15 Curiosidades (SEM SPOILERS) sobre ‘Capitã Marvel’

15 Curiosidades (SEM SPOILERS) sobre ‘Capitã Marvel’


Estamos no mês de março e o mundo do cinema não fala de outra coisa que não seja Capitã Marvel. Se você ainda não sabe a esta altura, o novo filme da Marvel é extremamente representativo por colocar pela primeira vez uma mulher protagonizando uma obra de seu universo. Assim como fez ano passado com Pantera Negra, Capitã Marvel tem tudo para se tornar um marco em 2019.

Pensando nisso e como forma de homenagear esta superprodução (já que toda homenagem é pouca), o CinePOP resolveu criar uma nova lista, com as 15 curiosidades mais interessantes sobre o filme. E se você ainda não assistiu, não se preocupe, pois aqui não teremos nenhum spoiler além da sinopse. Vem saber.

  • A História

Uma das coisas mais legais de Capitã Marvel é poder incluir pela primeira vez no MCU os Skrulls – uma raça alienígena responsável por grandes arcos de sagas nos quadrinhos. E o visual das criaturas ficou ótimo – encabeçados por Talos (Ben Mendelsohn). Boa parte da trama do primeiro filme solo da Capitã Marvel é baseada no arco das histórias da Guerra Skrull – Kree.

  • A Cronologia

A história se passa na década de 1990, em 1995 mais precisamente. Desta forma, este é o segundo filme do MCU, ocorrido após Capitão América – O Primeiro Vingador (2011). Aqui, ainda não existem os Vingadores, e Nick Fury (Samuel L. Jackson) está mais jovem, com os dois olhos. Para tanto, o efeito de rejuvenescimento, o qual a Marvel vem aperfeiçoando em seus filmes, pôde ser aplicado no ator. Outro chamariz é a trilha sonora, recheada de sucessos da época como Garbage (‘Only Happy When it Rains’) e Hole (‘Celebrity Skin’), por exemplo.




  • Ronda Rousey investiu pesado

A lutadora de MMA Ronda Rousey era a campeã invicta, com 12 vitórias, na época do anúncio da Marvel para a produção do filme. Logo depois, em 2015 e 2016, a lutadora teve suas primeiras derrotas no esporte. Seja como for, em 2014, quando ainda estava no auge, ela participou de Os Mercenários 3, e começou uma campanha intensa pelas redes sociais a fim de viver a personagem no cinema. Rousey pode ser uma bela lutadora, mas não é, por assim dizer, uma atriz. A lutadora viria a participar de filmes como Velozes e Furiosos 7 (2015) e 22 Milhas (2018).

  • Não foi dessa vez, Blunt!

Por falar em protagonista, antes de Brie Larson (vencedora do Oscar por O Quarto de Jack) ser a eleita da Marvel, diversas outras atrizes foram cogitadas pelo estúdio – como de costume. Uma que chama bastante atenção é Emily Blunt, que parece ter constante azar no que diz respeito aos filmes do MCU. Não que a carreira da moça vá mal e esteja precisando também. Mas é que em 2010, ela seria a Viúva Negra em Homem de Ferro 2, ficando de fora devido aos compromissos no fiasco As Viagens de Gulliver. Não sabemos se Blunt foi apenas cogitada ou qual o nível de seu envolvimento com Capitã Marvel. Outras atrizes cujos rumores apontavam para o papel foram: Natalie Dormer (Game of Thrones), Katheryn Winnick (Vikings), Rebecca Ferguson (Missão Impossível – Efeito Fallout), Yvonne Strahovski (The Handmaid´s Tale) e Katee Sackhoff (Battlestar Galactica).

Brie Larson treinou por 9 meses após ser escolhida para viver Carol Danvers, alter ego da Capitã Marvel. A atriz aprendeu judô, boxe e luta livre, além de visitar bases aéreas das forças armadas e conversar com experientes e graduados profissionais. Fora isso, existia preocupação em torno da idade da atriz – pois aos 29 anos, poderia ser considerada muito jovem para ser uma piloto experiente. No entanto, profissionais da área garantiram ser possível um piloto experiente na faixa dos 28 a 34 anos.

  • Rejuvenescimento

Voltando ao segundo item da lista, como este é um filme passado na década de 1990, os personagens de Samuel L. Jackson e Clark Gregg (o Agente Coulson – em sua primeira aparição no cinema desde Os Vingadores, de 2012) tiveram que ser rejuvenescidos digitalmente – como a Marvel tem se especializado em fazer. Este, no entanto, é o primeiro filme no qual o processo é aplicado nos personagens durante toda a projeção e não apenas em trechos envolvendo flashbacks – como em Homem-Formiga (Michael Douglas), Guerra Civil (Robert Downey Jr.), Guardiões da Galáxia Vol. 2 (Kurt Russell) e Homem-Formiga e a Vespa (Michelle Pfeiffer).

  • O Adeus a Stan Lee

Embora este seja o vigésimo primeiro filme do MCU, Capitã Marvel guarda um triste marco. É o primeiro a ser lançado após a morte do icônico Stan Lee, um dos responsáveis (o principal) pelo universo Marvel como temos hoje. O saudoso mestre havia conseguido gravar toda a sua participação no filme. Então, aguardem muitas homenagens.

  • Mancada na CNN

Quando Brie Larson foi anunciada como a heroína durante a Comic Con, o veículo experiente e respeitado CNN usou como manchete de sua matéria a frase: “Shazam! Brie Larson é a Capitã Marvel”, sem perceber que estavam pensando na Capitã ou Capitão (já que nos EUA a palavra Captain pode ser usada para ambos sem definição de sexo) errado. Acho que o jornal precisava de uma nova equipe ligada a cinema.

  • Mulheres em Todo Lugar

Além de ser o primeiro filme da Marvel protagonizado por uma Mulher (Homem-Formiga e a Vespa trouxe o protagonismo igual de um homem e uma mulher), Capitã Marvel também conta com a primeira diretora mulher de um filme da empresa (Anna Boden, dividindo os créditos com o marido Ryan Fleck – segunda dupla que dirige um filme do MCU depois dos irmãos Russo). Fora isso, é o primeiro filme do gênero com o roteiro escrito por mulheres em sua maioria. Mulher Gato (2004) também contou com uma roteirista feminina, porém, tinha outros três roteiristas homens. Aqui, embora conte com o diretor Ryan Fleck também no roteiro, o texto teve as mãos de Anna Boden, Nicole Pearlman, Geneva Robertson-Dworet e Meg LeFauve (que escreveu a história). Capitã Marvel tem como data de lançamento o Dia Internacional na Mulher.

  • Sucesso na Prévia

Em apenas 24 horas de seu lançamento online, o trailer de Capitã Marvel teve 109 milhões de visualizações mundiais, se tornando assim o 11º trailer mais assistido de todos os tempos.

  • I Know Kung Fu

Antes de Jude Law entrar para o elenco (e pegar dicas com seu colega de Sherlock Holmes, Robert Downey Jr.), o astro Keanu Reeves recebeu o convite para viver o guerreiro Kree, Yon-Rogg - que muitos acreditavam ser Mar-Vell antes. Infelizmente, o astro de John Wick recusou a oferta. Mas teria sido muito legal ver Reeves treinando Brie Larson no filme – cenas que remeteriam imediatamente a Matrix (1999), quando o ator foi treinado por Laurence Fishburne.

  • A união faz a Força

Capitã Marvel marca o quarto trabalho no cinema entre a dupla Brie Larson e Samuel L. Jackson, ou seja, a química está mais do que consolidada. Seu primeiro filme juntos foi a comédia de animação A Farsa dos Pinguins (2006), no qual apenas dublaram seus personagens. Depois vieram o blockbuster Kong – Ilha da Caveira (2017), da Warner, e o independente e ainda inédito Unicorn Store (2017), primeiro filme dirigido por Brie Larson. Este último é prometido para estrear na Netflix dos EUA em Abril.

  • Dança das Cadeiras na direção

Antes da confirmação da dupla de marido e mulher Ryan Fleck e Anna Boden (diretores dos ótimos independentes Half Nelson – Encurralados, Sugar e Parceiros de Jogo), outras cineastas foram cogitadas. Entre elas: Jennifer Kent (O Babadook), Rachel Talalay (Tank Girl), Lorene Scafaria (A Intrometida), Rebecca Thomas (A Fita Azul), Niki Caro (Terra Fria), Elizabeth Wood (Branquinha) e Jennifer Yuh Nelson (Mentes Sombrias).

A veteraníssima Annette Bening atua pela primeira vez num filme do gênero de super-heróis. Seu personagem é misterioso, descrito apenas como Inteligência Suprema. Especula-se que seja um sistema de inteligência artificial do planeta Kree, que ganhe as formas de alguém querido para quem se conecta com ela. Para a protagonista, assume as formas de Bening, provavelmente alguém do passado da Capitã. Mas este não foi o primeiro encontro da atriz indicada 4 vezes ao Oscar com um filme do gênero. Em 1992, ela quase foi a Mulher Gato de Batman, o Retorno, filme de Tim Burton. Bening foi a primeira escolha para a personagem, mas teve que se ausentar devido a uma gravidez. Assim, foi substituída por Michelle Pfeiffer. Curiosamente, Pfeiffer também faz parte do MCU agora, ano passado personificando Janet Van Dyne, a primeira Vespa, em Homem-Formiga e a Vespa – papel que reprisará em Vingadores: Ultimato este ano.

Se você achou estranho a Marvel ter acabado a parceria com as séries da Netflix, mas percebe que existe algo mais por trás do fato, está completamente certo. Não apenas isso, como já foi oficializado que Capitã Marvel será o primeiro filme do estúdio a não ser exibido na Netflix. Até lá, a empresa terá lançado a Disney+, a própria plataforma de streaming da casa, que irá exibir todos os filmes do estúdio, assim todos da Marvel também, com direito a estreia exclusiva do filme da super-heroína. Por isso, os filmes do MCU estão com os dias mais do que contados na plataforma Netflix.


Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c