10 Atrizes Irreconhecíveis em Seus Papeis

10 Atrizes Irreconhecíveis em Seus Papeis



Sabemos que uma boa maquiagem pesada e o uso de próteses podem transformar por completo uma atriz, tornando-a irreconhecível até para a mãe. Isso sem falar nas mudanças de peso – um exemplo claro disso foi a metamorfose que a bela Charlize Theron sofreu para seu papel Oscarizado em Monster – Desejo Assassino (2003).

Muitas vezes, no entanto, não é preciso uma mudança tão radical, ou uma maquiagem tão elaborada para demorarmos a reconhecer (os mais detalhistas) ou sequer chegarmos à conclusão de que se trata daquela atriz que conhecemos de outros filmes famosos (os mais distraídos). A mudança de penteado, cor de cabelo ou até mesmo leves toques como peruca e pintura no rosto pode fazer um trabalho perfeito – além é claro da performance das atrizes que, talentosas, podem mudar seu tom de voz, padrão de fala, postura corporal e comportamento, atuando de forma inesperada e agregando muito ao papel.

Assim, o CinePOP selecionou para você uma lista com dez trabalhos de atrizes conhecidas (algumas muito) que podem enganar o grande público desavisado. Como sempre, comente abaixo e diga qual você achou a mais diferente de sua persona usual. Vem conhecer.

Charlize Theron (Mad Max: Estrada da Fúria, 2015)

Falando nela, começaremos a lista com a musa sul-africana. Acostumada a aparecer irretocável com sua beleza estonteante e madeixas loiras, Theron surpreendeu com seu visual no quarto filme da franquia pós-apocalíptica Mad Max. Ao contrário da citada transformação no longa que lhe rendeu o Oscar, em Estrada da Fúria a estrela aparece de cabelos escuros, cabeça raspada e toda suja. É o suficiente para vermos apenas Furiosa em cena. Ah sim, um braço faltando é o toque final.

Cameron Diaz (Quero Ser John Malkovich, 1999)

Aproveite para assistir:


Nesta comédia louca de Spike Jonze – um dos filmes mais legais do fim da década de 1990 – o personagem de John Cusack (também transformado) procura afeto fora do casamento, se apaixonando por uma colega de trabalho. Bem, seria difícil isso acontecer se Cameron Diaz, sua esposa no filme, estivesse em sua forma usual. Para dar maior coerência, Diaz muda o penteado, a cor dos cabelos, além de lentes escuras modificando seus hipnóticos olhos azuis e vestimentas pra lá de bregas.

Cate Blanchett (Não Estou Lá, 2007)

Blanchett já provou que é uma grande atriz, uma das maiores intérpretes da atualidade, conseguindo simplesmente fazer de tudo. Quem não a conhece é só dar uma olhada em seu currículo, com sete indicações ao Oscar, incluindo duas vitórias. Transformação é com ela mesmo. E tudo que a diva precisou para se transformar no icônico cantor Bob Dylan foi um par de óculos escuros e um corte de cabelo no estilo do músico. O resto é com ela. E foi mesmo, já que rendeu uma destas indicações ao Oscar citadas.

Jessica Chastain (Histórias Cruzadas, 2011)

Quando fez Histórias Cruzadas, Jessica Chastain não era a estrela que é hoje. De fato, a atriz era pouco conhecida, tendo aparecido basicamente no poético A Árvore da Vida (2011), de Terrence Malick. Assim, sua transformação não foi muito notada na época. Hoje, com o público acostumado com a ruiva, é engraçado voltar e assisti-la loira, de cabelos armados e numa performance como a típica platinada burra estonteante, num papel que cairia como uma luva para alguém como Marilyn Monroe. A atuação rendeu para a atriz sua primeira indicação ao Oscar.

Angelina Jolie (O Preço da Coragem, 2007)

Por falar em lentes de contato para mudar a cor dos olhos, a estrela Angelina Jolie foi outra que aderiu a elas a fim de esconder seus belos olhos verdes, na hora de interpretar a jornalista Mariane Pearl no drama real O Preço da Coragem (A Mighty Heart). No filme, a personagem faz de tudo para localizar seu marido, também um jornalista, desaparecido enquanto cobria uma matéria no Paquistão. Curiosamente, o visual ficou estranho e artificial, dilatando muito suas pupilas. A atriz também aderiu a cabelos cacheados para compor seu retrato. O filme foi criticado e acusado de whitewashing, já que a verdadeira Pearl, embora francesa, tem descendência afro-cubana.

Margot Robbie (Os Últimos na Terra, 2015)

A musa do momento em Hollywood, Margot Robbie virou crush de todo menino graças a seus papeis de mulheres sedutoras, cujo ápice foi a amalucada Arlequina, personagem que a atriz transformou em ícone pop. O que todos os seus papeis tem em comum são as madeixas belas e loiras. Porém, em Os Últimos na Terra, elogiada ficção dramática exibida em festivais e lançada em vídeo no Brasil ocorre sua maior mudança nas telas. Ao ponto dos mais descuidados deixarem de perceber se tratar da moça. Ao contrário das colegas acima, Robbie não usou lentes, e continua exibindo olhos claros, mas os cabelos escuros e a falta de glamour e maquiagem, além de sua atuação contida, transformam a beldade em outra pessoa.

Emma Stone (A Guerra dos Sexos, 2017)

Todos estão acostumados a ver a Oscarizada Emma Stone em sua forma ruivinha de ser. Isto é, quando a jovem não está loira – como nos filmes do Espetacular Homem-Aranha (2012 e 2014) e Birdman (2014). Mas para viver a tenista da vida real Billie Jean King, que conseguiu vencer um homem na chamada Guerra dos Sexos, a composição de Stone precisou deixar seus cabelos negros, com um penteado próprio da década de 1970, e o uso de óculos. Os detalhes, somados a atuação contida e fazendo uso da insegurança da personagem que Stone cria (o que inclui sua escondida opção sexual) deixam a atriz bem distante da figura vista em La La Land, por exemplo.

Amy Adams (Ela, 2013)

Amy Adams é praticamente uma camaleoa. A atriz multi indicada ao Oscar só não tem sua estatueta para decorar a casa ainda. A Leonardo DiCaprio de saia já se moldou em várias personalidades, das mais ousadas às mais retraídas. Uma delas, seguindo os passos de Cameron Diaz em Quero ser John Malkovich, foi em Ela, obra-prima da sofrência de Spike Jonze (não por menos, o mesmo diretor). Adams não usa lentes para escurecer suas “bilhas” azuis, mas desgrenha os cabelos, tira o ruivo e capricha no visual básico para compor a melhor amiga e vizinha de Joaquin Phoenix.

Elizabeth Banks (Jogos Vorazes, 2012)

Tudo bem, aqui talvez tenhamos trapaceado um pouco. A personagem Effie de Jogos Vorazes é basicamente um clone da Bozolina. Ou seja, uma palhacita. Mas aqui não existe próteses ou qualquer uso de efeitos. A composição da personagem é feita na base de perucas, batons e pintura branca no rosto. Além, é claro, de seus figurinos pra lá de exóticos. É verdade que uma fantasia de palhaço por ser considerada uma maquiagem pesada, então para nos redimirmos iremos adicionar a participação de Banks como Betty Brant, secretária do J.J. Jameson na trilogia Homem-Aranha (2002, 2004 e 2007), de Sam Raimi, onde muitos não reconhecem a atriz, mesmo ela fazendo uso somente de uma peruca preta no corte Chanel.

Naomie Harris (Piratas do Caribe 2 e 3)

Para viver a feiticeira Tia Dalma no segundo e terceiro filmes da franquia bilionária Piratas do Caribe, a bela Naomie Harris sofreu uma transformação impressionante. Até hoje, muitos não sabem que era a atriz no papel. No entanto, tudo o que foi usado como adereço foram dreads nos cabelos, dentes sujos pintados de preto, alguma pintura no rosto e o figurino exótico de uma bruxa vodu. O motivo verdadeiro da mudança talvez seja o desempenho de tom creepy/assustador empregado pela atriz, somado ao sotaque jamaicano carregado e uma linguagem corporal única. Prova de uma grande intérprete.



COMENTÁRIOS