Nosso amor pelo cinema é algo que todos ao nosso redor de alguma forma percebem, sentem. Ao longo de nossa vida presenciamos em salas de cinema, ou até mesmo no sofá de casa, filme tão marcantes que guardamos para sempre em nossas memórias, em nossos corações. Nós aprendemos, refletirmos, choramos, rimos, sentimentos misturados que entram em uma espécie de liquidificador emocional constante.

Se pararmos para pensar nas nossas próximas gerações, o que de fato podemos contribuir com nossas memórias dos filmes que vimos? A partir desse pensamento, reunimos abaixo 10 Filmes que valem a pena mostrarmos aos nossos filhos:

 

 



Cinema Paradiso

Aproveite para assistir:

Um dos filmes mais emocionantes da história do cinema, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, teve sua primeira exibição no ano de 1988 e desde aquele tempo mora pra sempre nos corações de todos que o assistem. Com cenas marcantes, uma trilha sonora fabulosa (assinada pelo gênio Ennio Morricone), Cinema Paradiso é a paixão do cinema que mora em todos nós.

 



Other People

Não precisamos ser perfeitos o tempo todo para que nossas famílias nos amem. Debutante em longas metragens, o cineasta Chris Kelly, dirige e assina o roteiro deste belíssimo filme que explora com muita simpatia assuntos tabus de uma família de classe média norte americana. Other People é um grande aulão sobre os muitos lados das emoções, um filme rico em conteúdo, corajoso que faz questão de expor as polêmicas como forma de refletirmos sobre os temas abordados. O projeto conta com uma atuação espetacular da veterana atriz Molly Shannon que nos emociona do início ao fim com sua impactante personagem.

 

A Invenção de Hugo Cabret

Onde moram nossos sonhos? Nem motoristas de táxis que surtam, nem policiais e bandidos infiltrados, nem lendários diretores aviadores… o homem das sobrancelhas mais famosas do cinema, anos atrás, voltou à direção de um filme feito para divertir e emocionar toda a família. A maravilhosa condução de Martin Scorsese só nos mostra, novamente, o quão genial é esse Nova-Iorquino, idolatrado pelos cinéfilos. Baseado no livro de Brian Selznick, A Invenção de Hugo Cabret é uma obra-prima que mostra muito o valor de todo tipo de filme que é feito.



 

Central do Brasil

Tudo o que perdemos pelo caminho se tornam fortaleza para quem encontra no outro a redescoberta da vida. No ano em que o Brasil perdeu a Copa do Mundo de Futebol masculino na França, nosso país ganhou na sua galeria de inesquecíveis obras do seu cinema um filme que continua até hoje no imaginário e emoções profundas de todo mundo que ama cinema. Dirigido por Walter Salles, Central do Brasil é como uma flecha que alcança nosso peito e nos faz refletir sobre a vida, sobre as razões existências de pais e filhos, sobre o valor da amizade, dos nossos valores como seres humanos. Uma trilha sonora linda vai se tornando um plano de fundo sensível e muitas vezes angustiante que nos mostra toda a força que um filme pode ter.

 


Sonata de Outono

Você se importa com alguém além de você? Conversas profundas que viram análises sobre a fé, vivência, experiência de um passado conturbado, Sonata de Outono, escrito e dirigido pelo cineasta sueco Ingmar Bergman é um algoritmo de emoções tão rico e brilhante em detalhes. Não deixa de ser objetivo, preparando o terreno para angustiantes cenas de desabafos e mágoas de um passado que não volta mais. Para mostrar um retrato de uma mãe em conflito com suas escolhas e uma filha que precisa desabafar sobre suas dores, duas artistas entregam emoção e alma em cena, atuações magistrais de Ingrid Bergman e Liv Ullmann.

 

Valentin

A vida, desde sempre, é uma eterna arte do sonhar. Escrito e dirigido pelo cineasta Alejandro Agresti, Valentin, película argentina lançada no ano de 2002 é um drama profundo com pitadas cômicas por todos os lados. Busca na leveza e simpatia conversar com o espectador sobre um tema muito duro que é a falta de responsabilidade de pais e o olhar de uma criança para esse mundo tão cruel.  A chegada do K7, a morte de Guevara, estamos no final da década de 60 e o fantástico mundo da lua do protagonista é ativado para lutar contra as tristezas que afetam seu lindo e carinhoso coração.

 

Verão Feliz

Quando a tristeza pela decepção encontra as metáforas da vida. Indicado à Palma de Ouro em Cannes em um ano que tinha como concorrentes Almodóvar, Lynch, irmãos Dardenne, Greenaway, Manoel de OLiveira, Jarmusch, Sokurov, Egoyan, Bellocchio entre outros, Verão Feliz mostra a saga de um homem sem trabalho e um garoto criado pela avó que, quase sem direção, e contando com a ajuda além de caronas de desconhecidos, embarcam em uma aventura à procura da mãe do garoto que levarão na memória por toda uma vida. Contendo a força da delicadeza em todas as esferas, Takeshi Kitano, que escreve e dirige esse lindo trabalho, consegue encher de emoções e alguns risos as duas horas de projeção. Poucos são os diretores que com bastante sutileza nos mostram emoções com suas lentes.

 

Peixe Grande e suas Maravilhosas Histórias

Talvez o melhor trabalho de Tim Burton nas telonas. Big Fish conta a extraordinária história de Edward Bloom aos olhos de seu filho William.  Um filme maravilhoso que emociona a todos os cinéfilos. Ótimas atuações e uma direção impecável do genial Tim Burton tornam esse, um filme de cabeceira necessário para todos os amantes da sétima arte.

 

Sentidos do Amor

Impressiona as atuações e a harmonia em cena de Ewan McGregor e Eva Green. Na pele de um cozinheiro que se apaixona por uma médica, Ewan consegue passar ao espectador todo o sofrimento eminente daquela relação que cai em desgraça por conta de uma pandemia que toma conta da humanidade. Um filme muito interessante com um desfecho que levarão muitas pessoas às lágrimas.

 

Capitão Fantástico

Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe. Escrito e dirigido pelo pouco conhecido ator e também cineasta Matt Ross, Capitão Fantástico é um daqueles filmes que deixam nosso coração na boca, faz nosso raciocínio brilhar e mexe intensamente com nosso modo de ver e viver tudo que aprendemos até hoje em nossas vidas. Exibido no Festival do Rio anos atrás e com uma atuação brilhante do grande ator nova iorquino Viggo Mortensen, o longa-metragem de objetivos 118 minutos é, sem dúvidas, um filme maravilhoso.

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: