segunda-feira, junho 24, 2024

QUENTE DEMAIS! Relembre os Thrillers ERÓTICOS do Cinema que Completam 30 Anos em 2022

Os anos 80 podem ser considerados uma década muito incorreta na história da humanidade, e sem dúvida isso se refletiu no cinema. No entanto, a década seguinte é que traria a criação de um subgênero, de certa forma polêmico, mas que fez muito sucesso no período. Estamos falando dos thrillers eróticos, filmes de suspense donos de forte carga sexual. Quase sempre dentro deste gênero três elementos eram indispensáveis: sexo, nudez e violência. E quando falamos em nudez, muitas vezes de forma explícita, estamos falando é claro do corpo feminino, que se tornava objeto de desejo e alçava diversas atrizes ao patamar de símbolos sexuais.

Os anos 80 podem até ter destacado alguns filmes com premissa um pouco mais provocativa, como Atração Fatal, 9 ½ Semanas de Amor e Orquídea Selvagem, mas foi na década de 90 que tais obras ficariam verdadeiramente conhecidas virando tendência e dando luz a algumas das produções mais icônicas do cinema dentro deste segmento. Aqui, nesta nova matéria iremos abordar alguns filmes emblemáticos, outros cult e ainda alguns obscuros que fizeram parte deste movimento dos thrillers eróticos e que completam 30 anos em 2022. Confira abaixo.

Instinto Selvagem

Não dá para falar de thrillers eróticos sem falar em Instinto Selvagem. O filme do diretor holandês Paul Verhoeven marcou não apenas os filmes de 30 anos atrás, ou a década de 90 como carro-chefe deste subgênero, como também é um dos filmes mais lembrados quando falamos de obras que utilizam em sua narrativa sexo, violência e cenas para lá de picantes. Tido como herdeiro de Atração Fatal (1987), Instinto Selvagem foi ainda mais longe, empurrando os limites da censura com cenas que fizeram as telonas derreterem de tão quentes. De quebra serviu para apresentar ao mundo a beleza e o talento de Sharon Stone, no papel que definiria sua carreira, o da escritora sadomasoquista Catharine Tramell, principal suspeita na investigação de assassinatos grotescos. Cobrindo o caso o detetive vivido por Michael Douglas. Sucesso absoluto.

Lua de Fel

Da mente complexa do cultuado cineasta Roman Polanski, chega agora na lista o cruzeiro mais psicologicamente perturbador da história do cinema. Baseado no livro de Pascal Bruckner, como não poderia deixar de ser, a polêmica toma conta de Lua de Fel, que retratou há 30 anos o relacionamento doentio de Oscar (Peter Coyote) e Mimi (Emmanuelle Seigner), marido e mulher dominados pela paixão incontrolável, por ciúmes e joguinhos sexuais, que terminam por deixar o sujeito preso a uma cadeira de rodas. Em viagem pelo mar eles conhecem o casal pudico de ingleses Nigel (Hugh Grant) e Fiona (Kristin Scott Thomas) e resolvem contar sua trágica história, enquanto os seduzem.

Relação Indecente

Há 30 anos no cinema, as loiras dominavam os thrillers eróticos. Depois de Sharon Stone chegar chutando a porta, quem esteve em cena também foi a ninfeta Drew Barrymore, dez anos depois de aparecer como a menininha de E.T., aqui aos 17 aninhos. Produzido pela New Line Cinema, o filme tem a atriz como Ivy, uma jovem sedutora que faz amizade com a tímida menina rica Sylvie (Sara Gilbert). Ao se aproximar não apenas da amiga, mas também de seu lar desfeito, com a mãe doente, Ivy começa aos poucos a plantar suas raízes e a se envolver com o patriarca Darryl (Tom Skerritt).

Perdas e Danos

Outra produção da New Line Cinema, o filme é baseado no romance de Josephine Hart e tem direção de Louis Malle. Quem estrela é a musa do cinema francês Juliette Binoche no papel de Anna. Ela é noiva de Martyn (Rupert Graves), mas as coisas se complicam quando é apresentada para seu futuro sogro, o parlamentar britânico Stephen, papel do grande Jeremy Irons. O sujeito casado se apaixona pela jovem e os dois começam um tórrido caso de amor proibido e bastante antiético.

Não deixe de assistir:

Corpo em Evidência

Também conhecido como o “clone” de Instinto Selvagem pelos cinéfilos, o longa estrelado por Madonna estreou apenas em um único país no ano de 1992 (a Coreia do Sul), chegando em grande circuito pelo mundo, incluindo nos EUA, no início de 1993. Ou seja, quase um ano depois de Instinto Selvagem, o que deu bastante brecha para certas semelhanças. Aqui também temos uma mulher extremamente sensual, papel da material girl, acusada de ter matado seu companheiro no ato sexual. Sua arma do crime? Seu corpo, ela é simplesmente gostosa demais! Mas enquanto todos os louros foram para Sharon Stone e seu filme, Madonna ficaria com o lado oposto dos elogios. Ah sim, Willem Dafoe e Julianne Moore também estão no elenco.

Desejos

Como dito, há 30 anos foi a vez das loiras comandarem os thrillers eróticos, e aqui temos mais uma. Quando lançou este Final Analysis (no título original), a ex-modelo Kim Basinger já havia incendiado as telas em 9 ½ Semanas de Amor e virado uma estrela com Batman, de Tim Burton. Aqui, a loiríssima vive Heather, uma mulher feita de objeto sexual por seu marido abusivo Jimmy (Eric Roberts). Eventualmente, ela termina se envolvendo com o terapeuta, papel de Richard Gere, que está tratando de sua irmã mais jovem (Uma Thurman). Quando o marido abusivo aparece morto, todos são suspeitos. A direção é de Phil Joanou, o mesmo do clássico adolescente Te Pego Lá Fora (1987).

Jogos de Adultos

Dirigido pelo prestigiado Alan J. Pakula (Todos os Homens do Presidente), o que acontece quando a pretensão de swing entre casais sai muito errado? Essa é a resposta que o cineasta pretendia dar há 30 anos. Kevin Kline e Mary Elizabeth Mastrantonio são marido e mulher recém-chegados a uma vizinhança da classe alta americana. Eles são bem recebidos (até demais) pelos vizinhos afetuosos, papel do “maldito” Kevin Spacey e Rebecca Miller. Os dois casais se tornam muito próximos e num jantar, brincam com a possibilidade de mudança de esposas. Mas o que começou como um joguete, irá escalar até proporções criminosas.

Gemidos de Prazer

Com um título em português mais que provocativo para Whispers in the Dark (algo como “sussurros no escuro”), quem estrela este thriller é Annabella Sciorra, de Febre da Selva (1991), de Spike Lee, e que no mesmo ano lançava também o thriller de sucesso A Mão que Balança o Berço. No filme, ela interpreta uma psicóloga que termina se apaixonando e vivendo um caso tórrido de amor com o marido de uma de suas pacientes, a problemática Eve, papel de Deborah Kara Unger. O filme escrito e dirigido por Christopher Crowe, roteirista de O Último dos Moicanos, lançado no mesmo ano, conta ainda com Alan Alda no elenco.

Marcas de Batom

Embora não sejam nomes muito conhecidos das gerações mais novas, o trio de protagonistas deste thriller erótico fazia muito sucesso nos anos 80 e 90. James Belushi (K-9: Um Policial bom pra Cachorro) vive um detetive investigando múltiplos casos de assassinatos, todos assinados com marcas de batom (como diz o título). Tony Goldwyn (Ghost – Do Outro Lado da Vida) é seu parceiro nas investigações. Os crimes apontam para uma loira fatal (e quem mais?), amante do protagonista – interpretada por Lorraine Bracco, recém-saída do sucesso de Os Bons Companheiros.

Crimes de Amor

Terminando a lista com os thrillers eróticos de 30 anos atrás no cinema, temos mais uma trama envolvendo uma mulher na mira de um maníaco sexual. Essa era a fórmula que havia virado tendência na época. No papel da vítima, Sean Young, dos sucessos Blade Runner e Wall Street, e recém-saída de outro thriller, Um Beijo Antes de Morrer (1991). Mas ela não é uma vítima qualquer, e sim promotora investigando o caso de um predador sexual que finge ser um famoso fotógrafo para abusar de mulheres. O vilão é interpretado por Patrick Bergin, que no ano anterior havia ficado famoso por interpretar outro sujeito odioso, o marido espancador de Julia Roberts em Dormindo com o Inimigo (1991).

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS