domingo, fevereiro 25, 2024

‘Mais pesado é o céu’, de Petrus Cariry, em Exibição Especial nesta quarta-feira no 33º Cine Ceará

Mais pesado é o céu‘ (Ficção. 98’. Brasil. 2023), longa-metragem de Petrus Cariry, terá Exibição Especial nesta quarta-feira, como parte da programação do 33º Cine Ceará – Festival ibero-americano de Cinema. A exibição fecha a programação da noite no Cineteatro São Luiz, na sessão que inicia às 19h30 com ‘Thuë pihi kuuwi – Uma mulher pensando‘, da Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem, e segue com ‘Céu aberto’, da Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem.

O 33º Cine Ceará acontece até o dia 1º de dezembro com acesso gratuito à toda a programação. Informações sobre a retirada de ingressos estão disponíveis no site do festival.

Assista a uma cena:

Este é o sétimo longa-metragem de Petrus Cariry, que teve seus filmes exibidos e premiados em importantes festivais de cinema, como Nantes (3 Continentes), Índia (IFFI), Viña del Mar, Toulouse, Mar del Plata, Havana, Miami e Oldenburg. Com ‘Mais pesado é o céu‘ participou do 51º Festival de Cinema de Gramado, onde foi agraciado com três prêmios: Melhor Direção e Fotografia (Petrus Cariry), Melhor Montagem (Firmino Holanda e Petrus Cariry) e Prêmio Especial do Júri (atriz Ana Luiza Rios).

Sinopse: Após acolher uma criança abandonada, Teresa conhece Antônio e os dois iniciam uma jornada pelas estradas. O passado em comum, para eles, são as memórias de uma cidade submersa no fundo de uma represa. A vida é sonho, mas o futuro é a incerteza.

Mostras Competitivas de Curta e de Longa

Seis produções de 10 países vão compor a Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem do 33º Cine Ceará e 14 curtas de 12 estados estão na Competitiva Brasileira de Curta-metragem.

O curta-metragem “Thuë pihi kuuwi – Uma Mulher Pensando” foi vencedor dos prêmios de Menção Honrosa no 5º Festival de Cinema da Amazônia – Olhar do Norte e Prêmio 10+ Favorito do Público no 34º Festival Internacional de Curtas de São Paulo – Curta Kinoforum e participou de 14 festivais nacionais e internacionais, dirigido por Aida Harika Yanomami, Edmar Tokorino Yanomami e Roseane Yariana Yanomami. Produzido em Roraima com uma equipe formada por indígenas Yanomami, o curta traz a história de uma jovem mulher indígena, que observa um xamã durante o preparo da Yãkoana, alimento dos espíritos, propondo um encontro de perspectivas e imaginações.

Não deixe de assistir:

A ficção-documentário “Céu aberto”, coprodução Peru-França, dirigida por Felipe Esparza, foi exibido em oito festivais ao redor do mundo. O filme conta a história de pai e filhos peruanos que foram separados após a misteriosa morte da esposa/mãe da família.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS