS

Durante muito tempo a indústria cinematográfica brasileira centrou suas histórias em apenas um determinado tipo de personagem feminino: a mulher (magra, branca) em crise no casamento porque fora abandonada/traída pelo marido e precisava se redescobrir na vida. Tal narrativa construiu um imaginário de que...Crítica | De Repente, Miss! – Fabiana Karla Em Seu Melhor Papel em Comédia Sobre Autoestima com Giulia Benite e Dani Winits