quinta-feira, fevereiro 29, 2024

Lembra dele? | ‘Para Maiores’, o compilado de humor politicamente incorreto, completa 10 anos

Existe um consenso entre a crítica de que filmes com muitos roteiristas e diretores não é bom sinal. Isso porque eles costumam conflitar suas ideias e criar obras sem coesão, que mais confundem do que prendem o público. E o filme sobre o qual vamos falar hoje é um grande amontoado de alguns dos melhores nomes da comédia norte-americana que é tão ruim, mas tão ruim, que além de parte do elenco ter tentado pular fora do projeto com o barco andando, acabou sendo considerado pela crítica como um dos piores filmes de todos os tempos: a comédia Para Maiores.

Vendido como a comédia mais ambiciosa da história, Para Maiores reuniu nada menos que 14 diretores para dirigirem 15 esquetes que são unidas por uma trama principal idiota de um grupo de adolescentes bobalhões tentando zoar o irmão mais novo de um deles, que passou os últimos anos pregando peças neles. O problema é que eles mentem sobre um tal de “Filme 43”, que teoricamente seria o responsável pelo apocalipse. Enquanto eles buscam on-line pelo longa, o público assiste às tramas antológicas. O mais curioso disso tudo é que a trama principal é dirigida por Peter Farrelly (Green Book), que acabou conectando tudo por meio dessa aventura distópica adolescente. E no final das contas, o corte final excluiu duas das esquetes, que podem ser vistas apenas nos bônus dos DVD e do Blu-ray do filme, totalizando 13 esquetes no corte final, sendo 12 inseridas ao longo do filme e uma funcionando como uma “cena pós-créditos”.

E mesmo sendo legitimamente ruim, o filme ainda conseguiu emplacar algumas esquetes engraçadas que viralizaram na internet e iludiram alguns desavisados a assistir essa bizarrice. Daqui pra baixo, vamos lembrar um pouquinho desses “curtas”. Se você pretende assistir ao longa, pode ser que encontre alguns spoilers a partir de agora.

The Catch

Dirigido por Will Graham (Daisy Jones & the Six) e estrelado por Kate Winslet e Hugh Jackman, a primeira história é uma típica comédia romântica sobre uma mulher que não se abre muito para relacionamentos, mas aparentemente encontra o homem perfeito e marca um encontro com ele. Chegando lá, tudo ia bem, até que ele tira o cachecol, revelando um escatológico saco escrotal no pescoço. A coitada, obviamente, entra em desespero, principalmente quando todos ao redor parecem não perceber que o rapaz tem as bolas na cara.

Homeschooled

O segundo filme é dirigido por Steve Carr (A Creche do Papai) e estrelado por Naomi Watts e Liev Schreiber. A história segue uma família norte-americana que decide educar seu filho em casa para preveni-lo das maldades do mundo exterior. Assim, eles tentam simular um ambiente escolar completo para o garoto, com aulas, interações sociais, bullying e até o primeiro beijo. É uma história que se baseia no humor desconfortável.

The Proposition

Não deixe de assistir:

Baseada no humor escatológico, essa esquete do diretor Griffin Dunne (Viciados no Amor) segue um típico casal dos subúrbios que decide levar o relacionamento para outro nível. Só que cada um tem seu próprio conceito do que é essa próxima etapa. Para ele, é propor a menina em casamento, enquanto para ela… Bem, é pedir que ele faça cocô nela durante o sexo. O pedido incomum deixa o coitado em choque, tanto que ele pede ajuda aos amigos para saber o que fazer. Decidido que ela é a mulher de sua vida, ele castiga na comida mexicana e toma uma potente dose de laxante para consolidar sua relação. O mais engraçado disso tudo é que o casal é interpretado por Chris Pratt e Anna Faris, que eram um casal de verdade na época.

Veronica

A esquete de Steven Brill (A Herança de Mr. Deeds) segue um caixa de supermercado adolescente que é surpreendido pela ex-namorada aparecendo no seu emprego. Eles começam a discutir o relacionamento, entrando em detalhes completamente nojentos e desnecessários de suas intimidades, até que eles decidem voltar. O problema é que todas as porcarias que eles falaram foram transmitidas pelo microfone geral do mercado, que estava ligado. O filme é estrelado por Kieran Culkin (Succession) e Emma Stone (La La Land). Felizmente, o tempo fez bem para esses dois, que não se submetem mais a esse tipo de papel hoje em dia.

Superhero Speed Dating

Inspirado nos heróis da DC, esse curta de James Duffy (Robin’s Big Date) segue o Robin (Justin Long) no primeiro encontro com a Supergirl (Kristen Bell), em que tudo dá errado. Conforme a história se desenrola, o Batman (Jason Sudeikis) aparece para tentar ajudar o garoto-prodígio, mas só atrapalha tudo. O Superman (Bobby Cannavale) também dá as caras, assim como a Lois Lane (Uma Thurman) e a Mulher-Maravilha (Leslie Bibb), todos querendo dar pitaco no encontro dos heróis, que termina da forma mais bizarra possível.

iBabe

Estrelado por Richard Gere, essa esquete fez com que o ator quisesse abandonar o filme no meio das gravações depois de perceber o tamanho da furada em que tinha se metido. Na trama, Gere interpreta o CEO de uma empresa de tecnologia, cujo novo lançamento, o iBabe, está sofrendo com um problema grave: seus usuários estão tendo seus pênis decepados. Isso porque o iBabe é praticamente um iPod inserido no corpo artificial de uma mulher nua. Assim, eles debatem sobre quais mudanças devem ser feitas para evitar que o problema se repita, mas enquanto uma cientista tenta argumentar sobre a falta de ética de vender um aparelho de música em forma de mulher pelada em forma, eles ficam discutindo sobre coisas fúteis, como a cor e os formatos dos corpos.

Machine Kids

Com jeitão retrô, o filme também traz dois comerciais. O primeiro é escrito e dirigido por Jonathan van Tulleken (Reprisal) e fala sobre um grupo de crianças preso em uma máquina de lavar.

Tampax

Já o segundo comercial é uma paródia dos comerciais de TV. Aqui, o diretor Patrik Forsberg (Rymdresan) constrói um comercial que parece ser um daqueles de perfume, mas logo se mostra um anúncio de absorventes femininos. O problema? Ele se passa em uma praia infestada de tubarões.

Middleschool Date

Essa esquete é tão idiotamente engraçada, que acabou se tornando o grande chamariz do filme, viralizando, na época, no Facebook. Com direção de Elizabeth Banks (O Urso do Pó Branco), o filme mostra um casal de crianças prestes a dar o primeiro beijo. Só que, para a infelicidade da menina (Chloë Grace Moretz), ela tem sua primeira menstruação e mancha o sofá da casa do garoto, que não faz ideia do que está acontecendo e entra em desespero. Para piorar, ele pede ajuda para o irmão mais velho (Christopher Mintz-Plasse), que também não faz ideia do que fazer com a situação, enquanto seu irmão caçula acha que a namoradinha está morrendo. É uma sequência caótica e hilária que representa o pesadelo de toda menina na primeira menstruação, com direito a sangue na parede e nenhuma mulher ao redor para ajudá-la.

Happy Birthday

Dirigida por Brett Ratner (A Hora do Rush) e estrelada pelo elenco dos sonhos de qualquer filme de comédia sacana dos anos 2000, com direito a Seann William Scott (American Pie), Johny Knoxville (Jackass) sendo melhores amigos e Gerad Butler (300) interpretando um duende, a esquete acompanha dois melhores amigos em crise porque um pegou a mulher do outro. Assim, o traidor decide se desculpar capturando para o amigo um duende, que está preso em seu porão. Agora, eles vão começar a torturá-lo até ele dizer onde está seu pote de ouro. É cheio de violência e xingamentos explícitos.

Truth or Dare

Com direção de Peter Farrelly, esse filme traz Halle Berry e Stephen Merchant como dois adultos deslocados que marcam um encontro às cegas por aplicativo. No restaurante, o encontro não ia lá muito bem, mas tudo muda quando eles decidem brincar de “Verdade ou Consequência”. Conforme eles vão se desafiando a fazer as coisas mais absurdas possíveis, que vão desde comer o bolo de aniversário de uma criança até fazer uma cirurgia plástica para ficar com traços asiáticos, eles vão se entendendo melhor, fazendo desse um encontro inesquecível.

Victory’s Glory

A última esquete é uma clássica conversa motivacional de um treinador para seu time de basquete universitário antes de um jogo decisivo contra adversários brancos. Porém, em vez dele motivar os jogadores por meio de suas histórias de vida, ele apenas ressalta que eles são negros e começa a falar coisas como “seu pau é do tamanho do antebraço do seu adversário”. Se você achou essa frase familiar, é porque o áudio dessa esquete viralizou recentemente no TikTok. Ele é dirigido por Rusty Cundieff (Chappelle’s Show) e estrelado por Terrence Howard (Empire).

Beezel

Escrito e dirigido por um até então quase desconhecido James Gunn, Beezel é uma história contada como pós-créditos do filme, sobre um casal que vive uma crise ocasionada pelo gatinho ciumento do rapaz, que é apaixonado pelo dono (Josh Duhamel). E não pense em paixão clássica de um tutor e seu pet, o gato de desenho animado sonha com beijos calorosos e se masturba com fotos de sunga do rapaz. E a única pessoa que nota essas bizarrices é a namorada (Elizabeth Banks), que fica com a imagem de louca.

Excluídas

The Pitch

Estrelada por Dennis Quaid, Greg Kinnear e Seth MacFarlane, essa sequência aqui não é exatamente uma cena excluída. Na verdade, ela substitui a “trama principal” dos adolescentes na versão lançada nos EUA. Porém, a versão dos adolescentes buscando o “Filme 43”, lançada no resto do mundo, acabou se tornando a versão oficial. Em The Pitch, Quaid é um roteirista que tenta conectar as tramas de suas esquetes ruins para criar um filme. Para isso, ele ameaça produtores e atores, enquanto tenta vender sua ideia. Ele funciona por meio da metalinguagem e consegue amarrar bem melhor as maluquices dessas esquetes. Infelizmente, essa versão é praticamente impossível de achar.

Find Our Daughter

Por fim, Find Our Daughter era uma esquete que trazia Bob Odenkirk (Better Call Saul) como diretor e roteirista, além de ser estrelada por Julianne Moore. A trama é bastante inusitada, já que acompanharia uma família estranha, cuja filha desapareceu misteriosamente. Para complicar mais as coisas, a única foto que eles têm para identificar a garota são dos peitos dela mostrados em um vídeo.

O filme foi um fracasso colossal e grande parte do elenco se envergonha até hoje de ter feito parte dele. No final, ele conquistou impressionantes três Framboesas de Ouro, a premiação para os piores filmes da temporada, incluindo Pior Filme. E dá para perceber que é um longa tão ruim que mesmo após uma década de seu lançamento, ele jamais passou por qualquer tipo de revisionismo de algum ser humano solitário tentando justificar alguma suposta qualidade da obra. Não, todos aceitaram que é terrível e segue assim até hoje.

Para Maiores está disponível na Netflix.

 

Mais notícias...

Pedro Sobreirohttp://cinepop.com.br/
Jornalista apaixonado por entretenimento, com passagens por sites, revistas e emissoras como repórter, crítico e produtor.

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS