As Melhores e Piores Comédias com Zumbis

As Melhores e Piores Comédias com Zumbis



Zumbilândia 2 chega aos cinemas nacionais na próxima quinta-feira, dia 24, e continua o longa de 2009, que já nasceu cult e ganhou o coração de fãs ao redor do mundo. De lá pra cá, Emma Stone ganhou um Oscar (por La La Land), mas não desfalcou o elenco e voltou para mais um round ao lado de Jesse Eisenberg, Woody Harrelson e Abigail Breslin.

Nem precisa ser dito que a prévia aguçou ainda mais a curiosidade para este hino de sequência, cuja estreia está programada pela Sony para o dia 24 de outubro no Brasil, e deu origem à nova lista do CinePOP: 12 Filmes de Zumbis Cômicos. Vem conhecer, se assustar e rir. E não esqueça de comentar.

Zumbilândia (2009)

O longa original não foi o pioneiro no subgênero ao usar muito humor com o tema dos mortos-vivos. O próprio gênero em si, criado por George Romero, já nasceu como crítica/sátira em A Noite dos Mortos Vivos (1968). A coisa apenas ficou mais escrachada. Mas Zumbilândia definitivamente se tornou o mais cool e bem sucedido de todos. O trecho com Bill Murray vale mais do que muitos filmes inteiros.

Todo Mundo Quase Morto (2004)

Não deixe o horrendo título em português (que nunca iremos superar) te enganar. Shaun of the Dead (no original) é uma pequena obra-prima. Saída da mente do prodígio Edgar Wright, especialista no humor seco britânico (e humor negro também), aqui temos uma epidemia zumbi vista através de um sujeito preguiçoso e seu melhor amigo. Wright criou uma trilogia usando temas como horror, ficção científica e suspense policial mascarados de comédia – a chamada trilogia do Cornetto.

Aproveite para assistir:


Meu Namorado é um Zumbi (2013)

Este é o filme que possui a premissa mais insana da lista: um romance no qual uma jovem sobrevivente de um apocalipse zumbi, se apaixona por um morto vivo. Criativo por natureza, a obra nasceu como forma de sátira a filmes como Crepúsculo (2008), por exemplo. O problema é que ao invés da acidez no humor, Warm Bodies (no original), decidiu ser ele mesmo uma cópia dos longas que tentava criticar, recaindo nas mesmas armadilhas estruturais e perdendo uma chance de excelência.

ParaNorman (2012)

Uma das animações mais criativas dos últimos anos, este filme é uma produção dos estúdios Laika, proeminente e resistente da técnica do stop motion. Na trama, um menininho possui o estranho dom de se comunicar com os mortos e na noite de Halloween precisará impedir um bizarro evento cataclísmico quando os mortos se levantarem do túmulo e tomarem a cidade.

Como Sobreviver a um Ataque Zumbi (2015)

Dirigido por Christopher Landon, o mesmo que viria a se consagrar com os filmes da franquia A Morte te dá Parabéns (2017 e 2019), o longa acompanha três jovens escoteiros e um curso relâmpago de sobrevivência. Protagonizado por Tye Sheridan, aqui temos elementos de clássicos dos anos 80, como Os Goonies e Deu a Louca nos Monstros, onde um grupo de crianças é o foco de uma jornada fantástica.

Cooties – A Epidemia (2014)

Aqui também temos um grupo de crianças, mas elas não são as protagonistas e sim “as criaturas”. Subvertendo o que esperamos de filmes de zumbis, este longa independente, que estreou em Sundance e chegou por aqui direto em vídeo, apresenta um tipo diferente de epidemia (que por si só já surge como sátira). Crianças de um colégio são infectadas pela péssima qualidade de sua merenda escolar e se tornam zumbis. Cabe aos professores (liderados por Elijah Wood) dar o troco nos pestinhas, enquanto tentam sobreviver.

Enterrando Minha Ex (2014)

Exibido no Festival do Rio (e depois lançado direto em vídeo), este longa marca a volta do grande diretor Joe Dante ao gênero que o consagrou em filmes como Gremlins e Meus Vizinhos São um Terror. Aqui, o saudoso Anton Yelchin interpreta um jovem em crise no seu relacionamento. Quando sua companheira morre, ele vê a oportunidade de começar de novo com a bela Alexandra Daddario. O problema é que a ex (vivida por Ashley Greene) se recusa a permanecer morta, retornando como uma zumbi inconveniente.

Vida Após Beth (2014)

Em Hollywood constantemente temos os casos dos filmes gêmeos, ou seja, filmes com temática e condução narrativa muito similares, lançados num curtíssimo espaço de tempo. Em 2014, foi a vez dos filmes sobre as (ex) namoradas zumbis. Aqui temos uma trama parecida com a do filme acima, quando uma jovem (Aubrey Plaza) volta dos mortos para transformar a vida de seu companheiro (Dane DeHaan) num inferno. Temos até a figura da nova pretendente, nas formas da indicada ao Oscar Anna Kendrick. Esse também foi lançado em vídeo no Brasil.

Fido – O Mascote (2006)

Um dos primeiros filmes de zumbi cômicos desta nova leva de produções, Fido tem uma premissa muito interessante, mas infelizmente passou tão em branco ao ponto de muitos sequer terem ouvido falar dele. Produção canadense, o filme se passa na década de 1950, no coração da vida perfeita dos subúrbios norte-americanos. Nesta realidade indefectível, existe uma mancha: zumbis. Controlados, eles foram domesticados, se tornando serventes. Assim é desenvolvida a amizade entre um menino e seu zumbi de estimação, Fido.

As Strippers Zumbi (2008)

Todo tipo de figura já se tornou zumbi em obras do gênero. Os mortos-vivos já foram crianças, o par romântico ideal, ex-namoradas e até mesmo “animais de estimação”. Aqui, eles assumem uma forma mais lasciva: dançarinas e garotas de programa em uma boate de strip. Produção B em toda a sua glória, o longa conta com as ilustres presenças de Robert Englund (o eterno Freddy Krueger) e a estrela pornô Jenna Jameson.

Zombeavers – Terror no Lago (2014)

Mais um item inusitado na lista de zumbis do cinema. Este filme pode se encaixar também no subgênero dos “animais assassinos”, ao lado de tubarões, crocodilos e cachorros. Aqui, no entanto, o que temos são castores (ou bonecos de castores, dependendo da sua suspensão de descrença). Nesta produção pra lá de trash (mas igualmente pra lá de divertida), produtos químicos caem num lago de castores e ao entrar em contato com as criaturinhas fofas, as transformam em seres zumbis enraivecidos. Um grupo de seis jovens precisa lidar com as consequências. Algumas cenas (como a transformação de humanos em castores zumbis) são inacreditáveis.

Little Monsters (2019)

Exibido em Sundance este ano, e ainda inédito no Brasil e EUA, o longa é marcado pela presença da musa Lupita Nyong´o, recém-saída do sucesso Nós. Aqui, Lupita vive uma professora, em excursão com seus jovens alunos, quando irrompe uma epidemia zumbi e a situação escala até o famoso salve-se quem puder.



COMENTÁRIOS