14 Artistas Que Poderiam Ganhar Cinebiografia Pra Deixar a Gente Feliz!

14 Artistas Que Poderiam Ganhar Cinebiografia Pra Deixar a Gente Feliz!




O recente sucesso das megaproduções que levaram ‘Bohemian Rhapsody’ e ‘Rocketman’ acendeu um alerta em Hollywood: o público está sedento por filmes que contem a história da vida dos seus ídolos do pop e do rock. E sim, nós queremos ver isso! Queremos ver paetês e maquiagem borrada, queremos ver ascensão, declínio e sucesso, queremos ver como nossos ídolos superarem as inúmeras dificuldades para chegar onde chegaram. Sim, porque o público está querendo bons exemplos para se inspirar, e nada melhor do que histórias vencedoras. Por isso, fizemos uma breve listinha aqui de 14 ícones da música internacional que poderiam sim por favorzinho ganhar uma adaptação cinematográfica urgente pra ontem.

13 – Elvis Presley (1935 – 1977)

Um dos nomes mais conhecidos no mundo inteiro, dono de um balançar de quadris que fez milhares de mulheres delirar nos anos 50-60. A trajetória do rapaz de olhos azuis do Mississippi é rápida, porém de extrema importância não só para o mundo da música, mas também para Hollywood. Sem contar que sua filha, Lisa Marie, mais tarde se casaria com Michael Jackson, que fecha nossa lista.

Aproveite para assistir:


12 – Janis Joplin (1943-1970)

Considerada a rainha do rock’n roll, a maior cantora de soul e blues da sua geração, a maior cantora dos anos 1960, Janis Lyn Joplin é a marca do movimento hippie dos anos 1960-70, autora de clássicos como “Summertime” e “Cry Baby”. Apesar de haver alguns documentários sobre a cantora, nenhum longa-metragem entrou em produção. Desde 1999 há rumores sobre um projeto, que já contou com Michelle Williams, Zoey Deschanel, Amy Adams e Scarlet Johansson disputando o papel principal.

11 – Aretha Franklin (1942-2018)

Uma das maiores cantoras e compositoras de R&B, gospel e soul do mundo, considerada a maior cantora de todos os tempos pela revista Rolling Stones. Nascida no Memphis, Tenessee, foi incentivada na música pelo pai e se tornou um dos nomes principais da gravadora Motown. No papel principal, vejo tranquilamente a atriz Jennifer Hudson, que se destacou em ‘Dreamgirls’.

10 – Ozzy Osbourne (1948 – imortal)

John Michael Osbourne poderia ser qualquer pessoa, mas, ao se tornar Ozzy Osbourne e subir no palco à frente do Black Sabbath, ele se tornou uma das vozes mais inconfundíveis do rock e uma das figuras mais inesquecíveis do mundo do metal. É bem verdade que a família Osbourne ganhou série na finada MTV (o que comprova que a história do cara é irada e tem público), mas o homem que é mundialmente conhecido por comer morcegos merece um longa que conte sua trajetória. No papel principal, penso em Russel Brand, apesar de não gostar do sujeito.

9 – Nina Simone (1933-2003)

Obs. Para todos os efeitos estamos deletando a polêmica produção protagonizada por Zoe Saldana em 2014.

Renomada mundialmente nos anos 1950, Eunice Kathleen Waymon – conhecida como Nina Simone – foi redescoberta recentemente pelos jovens, cuja música mais famosa figurou no último comercial da Heineken. Pianista, cantora, feminista e ativista pelos direitos civis dos negros norte-americanos, além de possuir uma das vozes mais fortes do R&B e blues, sua história de vida é de luta, resistência e superação. No papel principal, voltaria a recomendar Jennifer Hudson.

8 – Paul McCartney (1942-hey jude)

Ok, sabemos que vai rolar um filme chamado ‘Yesterday’ pela Universal que conta a história de um indiano que se apropria das musicas dos Beatles em um mundo em que todo mundo esqueceu quem são os meninos de Liverpool, mas isso não é exatamente uma biografia, né? Até porque, Paulzito, além de grande compositor e cantor, é quase brasileiro, pois já fez show em quase todas as capitais do país. Bem que a gente podia começar um abaixo-assinado com essa ideia hein?!

7 – Prince (1958-2016)

Toda a vida de Prince é uma enorme polêmica, tanto que fica até difícil especificar de quem estamos falando, porque até o nome ele trocou – sim, houve uma época em que o nome dele era um símbolo, e ninguém conseguia pronunciar. Lançou 39 discos em vida e chegou a marcar uma participação no festival Black2Black, no Rio de Janeiro, em 2011, mas cancelou sem motivos e nós ficamos sem vê-lo ao vivo.

6 – Mick Jagger (1943 – imortal)

A vida de Mick Jagger provavelmente daria uma série, e não um filme, tamanha a quantidade de episódios inusitados que vivenciou. O vocalista dos Rolling Stones, dono da icônica boca que virou símbolo da própria banda e ganhou inclusive uma música em sua homenagem pelo Maroon 5, ‘Moves Like Jagger’, Mick, que não sabe o que é engordar, já fez show gratuito na Praia de Copacabana para 2 milhões de pessoas, teve um filho com a Luciana Gimenez e hoje em dia é símbolo de pé frio em partidas de futebol.

5 – Beyoncé (1981 – diva)

Musa, diva, deusa. Ela é dona de todos os adjetivos possíveis, recordista de vendas, ícone pop e, acima de tudo, uma inspiração para mulheres e homens. A jovem de Houston, Texas, que começou a carreira no Destiny’s Child, antes dos trinta anos se tornou uma das cantoras mais bem-sucedidas de todos os tempos, além de possuir um patrimônio de muitas cifras. A biografia de Beyoncé seria daqueles filmes que inspiraria milhões de pessoas, mas teria que ser filme mesmo, não documentário, que é pra gente se sentir motivado mesmo quando nada mais der certo. E ela ainda poderia interpretar a si mesma, não só por ser insubstituível, mas por também ter uma longa carreira como atriz de Hollywood. E não, a vida dela não é aquela contada em ‘Dreamgirls‘.

4 – Britney Spears (1981 – hit me baby one more time)

Britney é daquelas unanimidades em qualquer conversa. A carreira meteórica que depois rolou ladeira abaixo e  ficou tentando se reerguer provou que a jovem cantora nascida no Mississippi é dura na queda e, apesar dos surtos, continua com um espaço cativo no coração dos fãs. É bem provável que a biografia da ídola teen encontrasse problemas com a Dona Disney,  já que ela começou a carreira no Clube do Mickey, mas quem se importa né? Até porque a Britney é autora de hits que todo mundo sabe cantar, casou com o dançarino, ficou grávida dele, surtou, raspou a cabeça e hoje faz shows em Las Vegas. Sim, amigas, todas nós queremos ser amiga de Britney Spears.

3 – David Bowie (1947 – 2016)

Quando David Bowie morreu, no início de 2016, o mundo inteiro ficou triste. David era aquele cara que todo mundo gostava, suas músicas eram carregadas de significados múltiplos e sempre tocavam em todas as festas. Sem contar as participações no cinema, como o inesquecível Rei dos Duendes de ‘Labirinto: A Magia do Tempo’, que teve produção executiva de ninguém menos que George Lucas.

2 – Amy Winehouse (1983 – 2011)

A meteórica carreira de Amy Winehouse foi pesada demais para os ombros da jovem inglesa, que também faleceu aos 27 anos, vítima de overdose misturada com excesso de álcool. Dona de uma voz inconfundível e de um penteado e maquiagem marcante, Amy tem uma história de vida tristíssima, e sua morte prematura deixou triste fãs do mundo inteiro. Uma cinebiografia da maior cantora de blues deste milênio seria uma bela homenagem, além de se tornar uma forma de não deixar sua voz morrer para as próximas gerações.

1 – Madonna (1958 – dona da p%$*& toda)

Essa é a cinebiografia mais desejada desde o sucesso de ‘Bohemian Rhapsody’ e ‘Rocketman’. Aliás, o diretor deste, Dexter Fletcher, já sinalizou interesse neste projeto, então, vamos torcer, fazer campanha, participar de abaixo-assinado, etc. Porque a vida da maior diva da música pop de todos os tempos, que namorou DJ brasileiro e falou para todas as mulheres que a gente podia ser o que a gente quisesse, bom, a vida dela tem que ser registrada para a eternidade, porque o mundo da música não seria o que é hoje se não tivesse existido Madonna.

Bônus – Michael Jackson (1958 – 2009)

Parece mentira, mas já vai completar dez anos em que o mundo foi pego de surpresa com a notícia do falecimento de Michael Jackson. O menino de Indiana, que sofreu abuso do pai, cantou com os irmãos desde muito pequeno no The Jackson Five e cresceu no mundo do sucesso, acabou se metendo em inúmeras polêmicas, muitas delas comprovadas. A vida reclusa de Michael em seu rancho Neverland, também frequentado por Macaulay Culkin,  só comprovava a tristeza enorme que ele sentiu durante toda a sua vida. Apesar de tudo, Michael mudou a história da música e da dança, e abriu caminho para todos os grupos de boybands e girlbands.



COMENTÁRIOS