As Grandes Canções de Clássicos dos anos 80 no Cinema

As Grandes Canções de Clássicos dos anos 80 no Cinema


A década de 1980 foi o berço do cinema entretenimento como conhecemos hoje. Tudo bem, na segunda metade dos anos 1970, ganhamos os primeiros blockbusters – filmes como Tubarão (1975), Star Wars (1977), Superman – O Filme (1978) e Alien – O Oitavo Passageiro (1979). Mas eles foram cimentados mesmo na década seguinte, inclusive transformando estes filmes citados em franquias ainda mais ricas com suas continuações.

Uma coisa que foi se perdendo com o tempo, no entanto, e que nasceu praticamente com os blockbusters, foram as canções originais dos filmes – que marcaram época se tornando inesquecíveis. Na década de 1980 era comum ter atrelado a um lançamento de sucesso, uma trilha sonora musical de sucesso, cujo disco contava com canções tema dos longas. Só de ouvirmos somos imediatamente transportados para o filme em questão.

Pensando nisso e resgatando um tempo perdido, o CinePOP resolveu lembrar junto com você algumas das canções mais icônicas de produções da década de 1980 – que entraram para a história do cinema. Como sempre, deixe seu comentário dizendo se conhecia todas e quais são suas favoritas.

Take My Breath Away – Berlin

Filme: Top Gun – Ases Indomáveis (1986)

O filme que fez de Tom Cruise um astro traz uma das canções mais icônicas do cinema. Take my Breath Away, da banda californiana de New Wave, Berlin, marcou época e embalou o romance do piloto da força aérea Maverick (Cruise) e da belíssima instrutora interpretada por Kelly McGillis – um grande nome dos anos 1980. A continuação Top Gun: Maverick, com Cruise reprisando seu papel, é prometida para o ano que vem. E bem que poderia contar com a canção.


Aproveite para assistir:


Don’t You (Forget About Me) – Simple Minds

Filme: Clube dos Cinco (1985)

O diretor John Hughes entrou para a história como um especialista no cinema adolescente da década de 1980 – e isso caminha automaticamente junto com música, afinal elas fazem grande parte da vida dos jovens. Aqui temos a inesquecível canção da banda escocesa Simple Minds, que mescla melancolia com rebeldia rock – assim como o filme sobre cinco estudantes muito diferentes passando um sábado na detenção do colégio e se conhecendo de verdade pela primeira vez.

Glory of Love – Peter Cetera

Filme: Karatê Kid II (1986)

Curiosamente, a música que ficou imortalizada para a franquia Karatê Kid não foi usada no filme original, mas sim em sua sequência lançada dois anos depois. Neste filme, que fala sobre o passado do Sr. Miyagi (Pat Morita), ele e Daniel San (Ralph Macchio) viajam até o Japão. É claro que o rapaz e seu mestre se metem em brigas – e Daniel ainda tem tempo para um romance com Kumiko (a gracinha Tamlyn Tomita em seu filme de estreia).

We Don´t Need Another Hero – Tina Turner

Filme: Mad Max – Além da Cúpula do Trovão (1985)

O terceiro filme da franquia pós-apocalíptica estrelada por Mel Gibson pode ser o mais criticado e o que ninguém tem como favorito. Mas ele tem algo que falta em todos os outros, e pelo qual a franquia ainda é lembrada até hoje: a canção de Tina Turner que nos remete imediatamente à terra devastada. Além disso, a própria cantora estrelou o filme, no papel da vilã Tia Entity. Um ícone.

The Goonies ‘r’ Good Enough – Cyndi Lauper

Filme: Os Goonies (1985)

Passando de uma cantora que marcou a década de 1980 para outra, aqui encontramos a excêntrica Cyndi Lauper – que na época, devido ao estilo ousado e colorido, era muito comparada à Madonna e considerada sua principal concorrente. Lauper foi contratada para a trilha de Os Goonies, um filme que até hoje é citado como exemplo de tramas sobre crianças se metendo em aventuras. O legal é que com o clipe da música, Lauper pôde criar seu próprio curta com a temática. E o clipe chegou inclusive a aparecer no filme, numa cena.

Weird Science – Oingo Boingo

Filme: Mulher Nota 1000 (1985)

Mais um filme de John Hughes, esta ficção científica/ filme adolescente mistura Frankenstein com comédia, e mostra dois nerds criando uma mulher com seu computador. E ela vinha nas formas da estonteante modelo Kelly LeBrock. O filme fez tanto sucesso que gerou uma série de TV (1994-1998). A música, que leva o título original do filme (ciência estranha), é da extinta Oingo Boingo, que tinha como vocalista Danny Elfman – hoje, referência no cinema como compositor de trilhas famosas, como as dos filmes de Tim Burton.

Up Where We Belong – Joe Cocker & Jennifer Warnes

Filme: A Força do Destino (1982)

Um dos filmes mais subestimados da década de 1980, e um dos romances mais subestimados de todos os tempos. Esta história sobre um rebelde (papel de Richard Gere) encontrando uma direção ao servir na marinha, foi indicado para 6 Oscar, e ganhou de melhor canção e ator coadjuvante para Louis Gossett Jr., que interpreta o instrutor. No centro de tudo está o romance entre Gere e uma mulher guerreira, papel de Debra Winger.

Against All Odds – Phil Collins

Filme: Paixões Violentas (1984)

Este é um dos casos no qual a música ficou mais famosa do que o filme. Tanto que muitos sequer sabem que Phil Collins fez a canção para este longa, que tem o mesmo título da música em inglês. A trama apresenta Jeff Bridges na pele de um sujeito contratado para encontrar uma rica herdeira que desapareceu (papel da belíssima Rachel Ward – outro nome grande da época). Quando a encontra, eles se apaixonam – o problema é que ela já era casada. A última cena do filme, ligada aos créditos, é de partir o coração.

The Power of Love – Huey Lewis and the News

Filme: De Volta para o Futuro (1985)

No clássico imortal de Robert Zemeckis, produzido por Steven Spielberg, uma das maiores marcas é a trilha sonora de Alan Silvestri – grande nome do meio – que de tão boa conseguiu inclusive eclipsar a canção de Huey Lewis que impulsionava o longa. Seja como for, The Power of Love também é emblemática e com o passar dos anos começou a ser bem mais reconhecida e associada ao longa.

The Heat is On – Glenn Frey

Filme: Um Tira da Pesada (1984)

Outra canção em que somos automaticamente arremessados para este clássico da Sessão da Tarde. Inicialmente, o filme seria protagonizado por Sylvester Stallone, e quando o astro desistiu do projeto, ele foi arrojado com mais humor para comportar Eddie Murphy, um astro em ascensão. A música, que seria algo como “a pressão está em cima”, tem tudo a ver com o filme.

Coming Around Again – Carly Simon

Filme: A Difícil Arte de Amar (1986)

Você sabia que os monstros Meryl Streep e Jack Nicholson já trabalharam juntos? Os lendários vencedores do Oscar dividiram a tela no belo e sofrido drama de relacionamento dirigido por Mike Nichols, A Difícil Arte de Amar. Injustamente, o filme não é muito comentado hoje em dia – o que é uma pena -, mas o que ficou para a eternidade foi a canção de Carly Simon, que você certamente já escutou.

Let the River Run – Carly Simon

Filme: Uma Secretária de Futuro (1988)

Sim, a cantora Carly Simon foi um dos grandes nomes da década de 1980, e seus trabalhos para o cinema definitivamente marcaram época. Este e o item acima foram dois dos mais especiais. Curiosamente, ambos foram parcerias com o diretor Mike Nichols. Aqui, temos outra obra profunda, que não ganha a devida importância. Um libelo feminista bem à frente de seu tempo, o filme mostra uma esforçada secretária (papel de Melanie Griffith) tentando fazer de tudo para subir na vida. Sigourney Weaver vive sua chefe e o astro Harrison Ford completa o elenco principal. O longa foi indicado para 6 Oscar, incluindo melhor filme, e levou o de canção original para Simon.

Eye of the Tiger – Survivor

Filme: Rocky III (1982)

A franquia Rocky é icônica por vários motivos. O tema de Bill Conti se tornou automaticamente a trilha sonora para todo mundo que está treinando ou fazendo exercícios físicos. Mas foi na década de 1980 que Rocky atingiu um novo patamar, e começou a gerar suas canções originais. Numa parceria com a banda Survivor, Eye of the Tiger marcou o duelo de Rocky com Clubber Lang (Mr. T) e virou a música máxima da saga.

Burning Heart – Survivor

Filme: Rocky IV (1985)

Poucas franquias da década conseguiram emplacar canções icônicas em dois filmes. E o motivo pelo qual Burning Heart não é tão lembrada quanto Eye of the Tiger é justamente porque a segunda é um verdadeiro colosso arrasador. Mas Burning Heart é tão boa quanto, fazendo a tarefa de escolher entre as duas quase impossível. Apesar de Tiger ter ficado com a fama, Burning Heart é igualmente empolgante e marcou o duelo de Rocky com Ivan Drago (Dolph Lundgren).

A View to a Kill – Duran Duran

Filme: 007 Na Mira dos Assassinos (1985)

Outro personagem pra lá de icônico, James Bond atingia seu ponto mais cômico nos anos 1980, nas formas de Roger Moore. Seus filmes galhofeiros trouxeram alguns dos momentos mais divertidos da franquia. Trouxeram também algumas das melhores canções tema.  Da década de 1980, a música do Duran Duran é a mais lembrada.

(I’ve Had) The Time of My Life – Bill Medley & Jennifer Warnes

Filme: Dirty Dancing – Ritmo Quente (1987)

A cantora Jennifer Warnes também permeou a década de 1980 com suas participações em filmes. Aqui, neste romance com tintas musicais, o saudoso Patrick Swayze interpreta um instrutor de dança de um resort, que se apaixona por uma inocente jovem chamada Baby (papel de Jennifer Grey). A apresentação final é de arrepiar.

What a Feeling – Irene Cara

Filme: Flashdance (1983)

A década de 1980 foi marcada por alguns musicais modernos – onde os protagonistas não mais se atinavam a sair cantando, apenas dançando, em resumos de apresentações nas quais a cantoria era servida por artistas da trilha sonora. Flashdance é muito lembrado por sua dança final, mas o filme fala sobre uma mulher batalhadora, correndo atrás de seu sonho, papel de Jennifer Beals, que bate de frente com relacionamentos abusivos.

Footloose – Kenny Loggins

Filme: Footloose – Ritmo Louco (1984)

Este é mais um filme que se encaixa na determinação acima. Um musical servido apenas por dança e a música se atém à trilha sonora. Kevin Bacon estrela como um rebelde vindo da cidade grande, que se depara com uma cidadezinha do interior onde a dança é proibida. Seu par no filme é a gracinha Lori Singer (mais um nome quente da época). O longa ganhou um remake em 2011.

Ghostbusters – Ray Park Jr.

Filme: Os Caça-Fantasmas (1984)

A música de Ray Park Jr. não é lá das mais inspiradas, mas serviu muito bem ao filme e terminou por se transformar numa das mais conhecidas da história do cinema. Também, de tanto repetir o título do filme na letra não tinha como não marcar como sendo de tal filme.

(He´s Back) The Man Behind the Mask – Alice Cooper

Filme: Sexta-feira 13, Parte 6 – Jason Vive (1986)

Isso que é moral. Alice Cooper era um dos maiores nomes do rock n roll da época quando aceitou fazer a canção para este filme de terror. Na verdade, Cooper, sem surpresa alguma para ninguém, era um grande fã dos filmes de Jason. O Curioso é que demoraria seis filmes para a franquia finalmente receber uma canção tema – que se tornou inesquecível para os aficionados por Jason e Sexta-feira 13.


Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c