As Melhores e Piores notícias sobre Filmes, Séries e Celebridades em 2018

As Melhores e Piores notícias sobre Filmes, Séries e Celebridades em 2018



2018 já se foi. E deixou de memória algumas notícias bem legais, que prometem deixar frutos para o novo ano e para o que vem pela frente. Mas nem só de rosas foi feito o ano e também nos deparamos com novidades tristes e sofridas. Sabendo dessa bipolaridade, o CinePOP resolveu relembrar para vocês as melhores e piores notícias do ano que passou.

Obviamente, não deu pra colocar tudo o que de bom ou ruim aconteceu no ano. Se sentiu falta de algo, é só relembrar nos comentários. Vamos às listas!

MELHORES NOTÍCIAS

 

Lucifer e Brooklyn Nine-Nine salvas após cancelamento


Aproveite para assistir:


O que poderia muito bem figurar na lista de Piores Notícias acabou com final feliz, o que nem sempre acontece neste mundo de renovações e cancelamentos de séries. O último mês de maio foi de fortes emoções para os fãs de Lucifer e Brooklyn Nine-Nine. As duas séries foram canceladas sem finais pela FOX, para desespero dos fãs. Dias depois, a NBC tratou de salvar B99. Já a série do diabo mais sexy da TV acabou resgatada pela Netflix, com a quarta temporada prevista para 2019.

 

A volta do sucesso das comédias românticas

Quem cresceu nos anos 90 se acostumou a ver comédias românticas fazendo barulho nos cinemas. Nomes como Sandra Bullock, Julia Roberts e Meg Ryan brilharam no gênero. Nos anos 2000, o formato foi perdendo a força. Atrizes como Jennifer Aniston, Rachel McAdams ou Katherine Heigl tentaram carregar a tocha, mas parecia destinada a se apagar. Com o tempo, o gênero foi sumindo. Até que os grandes estúdios passaram a evitar o mesmo. Mas isso mudou em 2018, muito por causa da Netflix, que apostou (e obteve retorno) com Para Todos os Garotos que Já Amei, A Barraca do Beijo, O Plano Imperfeito e Sierra Burgess é uma Loser. E a empresa já mostrou que não irá parar.

 

Séries estrangeiras fazendo cada vez mais barulho

O mundo do streaming possibilitou o acesso às séries estrangeiras e isso só está crescendo com o tempo. 2018, definitivamente, foi um marco no que diz respeito ao consumo de séries internacionais pelo público brasileiro. Produções como Dark, La Casa de Papel, Elite, O Bosque, A Catedral do Mar e As Telefonistas são apenas algumas das séries estrangeiras que fizeram barulho no ano que passou.

 

Pantera Negra e a força da representatividade

Se Mulher-Maravilha marcou 2017 pela importância da representatividade feminina do cinema hollywoodiano, Pantera Negra repetiu o feito para o público afro-descendente. O filme conta com quase todo o elenco negro, com diretor negro, mas mais que isso. A raça é ponto importante da narrativa, marcando presença inclusive na motivação do vilão. Um filme sobre empoderamento e sobre lugar de fala. E que funciona com todos os públicos.

 

A popularização de Donald Glover

Muita gente já conhece Donald Glover desde 2009, quando ingressou na série Community. Ou de 2011, quando lançou seu primeiro disco de rap sob o nome de Childish Gambino. Mas foi em 2018 que o mundo pôde descobrir o brilhantismo do ator e músico. Glover entregou uma segunda temporada incrível de sua série autoral Atlanta, brilhou como Lando em Han Solo - Uma História Star Wars e fez ainda mais barulho como rapper, especialmente com o clipe de “This is America”. E não vai parar por aí. Para 2019, irá dublar Simba no novo O Rei Leão e contracenar com Rihanna em um filme misterioso.

 

#MeToo e Time’s Up

Os movimentos de defesa dos direitos das mulheres e contra ambientes tóxicos de trabalho em Hollywood ganhou força em 2018, como consequência dos graves casos de assédios que viram à tona em 2017, especialmente os envolvendo Harvey Weinstein, Kevin Spacey e Bill Cosby. Já no início de 2018, em plena temporada de premiações, muitas artistas se uniram para desenvolver movimentos que ajudassem a manter os casos em evidência e, principalmente, ajudar nos custos legais das vítimas.

 

Compra da FOX pela Disney

Na verdade, na verdade, ainda faltam alguns procedimentos para a compra da FOX pela Disney ser confirmada oficialmente, mas todos no mercado já dão o assunto como definido. Inclusive, executivos da Disney já trataram de falar inúmeras vezes sobre seus planos para as propriedades da FOX, especialmente os direitos de alguns personagens da Marvel, como Deadpool e os X-Men. Não é nada impossível imaginar os mutantes migrando definitivamente para o Universo Cinematográfico da Marvel. Pode demorar um pouco, mas vai acontecer. Tomara.

 

Retomada de The Walking Dead

Se todo mundo achou que a despedida de Andrew Lincoln do papel de Rick poderia representar o fim de The Walking Dead, não é o que parece que vai acontecer. Inclusive, a atual nona temporada da série tem sido a melhor em muito tempo. O crossover com Fear the Walking Dead e a trilogia já anunciada de filmes (com a presença de Lincoln) mostra que a série está vivíssima.

 

Michael Douglas descobre música “Michael Douglas

Ok, esta está longe de ser uma grande notícia de retrospectiva. Mas vai dizer que o mundo não fica um lugar melhor com você sabendo que isso aconteceu?! E com direito a desdobramentos. Não só Michael Douglas descobriu a música de João Brasil, como ele dançou ao som da mesma ao lado da esposa Catherine Zeta-Jones no aniversário dos dois (a própria atriz tratou de registrar o momento em seu Instagram). Como se isso não fosse o bastante, a versão dublada de Homem-Formiga e a Vespa trouxe Douglas falando a frase “nunca mais eu vou dormir”, mostrando que o brasileiro realmente não têm limites.

Streaming mostrando sua força

Os últimos anos já haviam mostrado que Netflix e, em menor escala, Amazon eram importantes players no mercado mundial do entretenimento. E a cena do streaming só cresceu em 2018. A Netflix surgiu com filmes com potencial de concorrer ao Oscar, a Amazon lançou séries premiadas e expandiu seu acervo, e ainda vimos o surgimento da forte Globoplay, com séries inéditas e exibições de produções importantes lá de fora, como Killing Eve. Isso sem falar no Crackle, que lançou Doctor Who com exclusividade no Brasil. E olha o que serviço da Disney nem nasceu ainda.

 

 

PIORES NOTÍCIAS

Morte de Stan Lee

Dava para fazer a seção de piores notícias só de mortes importantes, mas preferimos escolher uma mais representativa. E triste. Como não poderia deixar de ser, nenhuma perda nos marcou tanto em 2018 quanto a de Stan Lee no último dia 12 de novembro. A lenda das HQs faleceu deixando uma legião de fãs órfãos. Vai ser difícil não ver as pontas do mito nos filmes da Marvel, mas é certo que continuaremos a ter referências ao seu nome e figura. Os recentes Homem-Aranha no Aranhaverso e Era Uma Vez um Deadpool contam com homenagens a Lee.

 

Cancelamento das séries da Marvel na Netflix

Além da perda de Stan Lee, os fãs da Marvel viram algumas de suas séries serem apagadas do mundo em 2018. A Netflix anunciou os cancelamentos de Punho de Ferro, Luke Cage e Demolidor. Foi a terceira que pegou todo mundo de surpresa, uma vez que era um dos maiores sucessos da companhia e vinha de uma temporada muito boa. Por enquanto, Jessica Jones e O Justiceiro seguem vivas na Netflix, mas é pouco provável que tenham temporadas além das já encomendadas. As produções canceladas ainda possuem chance de ir para o canal de streaming da Disney, mas isso é algo bem incerto até o momento.

 

Incêndios na Califórnia

O ano também contou com tragédias ambientais. E uma delas afetou bastante o mundo do cinema. Além de destruir as casas de celebridades como Gerard Butler, Liam Hemsworth e Miley Cyrus, o incêndio em Malibu, na Califórnia, destruiu o lendário rancho da Paramount, estúdio onde aconteceram filmagens clássicas. O fogo consumiu o set da série Westworld. Dentre toda tristeza, um pequeno alívio. A casa de Guillermo del Toro se salvou por pouco. Nela, o diretor mantém um museu com acervos da clássicos filmes de terror, que estariam perdidos com o fogo.

 

Demissão de James Gunn

Sem entrar no mérito da decisão da Disney, a demissão de Gunn representou um grande problema para os fãs do Universo Cinematográfico da Marvel. Não só pelos ótimos trabalhos feitos em Guardiões da Galáxia Vol. 1 e 2, mas por ele ser um dos nomes mais importantes do estúdio, atuando inclusive como consultor nos outros filmes. Muitos apostavam até que a Disney contava com ele para assumir projetos mais ambiciosos após Vingadores: Ultimato. Não rolou. Após a revelação de tweets com conteúdos pra lá de desagradáveis no passado, ele acabou deixado de lado pelo estúdio.

 

Mudança de regras no Oscar

Prêmios apresentados durante o intervalo? Oscar de Melhor Filme Popular? Sim, essas foram as sugestões da Academia para novas regras na entrega do Oscar. O objetivo é sempre a busca pela audiência, que só cai ano após ano. Mas não me parece que uma ruptura tão grande com a tradição faça muito sentido. As críticas foram tanto que aparentemente colocaram um freio na categoria popular, mas é bem provável que a ideia volta a aparecer mais pra frente.

 

Kevin Spacey sendo sem noção (mais uma vez)

Assim que o primeiro caso de assédio de Kevin Spacey foi anunciado, o ator emitiu um comunicado pedindo desculpas e, ao mesmo tempo, saindo do armário. Obviamente, o texto repercutiu pessimamente na comunidade LGBTQ. Desde então, o astro de House of Cards preferiu permanecer calado, só falando através de representantes. Vários outros casos de assédio sexual e moral surgiram após isso e ele se manteve quieto. Até a véspera de Natal, quando apareceu em um vídeo no YouTube interpretando a Frank Underwood e pedindo para as pessoas não acreditarem em tudo que foi dito sobre ele. O tom foi bizarro e ainda não ficou claro como buscará sua retomada profissional. As opções de comunicação, no entanto, claramente têm sido mal escolhidas.

 

Derrocada de Roseanne Barr

Roseanne Barr marcou negativamente os rumos da TV americana em 2018. A clássica série Roseanne havia acabado de ser revivida pela ABC e estava entregando números altíssimos de audiência. O canal já havia anunciado a renovação da série e providenciado um spin-off. Até que… A protagonista da produção foi no Twitter e fez ataques racistas a uma ex-assessora de Obama. A Disney não pensou duas vezes e rompeu o contrato com a atriz e cancelou a série. A emissora manteve o spin-off e jogou boa parte do elenco para a nova produção, mas os números nunca foram os mesmos.

 

Despedidas em Grey's Anatomy

A série de Shonda Rhimes se despediu de dois de seus nomes mais importantes no ano que passou: Sarah Drew e Jessica Capshaw. Saídas na série nunca foram surpresas, uma vez que o hospital de Shonda parece fazer parte de Westeros volta e meia, mas tais despedidas foram estranhas e inesperadas. Ao contrário de casos anteriores, especialmente Patrick Dempsey e Chyler Leigh, as duas não pediram para sair. A escolha parece ter sido exclusivamente da nova showrunner Krista Vernoff. Boatos apontaram que a decisão havia sido tomada para se acomodarem ao novo salário milionário da protagonista Ellen Pompeo, mas a própria atriz fez questão de desmentir isso pedindo para as pessoas pararem de colocar mulheres umas contra as outras.

 

Segundo cancelamento de Timeless

A NBC sempre foi perdidinha sobre o que fazer com Timeless. A série foi cancelada em 2017 e, em seguida, descancelada. Em 2018, a emissora decidiu voltar a terminar com a série estrelada por Abigail Spencer. Após muito protesto por parte dos fãs, a companhia decidiu fazer um filme terminando a produção. Vai dar um desfecho ao menos, mas o que todo mundo queria mesmo eram novas temporadas.

 

Falta de paz para os fãs de Máquina Mortífera

Os bastidores da série não deram um momento de alívio para os fãs da produção, que chegou a estar ameaçada de cancelamento. Acabou seguindo em frente, mas deixando corpos pelo caminho. Tudo começou por causa do comportamento abusivo de Clayne Crawford durante as filmagens, que gerou brigas com o co-protagonista Damon Wayans. Ele chegou a pedir desculpas publicamente, mas nada adiantou. Seann William Scott foi contratado para substituir Crawford. Achou que tudo estaria solucionado? Que nada! Damon Wayans pediu para deixar a série alegando cansaço pela rotina de trabalho.


COMENTÁRIOS