domingo, junho 23, 2024

Nostalgia! 10 Clássicos dos Anos 90 que quase tiveram OUTROS ATORES como Protagonistas

Para muitos fãs de cinema, as décadas de 80 e 90 se rivalizam como as preferidas e as mais significativas em matéria de cinema entretenimento em Hollywood. E se nos anos 80 tivemos ‘Star Wars’. Nos anos 90 tivemos ‘Jurassic Park’. Se nos anos 80 tivemos ‘De Volta para o Futuro’, nos anos 90 tivemos ‘Forrest Gump’. A verdade é que as décadas se complementam. Quem foi criança nos anos 80, era adolescente nos anos 90 e via sua paixão pela sétima arte apenas aumentar, quando se começava a compreender melhor o que era cinema e apreciá-lo.

A verdade é que os anos 90 igualmente trouxeram franquias e filmes que seriam eternizadas na cultura pop. Como o próprio citado ‘Jurassic Park’, ‘Matrix’, ‘O Exterminador do Futuro 2’, ‘Esqueceram de Mim’, ‘Pulp Fiction’, ‘Entrevista com o Vampiro’ e por aí vai. Pensando desta vez nos anos 90, decidimos trazer para você alguns dos maiores clássicos do período que por pouco não foram muito diferentes. Isto é, porque por pouco não tiveram outros atores protagonizando. Em Hollywood, a ideia que se tem no roteiro e o produto final do que vemos em tela nunca é exatamente o mesmo. Assim, muitos filmes são inicialmente visados para serem protagonizados por determinados atores. Mas no caminho, terminam nas mãos de outros. O melhor é que depois pensamos que nenhum outro poderia fazer da forma que ficou. Melhor assim. Confira abaixo.

Leia também: Nostalgia! 10 Clássicos dos Anos 80 que Teriam OUTROS ATORES como Protagonistas

Jurassic Park – O Parque dos Dinossauros (1993)

Já imaginou como seria o clássico adorado que revolucionou o cinema com o uso de efeitos especiais de computadores e encantou plateias do mundo inteiro caso fosse protagonizado por Kurt Russell, Sandra Bullock e Jim Carrey? Sim, foi isso o que quase aconteceu com ‘Jurassic Park’, filme que ainda hoje é lembrado como um dos maiores sucessos da carreira de Steven Spielberg e da história do cinema.

Aliás, ‘Jurassic Park’ quase teve outro diretor também, já que o “rei do mundo” James Cameron revelou que queria muito ter feito o filme e que os direitos para o longa foram comprados horas antes que ele pudesse dar seu lance. Na versão de Cameron, Arnold Schwarzenegger seria o Dr. Alan Grant, Bill Paxton seria Ian Malcolm e Charlton Heston seria o bilionário John Hammond. Curiosamente, os três foram parar em ‘True Lies’, filme que Cameron lançaria um ano depois.

Mas os atores que por pouco não protagonizaram ‘Jurassic Park’ foram outros. Kurt Russell, que saída do sucesso ‘Cortina de Fogo’, viveria o Dr. Alan Grant, mas não conseguiu chegar a um acordo salarial – seu nome era grande na época, assim foi contratado Sam Neill; e Russell partiu para estrelar o faroeste ‘Tombstone’. Para o papel da Dra. Ellie Sattler, que terminou com Laura Dern, uma desconhecida Sandra Bullock chegou a fazer teste, mas não passou. Bullock obteria destaque no ano seguinte, ao participar de ‘Velocidade Máxima’. Já Jim Carrey, que também ganharia o mundo em 1994, com ‘Ace Ventura’, ‘O Máskara’ e ‘Debi & Lóide’ chegou a ser considerado para o papel de Ian Malcolm, que terminou com Jeff Goldblum. Ainda bem.

Uma Linda Mulher (1990)

A história de amor que apaixonou plateias no mundo todo e transformou Julia Roberts em uma estrela internacional, segue mais viva do que nunca. O conto de ‘Cinderela’ modernizado para a década de 90 fez da gata borralheira uma prostituta de rua com bom coração, que termina “fisgada” por um rico executivo nas formas de Richard Gere. Mas como sabemos, na história de Hollywood os filmes passam por um longo processo e os amantes poderiam ter tido outras formas.

Isso porque o papel de Vivian foi oferecido inicialmente para a ruivinha Molly Ringwald, estrela de filmes adolescentes dos anos 80 como ‘Clube dos Cinco’, ‘Gatinhas e Gatões’ e ‘A Garota de Rosa-Shocking’. ‘Uma Linda Mulher’ significaria uma guinada na carreira da atriz e uma entrada triunfal em papeis mais adultos. Mas Ringwald recusou a personagem por não se sentir confortável em interpretar uma prostituta. Anos depois ela mencionaria seu arrependimento. O papel do magnata Edward quase viu as formas do eterno Superman, Christopher Reeve. Porém, em seu teste para o elenco, Julia Roberts não pôde estar presente devido a um compromisso, assim, Reeve precisou testar com uma diretora de elenco. Frustrado por não estar atuando com uma atriz, Reeve rasgou as páginas do roteiro, soltou “os bichos” para cima do diretor Garry Marshall dizendo que ele não deveria tratar atores daquela forma, e se retirou.

Não deixe de assistir:

A Família Addams (1991)

Clássico imortal baseado nas criações de Charles Addams, ‘A Família Addams’ recebeu tratamento de luxo ao ser levado aos cinemas na forma de uma superprodução no início dos anos 90. Gomez, Mortícia, tio Funério e Wandinha ficariam eternizados nas formas do saudoso Raul Julia, Anjelica Huston, Christopher Lloyd e da então menina Christina Ricci. Para o papel de Mortícia, a loira Kim Basinger estava em negociações finais (teria sido interessante vê-la morena uma única vez em sua carreira), mas pulou fora do projeto para fazer o esquecido ‘Uma Loira em Minha Vida’. Já Cher, que tinha tudo a ver com a personagem, estava louca para conseguir o papel. O vencedor do Oscar Anthony Hopkins também foi cogitado para o papel do tio Funério, mas terminou recusando.

Matrix (1999)

Outro filme revolucionário em questão de seus efeitos especiais, ‘Matrix’ marcou época e se transformou num cult instantâneo, devido à sua mensagem filosófica, misturada com cyberpunk, lutas de kung fu e ficção científica. Tais conceitos pegaram o mundo de surpresa e no fim dos anos 90, início dos anos 2000 não se falava em outra coisa. O longa serviu para reinventar a carreira de Keanu Reeves, que vive o protagonista Neo. Porém, o personagem por pouco não teve as formas de Will Smith, como o próprio astro não deixa de mencionar em entrevistas. O astro recusou o papel de Neo para viver o protagonista de ‘As Loucas Aventuras de James West’, lançado no mesmo ano, no qual trabalhou com o mesmo diretor de ‘MIB – Homens de Preto’ e também fez a trilha sonora. Smith certamente achou que ‘James West’ faria o mesmo sucesso de ‘MIB’.

Na época em que Smith vinha sendo vinculado a ‘Matrix’, o mentor Morpheus teria ganhado as formas de Val Kilmer. O astro de ‘Homens de Preto’, por outro lado diz que Keanu Reeves e Laurence Fishburne seriam inigualáveis como os personagens. Já para o papel de Trinity, a atriz que estava no topo da lista era Sandra Bullock (ela de novo), que terminou recusando o papel porque Will Smith seria o protagonista. Caso tivesse aceitado, reencenaria a dupla de ‘Velocidade Máxima’ com Keanu Reeves. Mas como sabemos, o papel terminou com a sumida Carrie-Anne Moss.

Titanic (1997)

Depois de ‘Uma Linda Mulher’, a década de 1990 fechou com outro casal icônico em um filme romântico que encantou toda uma geração. ‘Titanic’ mistura romance, com filme catástrofe e efeitos especiais caríssimos, resultando por anos na maior bilheteria da história do cinema. A história de amor de Jack e Rose só podia ter sido encenada por Leonardo DiCaprio e Kate Winslet. Mas e se tivéssemos outros atores em tais papeis? Bem, isso com certeza quase aconteceu – afinal são raros os filmes que conseguem ter no elenco os atores imaginados originalmente.

Para o papel do vigarista Jack, a primeira opção era Johnny Depp, que cometeu a audácia de recusar o papel (na época ‘Titanic’ era considerado um risco e um possível flop). Depp já revelou que se arrepende amargamente de ter recusado. Na época o ator estrelou o filme de máfia ‘Donnie Brasco’ ao lado de Al Pacino. Outro que testou para o personagem Jack foi o Batman Christian Bale. Mas Bale foi recusado pois James Cameron não queria dois atores britânicos protagonizando como americanos (a outra sendo Kate Winslet).

Por falar em Kate Winslet, para o papel de Rose duas outras atrizes famosas foram cogitadas e quase ficaram com a personagem. A primeira foi Jennifer Aniston, que fazia sucesso estrondoso no seriado ‘Friends’ e começava a emplacar em comédias românticas no cinema também. Já pensou? A segunda foi Claire Danes, com quem DiCaprio já havia trabalhado no ano anterior em ‘Romeu + Julieta’.

Entrevista com o Vampiro (1994)

Outro filme icônico dos anos 90, que marcou época por trazer dois dos maiores galãs do período contracenando num longa que mistura terror e drama, ‘Entrevista com o Vampiro’ é igualmente uma obra adorada até hoje. Tom Cruise e Brad Pitt juntos em tela foi o suficiente para parar o mundo. Em especial Cruise, mostraria um outro lado de seu alcance performático num papel vilanesco e cínico, que o ator tão brilhantemente entregou. Um dos projetos mais badalados de Hollywood na época, a autora do livro, Anne Rice, havia escrito o personagem Lestat com o ator Rutger Hauer em mente. Mas quando os direitos foram comprados pela Paramount, o estúdio queria John Travolta no papel.

O papel de Lestat passou por uma verdadeira dança das cadeiras, com Daniel Day-Lewis contratado para o personagem, deixando o projeto poucas semanas antes do início das filmagens. Antes de Tom Cruise ser escalado, o papel foi oferecido e recusado por Johnny Depp. Para o papel de Louis, o ator anteriormente pensado havia sido Val Kilmer, com quem Tom Cruise trabalhou em ‘Top Gun’, mas Kilmer eventualmente recusou a participação – com o papel terminando nas mãos de Brad Pitt.

Batman – O Retorno (1992)

O Homem-Morcego havia se tornado uma das propriedades mais quentes de Hollywood após o estrondoso sucesso de ‘Batman’ (1989), de Tim Burton. A Bat-mania que tomou conta do mundo só pode ser comparada ao que ‘Barbie’ tem feito atualmente, ou seja, pintado o mundo de rosa. Mas em 1989, era o símbolo do Morcego que tomava conta de tudo. É claro que a marca se consolidou e até hoje Batman é um dos personagens mais badalados do cinema, tendo recebido diversas interpretações ao longo dos anos.

Assim, não é de se espantar o hype que havia por trás da primeira continuação de tamanho sucesso estrondoso. ‘Batman – O Retorno’ viria a parar o mundo novamente, trazendo dois personagens novos muito cobiçados na maior indústria do cinema mundial. E pode ter certeza que todo tipo de ator e atriz correu atrás dos papeis do Pinguim e da Mulher-Gato. Começando pela sedutora felina, a escolha do diretor Tim Burton havia sido a atriz Annette Bening, que havia assinado para interpretar a personagem.

No entanto, ainda na fase de pré-produção, Bening se descobriu grávida do marido Warren Beatty, e precisou pular fora do projeto – abrindo assim espaço para a incomparável Michelle Pfeiffer. Já o baixinho rechonchudo Pinguim terminou com Danny DeVito, e não conseguimos imaginar nenhum outro no papel na época. Porém, a primeira escolha para o vilão era outro ator baixinho: Dustin Hoffman, que havia sido o Capitão Gancho em ‘Hook’ (1991), e recusou o papel.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS