James Gunn comenta sobre a ligação entre Gotham e Metropolis no novo Universo DC

Com James Gunn e Peter Safran agora no comando da DC Studios, os fãs esperam uma nova abordagem para os filmes e séries de TV.

Enquanto o público espera para ver seus planos se concretizarem nos próximos anos com projetos como ‘Superman – O Legado’ e ‘The Brave and the Bold’, Gunn provocou um aspecto interessante deste novo universo.

Em um post recente no Threads, o cineasta revelou que “a DC Studios está criando um mapa-múndi incrivelmente detalhado” para o DCU.

Gunn compartilhou a informação quando um fã perguntou:

“Aqui está uma pergunta: acho que é mais provável que você responda. Você já pensou na configuração do terreno no DCU? Onde as diferentes cidades que os heróis operam estão em um mapa, por exemplo. Estarão todos um ao lado do outro? Ou espalhados por todo o país como o material de origem? DC tem algumas grandes cidades com suas próprias identidades. Espero que possamos ver isso.”

Confira:

Embora não haja como dizer se este mapa-múndi será usado apenas internamente ou eventualmente lançado para os fãs, ele pode mostrar onde Gotham City, Metropolis, Star City e outros cantos do universo existem em uma escala geográfica, o que é muito interessante.

Até lá, vale lembrando que o filme mais recente da DC Studios é ‘Besouro Azul‘ já está em cartaz.

Não deixe de assistir:

Assista a entrevista:

Ele também foi só elogios à atriz:

“Eu vi uma fita da Bruna e senti que ela era tão forte. Ela era muito consciente, muito vulnerável, muito feroz. Ela me deu tudo o que acho que representa uma mulher latina e as mulheres com quem eu cresci. E ter uma pessoa tão talentosa e tão profissional, durante toda a filmagem, trazendo suas próprias ideias, e realmente incorporando a personagem? Não consigo ver uma Jenny diferente na minha mente.”, ele afirmou.

Cuidado: breves spoilers à frente.

‘Besouro Azul’ chega amanhã, 17 de agosto, nos cinemas brasileiros – e um dos trunfos do filme é, sem sombra de dúvida, a participação mais que merecida de Bruna Marquezine como a co-protagonista brasileira Jenny Kord.

Mas quem é ela?

Diferente do que poderíamos imaginar, Jenny foi criada para o longa-metragem dirigido por Ángel Manuel Soto e se tornou peça essencial para as aventuras vividas pelo personagem titular, cujo nome verdadeiro é Jaime Reyes (Xolo Maridueña). Entretanto, sua história dialoga com outras personas que, de fato, existem nos quadrinhos – como o pai, Ted Kord, que deu vida ao segundo Besouro Azul nas HQs.

Na trama, vemos que o pai de Jenny desapareceu, deixando o controle das Indústrias Kord nas mãos da irmã, Victoria (Susan Sarandon). Entretanto, Jenny não concorda com a direção em que a tia está levando a empresa, visto que, movida por uma mentalidade assustadoramente neoimperialista, ela deseja colocar as mãos em uma tecnologia alienígena de ponta para criar supersoldados e armamentos bélicos de destruição em massa – dialogando com sua predileção pelo poder e pelo domínio. Entrando em conflito com os ideais controversos de Victoria, Jenny resolve agir por conta própria e rouba o Escaravelho (o artefato extraterrestre que se tornou objeto de glória para a tia) a fim de que ele não caia nas mãos erradas.

Mas, ao quase ser pega, ela encontra uma oportunidade em Jaime de salvar o futuro da humanidade ao lhe dar o Escaravelho e pedir a ele que o guarde com sua vida. Como já podemos imaginar, o objeto escolhe o protagonista como seu hospedeiro e inicia um processo de simbiose imparável que lhe garante poderes sobre-humanos e o coloca na mira de Victoria e seus asseclas. Logo, Jenny utiliza seu conhecimento sobre o funcionamento da empresa para se unir à família de Jaime e garantir que sua voz também seja ouvida.

O passado da personagem é pouco explorado, com exceção de algumas inserções importantes para o andamento do enredo e para a primeira cena pós-créditos (a que destinaremos uma matéria única um pouco mais para a frente). Jenny diz a Jaime em determinado momento que, apesar de ter vivido em uma suntuosa mansão, se sentiu solitária pelo apreço de Ted às coisas que criava – além de ter perdido a mãe, que adorava pintar, quando tinha apenas seis anos de idade. Logo, encontrar um senso de pertencimento em um lugar inesperado foi uma das grandes guinadas que a jovem teve na vida, garantindo que o amor pelos membros dos Reyes não fosse afetado pelas mãos inescrupulosas de Victoria.

O que também descobrimos é que Jenny não tinha ciência de que o pai vestia o traje do Besouro Azul antes de Jaime. Ao adentrar as facilidades secretas escondidas na mansão Kord, ela percebe que muitas coisas sobre seu passado foram deixadas às escondidas, empoeirando até serem redescobertas. E, para finalizar, era de se esperar que Jenny se tornasse par romântico de Jaime, ainda que tenha consumado o amor que sente pelo herói apenas na última cena da produção. Mas o que mais nos chama a atenção é que, caso James Gunn e Peter Safran resolvam dar continuidade a esse mais novo microcosmos da DC, a personagem interpretada por Marquezine tem muito potencial a ser explorado – e, bom, é isso o que queremos, eventualmente.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS