Cinco motivos para assistir 'Great News'

Cinco motivos para assistir 'Great News'


Existem sitcoms que chegam a ser uma ofensa não assistir e este é o caso de Great News, para todos os apaixonados pelo humor ácido. A série da NBC, distribuída pela Netflix no Brasil, é a criação de Tracey Wigfield (que foi produtora de 30 Rock) e leva os nomes de Tina Fey (30 Rock; Unbreakable Kimmy Schmidt) e Robert Carlock (Unbreakable Kimmy Schmidt) na produção executiva.

A história, que claramente bebeu nas águas da premiada 30 Rock, mostra os bastidores de um programa de notícias, um jornal, em que a protagonista, Katie Wndelson (Briga Heelan), além de precisar lidar com os problemas diários de uma jornalista da área de produção, agora, para completar a situação, sua mãe passa a integrar o time de estagiários da empresa, sendo que a mesma é super controladora, protetora e tenta influenciar nas decisões da mesma.

Só pela sinopse já dá para imaginar o que vem por aí, certo?! E se você precisa de mais convencimento, seguem cinco motivos para assistir a esta maravilha de sitcom.

Carol Wendelson



Interpretada pela veterana Andrea Martin (a tia Voula de Casamento Grego), Carol é, sem sombras de dúvidas, a personagem mais divertida de Great News. Super controladora, cheia de opiniões para dar e dona de uma personalidade peculiar, a co-protagonista entrega cenas para o espectador rir de doer a barriga. Ademais, sua química com Chuck Pierce (John Michael Higgins) é tudo o que o público precisa, mas ainda não sabe.

Martin também é dona dos melhores diálogos, sejam estes com a própria filha ou com os outros personagens que formam o time da série. Inclusive, quando surgir dúvidas nos três primeiros episódios se você deve ou não continuar a ver a produção – que só melhora a partir do quarto –, lembre-se dos momentos da mesma e tenho certeza que encontrará motivos para permanecer. Sem dar muitos spoilers, fique atento para o capítulo em que o apresentador do jornal precisa operar os olhos e todo o desenrolar e confusão que a mesma provoca.

Katie e Greg

O que seria dos fãs das séries de TV sem um casal para shippar, nem que seja de levinho, certo? Great News entrega ao telespectador Katie e Greg (Adam Campbell), o produtor executivo do jornal. A dupla vive uma tensão que remete aos tempos de Liz Lemon (Tina Fey) e Jack Donaghy (Alec Baldwin) em 30 Rock, entretanto, aqui é evidente que existe uma intenção no roteiro de talvez transformá-los em um par romântico. Eles vivem uma espécie de amor/ódio, em que num momento parecem que vão finalmente se beijar e no outro estão querendo arrancar o pescoço um do outro.

A dinâmica é intrigante e os diálogos são ricos, o que só acrescenta em positivo para a sitcom. Um dos pontos mais interessantes sobre esse enredo está no fato de nunca saber o que esperar entre eles no episódio seguinte. Além disso, para completar o circuito, o espectador pode contar com Carol, a capitã deste navio, tentando junta-los a todo custo.

Humor Ácido

Os fãs dos outros gêneros de humor que me perdoem, mas nada se compara ao bom e velho humor ácido. Como a maioria das séries de comédia da NBC, Great News possui três primeiros episódios que a princípio não seguram o público, entretanto, a partir do quarto a história alavanca de forma surpreendente. O roteiro é composto de referências atuais e possui uma dramaturgia bem centrada no ano em que a produção se passa. Ademais, o humor ácido está presente em praticamente todos os diálogos, sem medo de provocar a imprensa atual e a forma de conduzir notícias dos jornais.

A criação de Wigfield também atenta para o uso das redes sociais por celebridades e exibe de maneira exagerada e cômica o dia a dia de uma redação jornalística. A produção é a típica série que se você piscar perde a referência, a piada, o momento e a crítica feita sob forma de humor.

Realismo na construção dos bastidores de uma redação jornalística

Seja você jornalista ou não, você precisa assistir a esta sitcom. A ideia de utilizar os bastidores de um programa de TV é uma das peculiaridades que transformou 30 Rock no fenômeno da comédia que é até hoje e é evidente que a criadora tem a mesma intenção ao utilizar o tema bastidores em Great News. Como uma pessoa que já vivenciou o dia a dia de uma redação de jornal para TV, posso afirmar que a mesma faz um trabalho espetacular ao retratar o local.

A narrativa é pontual e consegue construir um cenário de acordo com a realidade. É como estar diante das situações que já presenciei, só que de maneira cômica e com uma pitada de exagero. Este trabalho de roteiro e direção de arte só agregam em positivo e a tornam próxima do público que assiste, seja este um profissional da imprensa ou não.

Tina Fey

Por último, porém, não menos importante: TINA FUCKIN’ FEY. A rainha da comédia e da minha vida norte-americana atual, premiadíssima e com uma peça na Broadway, realiza uma participação especial, durante a segunda temporada, na pele de Diana St. Tropez. Ela se torna a presidente da emissora e é conhecida mundialmente por ser a típica mulher bem-sucedida que conseguiu tudo.

A personagem lembra um pouco Jack Donaghy só que mais agressiva. É divertido e intrigante ver Fey incorporar a mesma, já que a roteirista é conhecida por dar vida a papeis mais associados aos underdogs. Detalhe que a postura de Diana marca presença não importa onde esteja e conquista o espectador logo de cara, que acaba por desejar ver mais cenas e diálogos entre ela, Katie e Carol. E só para completar: Diana St. Tropez foi considerada uma das melhores coisas da segunda temporada de Great News pela crítica.

-//-

Infelizmente, a série de TV foi cancelada em sua segunda temporada e felizmente, as duas estão na Netflix, sendo a primeira com dez episódios e a segunda com treze, cada uma com 20-22 minutos. Ou seja, dá para assistir em uma tarde de feriado. E se você já conferiu tudo e tem mais motivos para que os outros também vejam, comente aí embaixo, pois queremos saber!





Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c