A cooperativa de tecnologia Xcinex está investindo em uma nova modalidade de serviço de streaming para competir com as principais companhias do ramo, mas tem assustado as pessoas.

O problema? O dispositivo “distópico” vai usar a câmera da TV para contar o número de pessoas em uma sala e cobrar pelo streaming para cada pessoa sentada no sofá.

O repórter Sean Aitchison compartilhou no Twitter uma imagem de um comunicado à imprensa que ele recebeu sobre o dispositivo.

No e-mail, ele explica que a tecnologia desenvolvida pela plataforma de streaming terá a “capacidade de monitorar uma sala de estar para contar quantas pessoas estão no local e vender ingressos sob demanda individuais para ver em casa lançamentos cinematográficos, eventos esportivos, shows e muito mais ”.



“O novo dispositivo de streaming, Venue, é diferente de qualquer outro produto no mercado, pois possui um sensor de detecção que conta o número de membros da audiência presentes na sala, dando assim aos criadores de conteúdo a capacidade de vender ingressos com base no pagamento por espectador”

O e-mail continua, acrescentando que o dispositivo irá“ revolucionar a forma como os consumidores selecionam, compram e visualizam suas opções de entretenimento ”. 

Aproveite para assistir:

Confira:



O mais interessante é que, por se tratar de uma cooperativa, a companhia não tem vínculos com nenhum dos grandes estúdios de Hollywood, mas chamou a atenção de importantes investidores.

Mena Massoud, astro de ‘Aladdin’, é um dos consultores da plataforma, co-fundada por Don Tannenbaum, que passou 41 anos como executivo na Warner Bros e especialista operações de vendas e novas tecnologias.

Outros membros da equipe de gestão já trabalharam em empresas como CBS, Awesomeness e Paramount

No entanto, diversos consumidores vêm rejeitando cada vez mais a ideia de serem monitorados por smart TVs, câmeras de notebook e caixas de som conectados à internet… Então este será o maior desafio da Xcinex

O dispositivo Venue também oferece uma gama de opções de serviços de streaming gratuitos e por assinatura, a partir de US$ 49,90, além da taxa dos conteúdos premium.

De qualquer forma, Atkin garante que quem conteúdo ao vivo não terá uma opção melhor que a Venue, a não ser que vá a um show presencial, o que é estritamente proibido atualmente.

Comentários

Não deixe de assistir: