Crítica | A Morte te Dá Parabéns 2 troca o suspense pela ficção científica e é ainda mais divertido

Crítica | A Morte te Dá Parabéns 2 troca o suspense pela ficção científica e é ainda mais divertido

Nota:

Nos anos 90, os slasher movies voltaram a se popularizar após as franquias ‘Halloween’ e ‘Sexta-Feira 13’ saturarem o subgênero. Em 1996, o roteirista Kevin Williamson e o diretor Wes Craven inovaram com ‘Pânico’ (Scream), um filme sobre um serial killer mascarado que adicionava a metalinguagem e fazia uma homenagem aos clássicos do cinema, iniciando uma nova moda em torno de filmes sobre assassinos que perseguiam adolescentes. O sucesso causou uma nova saturação, após vários derivados - salvando os ótimos ‘Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado’ e ‘Lenda Urbana’.

Em 2017, a Blumhouse conseguiu resgatar o subgênero com ‘A Morte Te Dá Parabéns’, que fazia uma homenagem aos slasher movies e adicionava pitadas de ‘Feitiço no Tempo’, trazendo um suspense divertido e carismático.

Com o sucesso nas bilheterias, não demorou muito para uma sequência ser anunciada, com o mesmo time criativo por trás do primeiro filme.




A Morte Te Dá Parabéns 2’ consegue uma façanha muito difícil: aposta em um gênero diferente, a ficção científica, e consegue subverter a franquia para um caminho totalmente inovador.

Já aviso antes de começar essa crítica: dessa vez, a trama deixa o suspense e toques de terror de lado para apostar em cheio na ficção científica e no humor.

Desta vez, descobriremos como Tree (Jessica Rothe) consegue morrer e voltar várias vezes seguidas no dia de sua morte. Sim, o filme explicará como ela ficou presa em um looping temporal, trazendo elementos da franquia ‘De Volta para o Futuro’ e até mesmo algumas teorias de ‘Interestelar’. Parece uma loucura, não é? Sim, mas tudo é muito bem fundamentado para deixar a história plausível e ainda mais divertida.

Apostando no carisma dos protagonistas, a história toma rumos diferentes para não ficar repetitiva, e esse é o maior acerto dessa sequência – apesar de já termos visto essa trama, desta vez conheceremos os outros aspectos desses acontecimentos.

O elenco está ainda mais a vontade. Jessica Rothe é um grande achado de Hollywood e já figura como uma das melhores Scream Queens de sua geração, conseguindo alternar entre as cenas de humor e drama de maneira bastante natural. Assistir a protagonista surtando é divertidíssimo, e já vale o preço do ingresso.

Israel Broussard também retorna como Carter, o interesse romântico da protagonista, com uma química em tela invejável.

Porém, os destaques dessa vez são os coadjuvantes e os novatos. O colega de quarto do Carter, Ryan (Phi Vu), também fica preso no looping temporal e se torna o grande alívio cômico do filme, ajudando a desvendar o mistério ao lado de dois colegas estudantes de mecânica quântica, Samar Ghosh e Andrea 'Dre' Morgan (Suraj Sharma e Sarah Yarkin, respectivamente) – ótimas e inteligentes adições na história.

Outra atriz que merece louros é a espetacular Rachel Matthews, que retorna como uma Danielle bem menos vilanesca e mais divertida, mostrando uma personagem cheia de camadas e protagonizando uma cena pra lá de hilária que fez o cinema todo gargalhar.

Christopher Landon – a mente por trás do primeiro filme - consegue trazer um roteiro ainda mais insano e ao mesmo tempo plausível, além de uma direção cuidadosa e estilosa.

A Morte Te Dá Parabéns 2’ prova que a franquia é camaleônica: ele altera o gênero da sequência, e funciona quase tão bem quanto o primeiro, perdendo apenas a sensação de novidade e o suspense, mas deixando o expectador ainda mais interessado na história desses personagens e nas bifurcações de suas ações.

Para aqueles que procuram um bom passatempo, ‘A Morte Te Dá Parabéns 2’ é uma ótima pedida e vai fazer você sair do cinema com um sorriso no rosto.

Obs: Fique até o fim dos créditos, pois o filme traz uma cena que mostra para qual caminho o terceiro filme deve seguir – e é impagável!

 

 

 


Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c