Nascida e criada em Manhattan, Nova Iorque, Scarlett Johansson já está na carreira de atriz faz muito tempo, mesmo tendo apenas 37 anos. Filha de um arquiteto dinamarquês, desde pequena buscava aperfeiçoamento na arte de interpretar, sendo uma estudante no Lee Strasberg Theatre and Film Institute e na Professional Children’s School (PCS), uma instituição de ensino privada de educação artística para crianças.

In this theater publicity image released by Boneau/Bryan-Brown, Scarlett Johansson, left, and Liev Schreiber are shwon in a scene from the Broadway revival of Arthur Miller’s “A View From the Bridge,” playing at the Cort Theatre in New York. (AP Photo/Boneau/Bryan-Brown, Joan Marcus) ORG XMIT: NYET693

Ela estreou primeiro nos palcos norte-americanos, fazendo uma aparição numa peça Off-Broadway chamada Sophistry, que tinha no elenco Ethan Hawke. Aos nove anos, fez seu primeiro filme, North em 1994. Dois anos mais tarde teve seu primeiro destaque em um filme, na produção Manny & Lo dirigida pela cineasta Lisa Krueger.

Sua carreira decolou rapidamente até que em 2003 chegou ao estrelato com sua participação fantástica no filme Encontros e Desencontros de Sofia Coppola. Um ano mais tarde, recebeu muitos elogios por seu papel em Match Point de Woody Allen.



Aos poucos Scarlett, que já foi indicada duas vezes ao Oscar, ao Bafta, Globo de Ouro, SAG, vencedora do Tony de Melhor atriz, foi se tornando uma das atrizes mais bem pagas do universo cinema.

Aproveite para assistir:

Para comemorar seu aniversário, decidimos criar uma lista de alguns ótimos filmes dela, alguns bem conhecidos, outros nem tanto, para deixar de sugestão para vocês:

 



Como Não Perder essa Mulher

Após o ano de 2012, com pelo menos três ótimos filmes no currículo, o artista californiano Joseph Gordon-Levitt resolve ingressar na carreira de diretor apresentando o interessante drama Como Não Perder essa Mulher. O roteiro fala com maturidade sobre a vida sexual de um jovem, tema que em muitos outros filmes é tratado com descaso e ignorância, por algumas produções. O longa-metragem, estimado em U$$ 6 Milhões, conta com as presenças marcantes de Julianne Moore, Scarlett Johansson, ambas super divertidas em seus respectivos papéis.

 

História de um Casamento

O fio que nunca acaba de uma história passa sempre pelo amor que segue uma trajetória. Abrindo as portas de um relacionamento de altos e baixos ligado a artes, amizade, família e a educação de um filho pequeno, o excelente cineasta Noah Baumbach (dos ótimos A Lula e a Baleia e Frances Ha) escreve e dirige esse retrato de um iminente divórcio definitivo, todos os seus ciclos e conflitos interpretados pelos excelentes Scarlett Johansson e Adam Driver. Produzido e atualmente no catálogo da Netflix, o projeto é bastante parecido com o filme A História de Nós Dois (onde eu descobri o quão ótimo é o Bruce Willis atuando).



 

Jojo Rabbit

As delicadezas de uma época triste. Tentando ser o mais leve possível para falar sobre as absurdas caçadas aos judeus pelos nazistas, o diretor neo-zelandês Taika Waititi consegue com seu novo trabalho, Jojo Rabbit (indicado a algumas categorias do Oscar) criar um universo peculiar, fruto de um roteiro criativo (baseado na obra Caging Skies, de Christine Leunens) que navega na linha tênue entre a tragédia e os bons sentimentos de uma família de dois, que na verdade eram três. Com muita força expressiva em cena com diálogos marcantes, e porque não dizer emocionantes, o projeto mostra ao mundo mais uma vez que pela arte conseguimos recriar o passado mas sem perder a ternura em determinados olhares.

 


Ela

Se apaixonar é uma forma socialmente existencial de insanidade? Depois de apresentar ao mundo uma versão peculiar da tristeza por meio de metáforas e universos inimagináveis, no longa-metragem Onde Vivem os Monstros, o diretor norte-americano Spike Jonze volta aos cinemas, quatro anos depois, com um projeto audacioso que fala sobre o diferente relacionamento no futuro entre um homem e uma máquina, Ela. Com muita suscetibilidade aplicada nas ações dos personagens, o famoso diretor precisava de um ator completo para executar o complexo protagonista. E acreditem, não havia escolha melhor do que Joaquin Phoenix. O porto-riquenho de 39 anos conquista o público, já nos primeiros segundos, com um maravilhoso monólogo.

 

Compramos um Zoólogico

Um homem que viveu muitas aventuras com o seu trabalho de escritor/jornalista resolve ter a maior de todas elas. Com um enredo baseado em fatos reais, o diretor Cameron Crowe reúne um elenco de nomes conhecidos do público e dirige com maestria essa grata surpresa, Compramos um Zoológico. Na história, que tem o roteiro adaptado assinado por Crowe e Aline Brosh McKenna, vemos um pai de família dedicado que busca uma saída para a solidão na sua vida e na de sua família após o falecimento de sua mulher. Resolve então procurar um novo lugar para viver com os filhos. De tanto procurar acaba encontrando um lugar especial e inusitado, um zoológico. Aos poucos, ao lado das crianças, vai aprendendo a administrar e viver essa nova vida que reserva muitas surpresas como um novo amor.

 

Match Point

Primeiro trabalho de Johansson com Woody Allen, conta uma história de ganância, sedução onde um ex-tenista se casa com uma jovem para conseguir de alguma forma subir na empresa só que ele começa a se relacionar com a cunhada da sua namorada, que fica grávida. A partir daí vemos escolhas e as inconsequências da ambição. Um baita filme, com um final arrebatador.

 

Sob a Pele

Depois do esquisito Reencarnação, o cineasta britânico Jonathan Glazer volta ao mundo do cinema de maneira triunfal para contar ao público uma história filmada de maneira incomum sobre a visão da vida terrestre pelos olhos de uma alienígena.  É um filme estranho, sem dúvidas, mas longe de ser algo ruim isso. Esse trabalho, no mínimo interessante, vai gerou muitas discussões ainda dentro das salas de cinema logo que os créditos começaram a subir.

 

Os Vingadores

Baseado na história em quadrinhos criada por Stan Lee e Jack Kirby, Os Vingadores finalmente chegou aos cinemas anos atrás, sendo um estrondoso sucesso. Joss Whedon, famoso diretor de seriados americanos, faz um trabalho fabuloso no comando desses grandes astros conseguindo deixar a maioria dos críticos de cinema mais chatos desse planeta com um sorriso de orelha a orelha quando termina a fita. É absolutamente inovador.

 

Encontros e Desencontros

Talvez a grande interpretação da carreira de Bill Murray, indicado inclusive ao Oscar por esse papel. Encontros e Desencontros, protagonizado por Murray e Scarlett Johansson (que também está fabulosa no seu papel) e dirigido por Sofia Coppola, conta a história de um famoso ator um pouco depressivo que está na capital do Japão para rodar um comercial. Também está na cidade uma jovem que tem um marido workholic que a deixa sem ter muito o que fazer durante a viagem. Essas duas almas vão se encontrar e descobrirem novos sentidos para suas vidas. Um filme lindo, lindo, lindo! Imperdível!

 

 

 

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: