Em 2011, a comédia Missão Madrinha de Casamento chegou aos cinemas de todo o mundo e tornou-se um dos filmes mais recebidos do ano e da década.

A história, escrita por Kristen WiigAnnie Mumolo (que inclusive receberam uma indicação ao Oscar de Melhor Roteiro Original), girou em torno de Annie (Wiig), madrinha de sua melhor amiga, Lilith (Maya Rudolph), que passa pelas mais divertidas e bizarras e situações ao perceber que precisaria disputar a atenção e a proximidade da noiva com uma bela e rica mulher (vivida por ninguém menos que Rose Byrne).

Trazendo no elenco, também, nomes icônicos da comédia – incluindo Melissa McCarthy Ellie Kemper -, o longa recentemente completou dez anos e, para celebrá-lo, o CinePOP separou uma breve matérias com dez curiosidades de bastidores da produção.

Confira abaixo:



ACLAMAÇÃO TOTAL

Por sua interpretação como Megan Price, McCarthy conquistou sua primeira indicação ao Oscar, na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, além de ter recebido nomeações ao BAFTA e ao SAG Awards. Ela seria indicada novamente por sua incrível performance no drama biográfico ‘Poderia Me Perdoar?’.

SEQUÊNCIA CANCELADA

Devido ao sucesso comercial e crítico do filme, a Universal Pictures ficou interessada em produzir uma sequência. Entretanto, em 2014, Wiig fez uma aparição no programa The Ellen DeGeneres Show e negou os rumores, dizendo que a história havia terminado de um jeito ótimo e que não haveria necessidade para uma continuação.



VERSATILIDADE

Byrne era conhecida por ser uma atriz dramática, com trabalhos que incluíam ‘Sunshine – Alerta Solar’‘Damages’. Quando escalada para viver Helen, antagonista principal do filme, o elenco ficou surpreso com sua habilidade de improvisação durante as gravações – exemplicada principalmente pela cena do noivado em que tenta usurpar o discurso de Annie.

INSISTÊNCIA CÔMICA

Aproveite para assistir:



O produtor Judd Apatow queria que o filme fosse selvagem e bastante físico, enquanto Mumolo e Wiig optaram por uma veia mais sutil. A cena mais notória do filme – a escatológica sequência da diarreia – foi colocada no corte final por insistência tanto de Apatow quanto do diretor Paul Feig.

TRABALHO CONSTANTE

O projeto foi escrito em questão de semana. Wiig participava do programa de esquetes ‘Saturday Night Live’, em Nova York, enquanto Mumolo trabalhava no roteiro em Los Angeles. As duas se encontravam aos finais de semana e comparavam notas e conduziam leituras de mesa, normalmente com a presença de Apatow.

ESCOLHA DIFÍCIL



Vários diretores foram considerados para comandar o filme, incluindo Greg MottolaTodd PhillipsDavid Gordon GreenDavid WainJake Kasdan. Entretanto, todos estavam indisponíveis. Anne Fletcher foi a única cineasta mulher a ser considerada, mas o estúdio decidiu não contratá-la.

SUCESSO COMERCIAL

Faturando um estrondoso valor de quase US$289 milhões (a partir de um orçamento de US$32,5 milhões), Missão Madrinha de Casamento superou ‘Sex and the City’ como a comédia feminina para maiores mais bem sucedida de todos os tempos nos Estados Unidos. Além disso, esse é o título mais bem sucedido já produzido por Apatow.

O MÉTODO DO IMPROVISO

Antes das filmagens começarem, o elenco protagonista se reuniu durante duas semanas para improvisarem umas com as outras. Grande parte dessas sessões foram incorporadas ao corte final.


ESCOLHAS CRIATIVAS

Nos comentários do DVD, Feig e Wiig tomaram a deliberada decisão de Annie manter seu sutiã durante as cenas de sexo com Ted (Jon Hamm), mas tirá-lo nas mesmas sequências com Nathan (Chris O’Dowd). A ideia era simbolizar o fato de Annie se sentir segura o bastante para se abrir emocional e fisicamente para Nathan de um jeito que não conseguia com Ted.

ESTREIA NO PROTAGONISMO

Wiig deu vida a Annie Walker, a problemática e hilária madrinha de casamento de Lillian. Além de ter escrito o roteiro, esse foi o primeiro papel principal da atriz nos cinemas.

Comentários

Não deixe de assistir:

🚨 INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE 🚨http://bit.ly/CinePOP_Inscreva