‘Um Tira da Pesada’ – Clássico Absoluto dos anos 80 Completa 40 Anos em 2024!

Não é todo dia que um filme tem sua continuação confirmada pelos executivos de um grande estúdio minutos depois de o terem assistido em uma exibição particular dentro da companhia e sem qualquer contato do público com a obra. O que exibe a máxima confiança que se tinha no sucesso do longa. Esse foi o caso com ‘Um Tira da Pesada’, filme que transformou Eddie Murphy em um astro internacional.

Misto de ação policial e comédia, esse verdadeiro clássico está completando 40 anos em 2024, e como forma de celebração irá lançar junto à Netflix uma quarta e tardia sequência, no dia 3 de julho. Para irmos entrando no clima, aqui iremos revisitar este verdadeiro clássico absoluto.

O foco principal de ‘Um Tira da Pesada’ é o conceito de ‘peixe fora d’água’ – um tira malandro de Detroit na “fru-fru” Beverly Hills.

A ideia para ‘Um Tira da Pesada’ surgiu da mente de Michael Eisner, o chefão da Paramount Pictures na época. Eisner foi parado por um policial enquanto dirigia um carro velho nas ruas de Los Angeles em 1975. O sujeito, que dirigia o mesmo carro em Nova York, reparou que o policial o tratou com desprezo e percebeu que foi devido ao veículo que dirigia. Assim, pensou em um mote para um filme, que falaria sobre o choque social na cidade mais cheia de glamour dos EUA.

Durante quase uma década, Michael Eisner lutou para transformar aquela situação que havia passado em um filme, mas ninguém parecia acertar na essência do roteiro – deixando o produtor constantemente insatisfeito. Foi até o roteirista de primeira viagem Daniel Petrie Jr. acertar em cheio, ao entregar seu tratamento em setembro de 1983.  Antes disso, o outro roteirista creditado, Danilo Bach, já havia construído as bases da história ainda em 1977.

Quem viveu a fase das vídeo locadoras nos anos 80 e 90, sem dúvida lembra dessa imagem terminando a vinheta da saudosa CIC Vídeo.

Tendo uma história e um roteiro, agora era necessário um diretor. E acredite se quiser: Martin Scorsese foi cogitado e sondado para a direção, depois do fiasco do hoje cult ‘O Rei da Comédia’. O lendário cineasta até pensou no caso com carinho, mas recusou a oferta por achar o roteiro muito semelhante ao do clássico ‘Meu Nome é Coogan’ (1968), com Clint Eastwood. E olhando de perto, ‘Um Tira da Pesada’ realmente parece uma versão modernizada de Coogan.

Outro diretor cogitado que recusou foi David Cronenberg, então saído dos cult ‘Videodrome’ e ‘Na Hora da Zona Morta’. Assim, entrava em cena o nome de Martin Brest. Porém, a contratação do cineasta não seria assim tão fácil. Acontece que Brest havia sido demitido do comando de ‘Jogos de Guerra’ (1983), outro clássico da década de 80, após 12 dias de trabalho por divergências com os produtores. Com essa treta na MGM, Hollywood acreditava que Brest estava queimado e ninguém queria trabalhar com ele.

Eddie Murphy no meio e os “parceiros” John Ashton (à esquerda) e Judge Reinhold (à direita) – partes essenciais de ‘Um Tira da Pesada’.

No entanto, os produtores Jerry Bruckheimer e Don Simpson, que iriam bancar ‘Um Tira da Pesada’, insistiam na visão de Best para o projeto, e correram atrás do diretor não aceitando não como resposta. É dito que Martin Brest ainda assim estava na dúvida sobre realizar o projeto, e a decisão saiu no jogar da moeda. Depois do sucesso de ‘Um Tira da Pesada’, o cineasta mandou emoldurar a tal moeda em seu escritório.

Com roteiro e diretor, agora era a hora de achar Axel Foley, o detetive durão de Detroit que possui um arco de “peixe fora d’água” ao chegar na glamorosa Beverly Hills, Los Angeles, atrás de um criminoso. E como muitos devem saber bem, Sylvester Stallone foi o ator contratado para o filme. Sim, depois do sucesso do terceiro ‘Rocky’ e do primeiro ‘Rambo’ em 1982, Stallone buscava um projeto mais leve para estrelar. E o roteiro de ‘Um Tira da Pesada’ caiu em seu colo. Mas aí, o projeto viveria mais um enorme impasse criativo.

Um poster irado de ‘Um Tira da Pesada’ original.

É dito inclusive que o roteiro foi escrito para o astro. Nessa fase do roteiro, Mikey Tandino, o amigo assassinado de Axel, seria na verdade seu irmão, e Jenny Summers, seria seu interesse amoroso. Por motivos óbvios, Tandino se tornou um amigo (quase irmão) para o Axel de Eddie Murphy no produto final, mas ter Jenny apenas como amiga demonstra o racismo implícito na indústria de Hollywood da época e na sociedade de forma geral.

Não deixe de assistir:

No fim das contas, Sylvester Stallone terminou desistindo da produção, o que foi um alívio para os produtores, que o deixaram ir depois de um longo entrave. A conclusão que o astro chegou foi a de que o público não o aceitaria no papel de um sujeito ingênuo, um peixe fora d’água, desacostumado com o estilo de vida de Beverly Hills. O ator também não gostou da inclusão de humor no filme, achou que não combinava com ele e que não se sairia bem em tal.

Nos dias de hoje talvez não existisse problema em fazer de Jenny (Lisa Eilbacher) o interesse amoroso de Axel como planejado originalmente.

Curiosamente, foi isso mesmo que Stallone seguiria para fazer no mesmo ano de 1984, com ‘Rhinestone – Um Brilho na Noite’, uma de suas poucas comédias na carreira, na qual atua ao lado de Dolly Parton, e que se tornou um fracasso retumbante. Você já havia ouvido falar?

Dois anos depois, Sylvester Stallone “ressuscitaria” algumas de suas ideias para ‘Um Tira da Pesada’ e as transformaria no roteiro de ‘Cobra’ (1986) – ou ‘Stallone Cobra’ (como ficou conhecido no Brasil). Outro ator que chegou bem perto de ser o ‘Tira da Pesada’ foi Mickey Rourke, que também desistiu e seguiu para fazer o drama criminal ‘Nos Calcanhares da Máfia’. Harrison Ford igualmente foi cogitado e desistiu. A lista de atores avaliados para o protagonista era imensa.

‘Um Tira da Pesada’ foi um dos maiores filmes de 40 anos atrás nos cinemas!

Mas eis que dos corredores do programa humorístico Saturday Night Live e dos próprios corredores da Paramount Pictures surgiria o Axel Foley perfeito. Eddie Murphy tinha apenas 19 anos quando começou no programa de esquetes mais famoso do mundo, o SNL, em 1980. O sucesso foi tanto que dois anos depois, Murphy estrelava seu primeiro filme para a Paramount, com o cult ’48 Horas’. Os produtores gostaram do que viram, e logo Murphy estaria em mais dois longas do estúdio.

O lance é que nos três primeiros trabalhos no cinema, o jovem nunca estava sozinho nas telas, e sempre servia de coadjuvante para algum outro nome estabelecido. Com ’48 Horas’ foi Nick Nolte, em ‘Trocando as Bolas’ foi Dan Aykroyd e em ‘A Melhor Defesa é o Ataque’ foi Dudley Moore. Com o resultado positivo destes filmes (em especial os dois primeiros), os executivos da Paramount viram a oportunidade de deixar o jovem (de agora 23 anos) estrelar seu primeiro projeto solo. Em ‘Um Tira da Pesada’, Eddie Murphy finalmente seria o protagonista absoluto.

Cartaz francês de ‘Um Tira da Pesada’.

Para estrelar ‘Um Tira da Pesada’, Eddie Murphy precisou recusar a oferta de ser um dos quatro ‘Caça-Fantasmas’. A vida afinal é feita de perdas e ganhos. Murphy era a primeira escolha para viver Winston Zedmore, o Caça-Fantasmas negro do quarteto. A escolha de Murphy foi pelo projeto certeiro, afinal foi ‘Um Tira da Pesada’ que mostrou seu potencial de carregar um filme de um grande estúdio sozinho e não dividir as atenções mais uma vez.

Na trama, Eddie Murphy vive Axel Foley, policial ousado da muito violenta cidade de Detroit. Após uma apreensão mirabolante, que resulta na cena de ação que abre o filme, ao som da icônica ‘The Heat is On’, de Glenn Frey, o parceiro na força e amigo de Foley é assassinado em sua frente. O protagonista então segue o rastro dos assassinos até Beverly Hills em Los Angeles, onde a pista vai levar a um poderoso homem de negócios chamado Victor Maitland (Steven Berkoff). Para piorar a situação, o sujeito é dono de uma galeria de arte, onde trabalha uma amiga de Foley, Jenny Summers (Lisa Eilbacher). Em Los Angeles ele se verá na mira de dois policiais, o Sargento Taggart (John Ashton) e o Detetive Billy Rosewood (Judge Reinhold), que precisam evitar que Foley crie problemas em sua cidade. A dupla, é claro, termina aliada do carismático policial.

Ao ter Eddie Murphy comandando no elenco, é claro que o humor prevaleceria em grande parte da história, assim como a ironia, o sarcasmo e a acidez. Desta forma, grande parte do roteiro, em especial as falas de Foley, foram improvisadas na hora pelo comediante. E o diretor lhe dava toda a liberdade para deixar ‘Um Tira da Pesada’ com a sua cara. É claro que parte da graça se deve também pela censura alta que o filme original possui – Eddie Murphy sempre foi conhecido como um humorista desbocado. E o público adorava.

Você pode até não saber ou lembrar, mas ‘Um Tira da Pesada’ é um filme proibido para menores. E se tornou o filme para maiores de idade mais lucrativo de todos os tempos nos EUA por 19 anos, desde o seu lançamento até ser ultrapassado nessa marca por ‘Matrix Reloaded’ em 2003. Muito confiantes no projeto após as primeiras sessões teste, e as exibições para os executivos do estúdio, ‘Um Tira da Pesada’ foi o primeiro filme a ser lançado em mais de duas mil salas de cinema nos Estados Unidos.

Um Tira da Pesada’ se tornou um enorme sucesso e mostraria o potencial de Eddie Murphy nas telonas. Com orçamento de US$13 milhões da Paramount, o longa estreou em primeiro lugar nas bilheterias americanas em 5 de dezembro de 1984, desbancando o antigo campeão, o filme de guerra e ação ‘Braddock’, com Chuck Norris. ‘Um Tira da Pesada’ não deu chance para as outras estreias daquela semana: a ficção científica ‘2010 – O Ano em que Faremos Contato’ e a comédia policial ‘Cidade Ardente’, que unia em tela Clint Eastwood e Burt Reynolds, dois durões lendários do cinema. ‘Um Tira da Pesada’ fez mais de US$15 milhões em seu primeiro fim de semana, se pagando logo na estreia.

No fim de sua trajetória nas telonas, ‘Um Tira da Pesada’ acumulou US$316 milhões ao redor do mundo. Ele se tornou o segundo mais rentável de 40 anos atrás, abaixo somente de ‘Indiana Jones e o Templo da Perdição’. No Brasil, o filme estreava no dia 8 de março de 1985.

Definido pelo diretor Martin Brest como uma mistura de ‘No Calor da Noite’ (1967) e ‘A Família Buscapé’ (1962), o cineasta deixa clara a influência das palmeiras que fotografou para seu filme de ação, que fazem parte da abertura da série sobre a família de caipiras.

Nem é preciso dizer que esse sucesso se estendeu ao mercado de vídeo, onde ainda mantém o recorde como o mais alugado no formato Betamax. Para quem não viveu nos anos 80, as fitas Betamax eram rivais das VHS, e possuíam um formato menor de tamanho. As fitas VHS terminaram se tornando mais populares e dominando o mercado, levando a Betamax à extinção. Em meados dos anos 80, época do lançamento de ‘Um Tira da Pesada’ em vídeo, a Betamax ainda era uma forte concorrente da VHS. Mas essa competição terminaria ao fim dos anos 80.

Um Tira da Pesada’ gerou uma continuação três anos depois, com maior envolvimento de Eddie Murphy na produção e roteiro, mas sem o mesmo impacto do original. E ainda uma terceira parte dez anos depois, ainda mais rechaçada pela crítica e pelo público – e com um apelo bem mais infantil. ‘Um Tira da Pesada’ quase virou uma série de TV, mas antes da estreia os envolvidos perceberam que não daria certo e puxaram o plugue. Agora, finalmente teremos um novo ‘Um Tira da Pesada’, pelas mãos da Netflix, que trará Murphy de volta e grande parte do elenco original. Em matéria de respeito, promete ser uma grande homenagem. Torçamos sempre pelo melhor para o eterno Axel Foley e suas inesquecíveis falcatruas ao som das batidas de sintetizadores criadas por Harold Faltermeyer. ‘The heat is on’ e está de volta!

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS