Conheça Lily James, a jovem Donna de 'Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo'

Conheça Lily James, a jovem Donna de 'Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo'


Mamma Mia 2 já está em cartaz pelos cinemas brasileiros, contagiando novamente os fãs. A continuação, ao mesmo tempo em que segue os eventos do primeiro, apresenta através de flashback a história que havíamos apenas ouvido falar anteriormente. Assim, ganhamos os queridos personagens originais em versões jovens, dentre os quais destaca-se a nova Donna. E se você está se perguntando de onde conhece sua intérprete, vamos passar sua ficha agora.

Lily James é uma atriz britânica já estabelecida na indústria Hollywoodiana, participando igualmente de obras em seu país de origem. A inglesinha de 29 anos, cujo nome de nascimento é Lily Chloe Ninette Thomson, se formou na Guildhall School of Music and Drama, em Londres, com bacharelado em artes e graduação de honra em atuação, em 2010. Então, é de se espantar que apenas 8 anos depois a atriz esteja bombando tanto. Na verdade, antes mesmo disso, como veremos a seguir.

A escolha pelo sobrenome “artístico” James não é despropositada. Ao perceber que outra atriz de uma associação da qual fazia parte já portava o nome Lily Thomson, a jovem optou por homenagear seu pai, James Thomson, ator e músico, que havia falecido alguns anos antes. Lily James tem sangue de artista nas veias. Sua avó paterna é a atriz americana Helen Horton, falecida em 2009, conhecida por seu trabalho como a voz do computador “mãe” na icônica ficção científica Alien – O Oitavo Passageiro (1979). Além disso, ela tem parentesco com a família Bush, que governou os EUA em duas gerações e até mesmo com a própria Meryl Streep, de quem é parente distante. As duas dividem a mesma personagem no novo Mamma Mia, mas só contracenam no filme na brincadeira ao final.

Divisor de Águas



Após participações pequenas em séries de TV britânicas, filmes e até mesmo superproduções de Hollywood (vide Fúria de Titãs 2), a grande chance da carreira de Lily James chegou com o papel na cultuada série de época Downton Abbey, na qual adentrou no elenco na terceira temporada na pele de Lady Rose MacClare. James permaneceu como membro fixo até o desfecho do programa em 2015. E foi justamente quando a série terminou que a atriz faria a transição de forma grandiosa para o cinema.

Princesa da Disney

No mesmo ano em que se despedia da série que a colocou no mapa, a atriz dava seu maior passo na carreira. Há inclusive de se argumentar que Cinderela permanece como seu maior filme até o momento. É seu longa mais popular e o que vem à cabeça das pessoas diretamente. Lançado em março de 2015, e dirigido por Kenneth Branagh, Cinderela faz parte da revitalização de clássicos animados que a Disney vem transformando em versões com atores de carne e osso. Na verdade, o longa seguiu de perto Alice no País das Maravilhas (2010) e Malévola (2014), dois dos primeiros, chegando aos cinemas logo depois.

Com o orçamento em torno de US$95 milhões, Cinderela recuperou quase tudo de volta só em sua estreia, somando US$67 milhões em sua abertura nos EUA. Em seu país de origem, a superprodução da Disney fez carreira com US$201 milhões. Já ao redor do mundo, o conto de fadas ultrapassou a marca dos US$543 milhões.

O caminho para a personagem não foi tão simples assim para James. O grande papel que a colocaria no mapa não caiu em seu colo, como podemos imaginar. Em sua trilha, atrizes como Alicia Vikander, Saoirse Ronan e Gabriella Wilde (Amor Sem Fim) foram cogitadas para o papel. A que chegou mais perto de realmente interpretar a personagem foi Emma Watson, que devido a problemas de agenda precisou desistir. Anos mais tarde, ela finalmente se tornaria uma princesa da Disney em A Bela e a Fera (2017).

Confiar em uma atriz desconhecida para um papel tão importante, em uma produção tão cara, que será exportada para o mundo inteiro, é uma aposta arriscada. Além disso, contracenar com uma atriz do calibre de Cate Blanchett, o verdadeiro chamariz no elenco (na pele da Madrasta má), intimida até atores tarimbados, o que dirá uma novata. Lily James manteve a classe e entregou um trabalho à altura. O resto é história.

No mesmo ano do lançamento de Cinderela, a atriz fez uma participação em Pegando Fogo, veículo de Bradley Cooper, que trazia o ator no papel de um chef em busca de redenção. Coincidentemente, o elenco recheado apresentava Alicia Vikander, que havia perdido o papel de Cinderela para James.

Subversão

Nenhum caminho rumo ao sucesso é livre de espinhos. Nesta estrada tortuosa, Lily James parou para respirar e assimilar a notoriedade adquirida por Cinderela. O ano seguinte do estouro da atriz foi marcado por projetos que voaram abaixo do radar, sem chamar muita atenção. O primeiro foi Orgulho e Preconceito e Zumbis (2016), galhofa com o clássico de Jane Austen, baseado na graphic novel de Seth Grahame-Smith. Planejado como novo sucesso a perseguir o filão dos zumbis, pintado nos moldes de um filme de época, o longa encarou o fracasso e o primeiro baque na carreira da jovem atriz.

Voltando para seu país de origem, James encarnou a protagonista Natasha Rostova em nova versão do clássico de Tolstoy, Guerra & Paz. A nova roupagem foi em uma minissérie de 6 episódios. No mesmo ano veio A Exceção, elogiado drama de época que fala sobre a Segunda Guerra Mundial, trazendo o lendário Christopher Plummer no elenco.

Foi em 2017, no entanto, que a atriz se assentaria em sua condição, recuperando o prestígio adquirido em seu primeiro trabalho de destaque, em novas obras renomadas e extremamente bem sucedidas. Com Em Ritmo de Fuga, de Edgar Wright, Lily James abraçou sua versão moderna em um filme que se tornou cult instantâneo. A obra de assalto do cineasta britânico é hollywoodiana, arrojada, puro entretenimento, mas com pedigree de sobra para agradar a plateia mais elitista. É a perfeita harmonia de dois mundos. Seguindo na mesma linha, porém, apresentando um cinema mais adulto, O Destino de uma Nação, de Joe Wright (sem qualquer parentesco com o diretor anteriormente mencionado), foi uma das obras no radar do último Oscar. O show deste segundo é todo de Gary Oldman, mas na época falava-se de indicação para James. Não veio. No entanto, a atriz subiu mais alguns pontos de prestígio em seu currículo.

Futuro

Antes do futuro, o presente! Lily James pode ser vista atualmente nos cinemas na pele de Donna, personagem interpretada pela deusa do cinema Meryl Streep no cultuado Mamma Mia (2008). Dez anos depois e parte da ideia desta sequência é focada no flashback, mostrando como a personagem protagonista chegou até o local na Grécia onde viria a se estabelecer, comandar a pousada e se envolver com três homens distintos sem saber qual deles é o verdadeiro pai de sua filha. James é uma das melhores coisas da continuação (ou a melhor), esbanjando charme e carisma numa performance bronzeada e apimentada, que tira por completo o pensamento de britânicas azedas. Lily James é uma destas atrizes camaleônicas. E como sentíamos falta de uma assim na nova geração. Por seu desempenho no musical, a atriz voltou ao radar dos fãs e no IMDB se tornou novamente uma das personalidades mais procuradas – índice que atingiu em 2015 com Cinderela e depois em 2017 com Em Ritmo de Fuga.

Antes disso, a atriz lançou o drama cômico de época - de nome complicado - A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata, que se encontra no acervo da Netflix sem passar previamente em nossos cinemas. E também emprestou a voz para o sucesso de crítica Sorry to Brother You. Ambos lançados em 2018.

Lily James tem engatilhados dois novos projetos. O primeiro, intitulado Little Woods, já foi exibido este ano durante o Festival de Tribeca nos EUA, em Abril. O filme não estreou em circuito, no entanto. Considerado um faroeste moderno feminino, o filme traz James e Tessa Thompson como irmãs precisando agir fora da lei para sobrevier. Little Woods é escrito e dirigido por Nia DaCosta.

O segundo projeto, ainda sem título, está em fase de pós-produção. Escrito por Richard Curtis (Simplesmente Amor e Questão de Tempo) e dirigido por Danny Boyle (Trainspotting e Quem Quer Ser um Milionário?), a sinopse ainda não foi divulgada, mas o filme é descrito como uma comédia musical, passada entre as décadas de 1960 e 1970. No elenco, além de James, o músico Ed Sheeran e as atrizes Kate McKinnon e Ana de Armas. A estreia é programada para 2019.





Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c