domingo, maio 26, 2024

No Filme de Terror de Tubarão que lidera os MAIS VISTOS da Netflix, Você Torce pelo Tubarão!

Sabe aquela história de um grupo de turistas que vão fazer estripulias longe de casa e acaba encurralado por um (ou mais) tubarãozão branco assustador? Sim, você já viu esse filme antes, em diversos formatos, pois não é nenhuma novidade: é um mote bastante comum na indústria cinematográfica de filmes de terror, de onde o clássico ‘Tubarão’ (‘Jaws’), de Steven Spielberg, é o mais famoso representante.

Entretanto, é um tipo de filme de terror que continua levando público ao cinema, pois nós, seres humanos, temos um quê de atração por histórias de seres monstruosos colocando em risco a vida de pessoas. Assim, ‘Tubarão: Mar de Sangue’ estreou no catálogo da Netflix liderando entre os mais vistos da semana. Mas será que é bom?

É a última viagem de férias do grupo de amigos Nat (Holly Earl), Tom (Jack Trueman), Milly (Catherine Hannay), Tyler (Malachi Pullar-Latchman) e Greg (Thomas Flynn). Enquanto a tímida Nat quer apenas curtir calmamente com seu namorado, Tom, seus amigos estão mais a fim de bagunça, bem no estilo “fazer no país dos outros o que eu não posso fazer no meu”. É assim que, no último dia do grupo numa bela praia mexicana, eles decidem, meio bêbados, roubar dois jet skis da orla e sair dirigindo mar adentro. O problema é que a imprudência dos mais exaltados faz com que o grupo sofra um acidente, e, por conta disso, fique preso em apenas um jet ski em alto mar, sem ninguém saber onde estão. Quando os amigos começam a pensar que este é o único problema deles, um enorme tubarão branco começa a rondá-los…

Felizmente com apenas uma hora e vinte de duração, chega a ser difícil elencar qual o principal problema em ‘Tubarão: Mar de Sangue’. Em um universo em que esse mote já foi bastante explorado, espera-se que, com um novo filme, ao menos um elemento diferente seja inserido no enredo, porém, no filme que estreia essa semana vemos exatamente tudo o que já foi trazido aos cinemas antes, sem nenhuma diferença. O roteiro de Nick Saltrese segue o guia dos clichês dos filmes de sobrevivência e constrói cinco personagens insossos e vazios. Temos uma protagonista magra e fraca que quer bancar a vibe de fodona; o namorado vazio ex-atleta sonho de consumo americano que todo mundo quer pegar; a melhor amiga bonitona que, desde a primeira cena, é mostrado que no fundo é fura olho da protagonista; e mais dois amigos bobalhões para compor o cenário do turista estadunidense beberrão. Estereotipados, eles fazem exatamente o que se espera deles, sem nenhuma surpresa – e, consequentemente, nos faz perder a paciência.

Sem nada de novo, o filme de James Nunn se alavanca em uma puch line (frase de efeito) super fraca e pronunciada sem nenhum convencimento: “eu sou uma garota do Kansas” – como se, caramba, as mulheres texanas fossem imbatíveis. Disso tudo, sobra-nos apenas torcer para o tubarão fazer valer a promessa do título – ‘Tubarão: Mar de Sangue’ no original chama-se ‘Shark Bait’, ou seja, “isca de tubarão”, em tradução livre. Ao menos o tubarão é divertido.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS